Embed or link this publication

Popular Pages


p. 1

O Samburá BARRA DE CARAVELAS, BAHIA - ANO V - EDIÇÃO NÚMERO 59Tiragem 2.000 Exemplares jornalosambura@gmail.com MENSAL - Período de janeiro- 2015 BLOCO DAS “PIRANHAS” ARRASTA MULTIDÃO PELAS RUAS DA BARRA DE CARAVELAS Página 07 Informe da Resex de Cassurubá. Pág. 04 Parque de Abrolhos faz 5 anos como Sítio Ramsar e comemora com comunidade. Governo quer muda benefí- pela comunidade da Barra cios como o seguro defeso com respeito às tradições e e seguro desemprego. recorde de participantes e São Sebastião foi festejado Página 08 público. Página 03 Página 05 CarnaBarra 2015, FOLIA E PAZ. Pág. 06 Placas Educativas foram instaladas pelo Bloco dos Goroçás. Pág. 03 Pesquisa revela que o mero, o peixe-serra e outros gigantes dos mares estão desaparecendo do Banco dos Abrolhos. Pág. 05 Revista online traz matéria que mostra os conflitos entre o crescimento das baleias Jubarte e pescadores artesanais na Bahia. Pág. 05 RAPIDINHAS (PÁG.03): Iemanjá recebe homenagens nas Praias de Caravelas.

[close]

p. 2

O Samburá O Carnaval chegou e com ele todo mundo se torna um pouco mais feliz, seja por causa dos amigos e familiares que chegam vindos de várias partes do país, seja pelos empregos temporários que surgem em todo canto ou apenas pelo clima de festa! Depois do Carnaval definitivamente as coisas começam a voltar ao lugar, em casa, na escola e no trabalho. Aí vamos encarando aos poucos a realidade e o anunciado super aumento da tarifa de luz, o aumento dos combustíveis, os itens do supermercado e da feira que estão ficando caros, heim! Pois é, nesta edição o Jornal O Samburá trás um pouquinho das atualidades do Brasil que dizem respeito principalmente aos pesca- dores artesanais, como as novas medidas do governo que mudam as regras do seguro defeso. Mas também tem muita coisa boa acontecendo e por acontecer, por isso também tem tirinha, brincadeiras, notícias ambientais, Carnabarra, Iemanjá, São Sebastião, enfim, vamos juntos nessa que sozinho não tem graça! Na edição 60 do Jornal Comunitário O Samburá, vamos estar falando das festividade do Carnaval. Por enquanto vejam algumas imagens de foliões que estiveram pelo circuito do carnaval de Caravelas. AMIGOS DO SAMBURÁ* Amarina Antunes Célia Siquara Cida Macário Corina Melgaço Ceça de Yayá Dadá Souza Edson Silva Fábio Pinheiro Jose Esperidião Jorge Magalhães Jorge Oliveira Mª de Lourdes P. Inácio Marinalva Tavares Vanessa Santana *É Amigo do Samburá quem acredita na força da comunicação de base comunitária. Obrigado a todos por nos ajudar a produzir e divulgar esse importante veículo de comunicação da Comunidade de Barra de Caravelas. O Jornal Comunitário O Samburá surgiu entre um grupo de jovens da pequena comunidade de pescadores e pescadoras artesanais de Barra de Caravelas em 2009 e hoje tem distribuição gratuita mensal de 2.000 exemplares em toda região de Caravelas. ♦ Para saber mais visite o BLOG: http://jornalcomunitarioosambura.blogspot.com/ ou entre em contato: jornalosambura@gmail.com ♦ DIAGRAMAÇÃO: Robson Falcão ♦ REPORTAGEM: Adriene Coelho Edvaldo Souza e Robson Falcão ♦ IMAGENS: Robson Falcão, Girlândia Rodrigues, Resex♦ SUPERVISÃO: Antônio Emídio. ♦ Colaboradores nesta Edição: IBJ, Resex do Cassurubá, FLIC, ICMBio, Página 2 O Samburá

[close]

p. 3

O Samburá Plano para conservação dos manguezais é publicado pelo governo Os manguezais são ecossistemas úmidos com a maior produtividade e biodiversidade do planeta e o novo Plano para sua conservação define ações de conservação para 74 espécies, sendo 20 consideradas ameaçadas em nível nacional e 9 ameaçadas regionalmente, além de 45 espécies de importância socioeconômica e não ameaçadas, indicadas por representantes de povos e comunidades tradicionais. Entre as 20 espécies ameaçadas de extinção em nível nacional estão o guaiamum, o mero, a garoupa-verdadeira, o tubarãolixa, o tubarão-limão, o macacoprego-do-peito-amarelo, o botocinza, a cigarra-verdadeira ou patativa-chiadora, a trinta-réisreal ou andorinha-real-do-mar, socó-jararaca ou socó-boiescuro, o peixe-boi-da-amazônia e o peixe-boi-marinho. O PAN Manguezal será desenvolvido em áreas prioritárias dos seguintes estados: Amapá, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT), a aplicação do plano terá prazo de vigência até Janeiro de 2020. São Sebastião foi festejado pela comunidade da Barra com respeito às tradições e recorde de participantes e público Normalmente a cargo de um festeiro ou família local, este ano a festa foi coordenada pelo grupo dos próprios cortadores, como são chamados os personagens principais do teatro de rua encenado durante os dias da Festa. Recorde de participantes e público, a festa mais uma vez emocionou a comunidade e atraiu visitantes e devotos de várias partes do país. Parabéns a todos que contribuíram! Iemanjá recebe homenagens nas Praias de Caravelas Marujadas de Ponta de Areia, Caravelas e Barra realizaram os Festejos de Iemanjá no dia 02 de fevereiro. O cortejo levou simpatizantes pelas ruas do centro histórico de Caravelas e depois seguiu até a praia do Grauçá. A Filarmônica da Barra (FLIC) marcou presença como nos anos anteriores, seguindo em cortejo marítimo até a Praia de Iemanjá, onde outros grupos também organizaram homenagens junto à imagem da deusa das águas salgadas, considerada protetora dos pescadores e ”’mãe dos peixes”. Iemanjá é um orixá feminino (divindade africana) das religiões Candomblé e Umbanda. Placas Educativas foram instaladas pelo Bloco dos Goroçás Durante o Carnabarra o grupo de foliões do Bloco Cultural dos Goroçás instalou em alguns pontos da comunidade barrense e da Praia do Grauçá diversas placas educativas alertando sobre a importância da proteção do meio ambiente, cuidado com o lixo e cuidados com a praia. Uma ação muito importante, pois além das mensagens importantíssimas, as placas foram feitas com muita dedicação e cuidado. Infelizmente a placa que estava na rua da Baleia/Praia do Grauçá foi furtada. Quem tiver noticias avise Teka, Aniela ou Marina ou coloque no lugar. Vamos ajudar a cuidar bem deste que é um bem comunitário! O Samburá Página 3

[close]

p. 4

O Samburá Resex do Cassurubá realiza reunião com pescadores Reunião aconteceu na noite do dia 20/01 a partir das 18:30 na sede da FLIC na Barra de Caravelas e além de representante da Fibria, esteve presente o novo gestor da Resex do Cassurubá, Marcelo Lopes, que junto com os pescadores da comunidade aprofundaram diversos temas, como a dragagem do Canal do Tomba e seus impactos na pesca artesanal da região. Além da Barra, o novo gestor está visitando outras localidades. Resex de Cassurubá realiza soltura de caranguejos apreendidos Em uma ação de fiscalização realizada no dia 23 de janeiro, a equipe da Resex do Cassurubá apreendeu e devolveu ao mangue aproximadamente 700 caranguejos. Os animais haviam sido capturados nas proximidades do município de Nova Viçosa, durante o período de defeso, conhecido como andada. A ação foi realizada a partir do recebimento e apuração de denúncias. Marcelo Lopes, chefe da Resex, explica que tem sido solicitado àqueles que possuam informações sobre este tipo de irregularidade que procurem a equipe da Unidade de Conservação na sede que fica em Ponta de Areia. “Os beneficiários conscientes solicitam permanentemente a nossa atuação. Estaremos nos empenhando ao máximo em cumprir o nosso papel de agentes públicos”, afirmou Marcelo. A coleta do caranguejo é um das principais atividades produtivas das populações residentes na Reserva Extrativista. Com aproximadamente 100 mil hectares, a unidade está situada nos municípios baianos de Alcobaça, Caravelas e Nova Viçosa, numa região rica em estuários, mangues e restingas. Página 4 O Samburá

[close]

p. 5

O Samburá Parque de Abrolhos faz 5 anos como Sítio Ramsar e comemora com comunidade de fevereiro de 2010 e neste ano de 2015 comemorou os 5 anos desta conquista junto com a comunidade de Caravelas durante as festividades de Iemanjá na Praia do Grauçá. No dia da festa (02/02) comemorou-se também o Dia Mundial das Áreas Úmidas e foram montados estandes para divulgar os trabalhos do ICMBio em Caravelas em prol a conservação das áreas úmidas, através das equipes do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, RESEX do Cassurubá e do CEPENE, que é o Centro de Pesquisa e Gestão de Recursos Pesqueiros do Litoral Nordeste. O título de Sítio Ramsar significa o reconhecimento da importância ecológica e dos valores social, econômico, cultural, científico e recreativo que o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos tem para o mundo. Atualmente cerca de 200 países fazem parte deste tratado de cooperação internacional para a conservação e uso racional das zonas húmidas e dos seus recursos. O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos recebeu o diploma de sítio Ramsar, conferido pela Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional no dia 02 Revista online traz matéria que mostra os conflitos entre o crescimento das baleias Jubarte e pescadores artesanais na Bahia O esforço de muitos defensores da natureza está em aumentar a população dos animais marinhos e evitar a extinção de algumas espécies. Em Abrolhos o aumento da população de baleias-jubartes é motivo de alegria entre os ambientalistas. Com um crescimento de cerca de 7% ao ano, a estimativa é de que existam mais de 15 mil jubartes na costa brasileira e boa parte delas está em Abrolhos, um dos mais importantes destinos de mergulho do Brasil. No entanto, reportagem da jornalista Marina Guedes, que visitou Caravelas no fim de 2014, mostra que os pescadores da nossa região não estão muito felizes com esses números. Se, por um lado, o aumento das baleias é bom para a natureza, por outro, a atividade de pesca tem sido prejudicada por esses animais, defendem. Segundo dados da APESCA, existem de 1300 a 1700 pescadores na cidade de Caravelas, onde está localizado o arquipélago de Abrolhos. Entre 6 mil e 8 mil pessoas dependem da atividade direta ou indiretamente. Para ler a matéria completa visite o site: http://www.plurale.com.br/ Pesquisa revela que o mero, o peixe-serra e outros gigantes dos mares estão desaparecendo do Banco dos Abrolhos Um estudo realizado no Banco dos Abrolhos revelou que nos últimos 50 anos, pescadores reconhecem um preocupante declínio na abundância de peixes que atingem mais de 50 centímetros, conhecidos como megafauna marinha, em especial peixes que atingem grandes proporções como os gigantes mero e peixe-serra, que ultrapassam os 400kg. Ambas as espécies são capturadas com menor frequência e com tamanhos cada vez menores desde 1960. O peixe-serra, por exemplo, não é avistado há mais de dez anos em toda a região dos Abrolhos. A pesquisa sustenta que há uma grande possibilidade desta espécie ser considerada extinta dentro de alguns anos. O peixe-serra e o mero estão na Lista Nacional Oficial de Espécies Ameaçadas Aquáticas, publicada em Dezembro de 2014, que classifica o mero e o peixe-serra como O Samburá ‘criticamente ameaçados’ e portanto suas capturas permanecem proibidas. O estudo foi realizado pelo Projeto Meros do Brasil e os pesquisadores são vinculados à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Macquarie University, na Austrália e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Página 5

[close]

p. 6

O Samburá CarnaBarra 2015, FOLIA E PAZ rio de Menores de Caravelas e o Samu, que deu apoio e atendimento médico. Com uma programação intensa, e valorizando as bandas locais, a grande atração foi o grupo Parangolé de Salvador. Também passaram pelo circuito as bandas Comando X, Caio Magno o Rei da Folia, Maimbanda da Barra e a Banda de Reggae Los Barruts, Banda Pontal, Ciclone, Daniel Show, Lú Reis e Banda e Santo de Casa. Um evento tranquilo, onde reinou a paz e a alegria. Este ano o evento foi encerrado com os festejos a Iemanjá, Rainha do Mar, também na praia do Grauçá. O Carnabarra é assim, dia de Praia e sol e à noite agito e folia. Se você perdeu o desse ano, agende aí Janeiro de 2016, Carnaval antecipado de Caravelas-BA, Praia do Grauçá, CARNABARRA 2016. Venha curtir essa emoção. O Carnaval Antecipado de Caravelas, o “Carnabarra”, vem crescendo todos os anos e cada vez atrai milhares de foliões para curtir o carnaval antecipado, que reune durante os três dias de festa pessoas de toda a região e do país. Para os turistas que não ficam pro carnaval já podem sentir o gostinho do que é o carnaval de Caravelas. Para que o público viva esse clima gostoso de folia carnavalesca a prefeitura monta uma estrutura que não deixa nada a desejar a qualquer cidade. Na belíssima praia do Grauçá fica o palco principal com som profissional, iluminação, camarim, camarote. O trio Abrolhos arrasta os foliões no percurso da praça Nossa Senhora Imaculada Conceição até a praia do Grauçá. A arena onde acontecem os shows contou com banheiros, guarita da Policia Militar e Policia Civil, Conselho Tutelar, Comissá- Machinha Siripóia e bloco dos Goroçás animam praia do Grauçá no primeiro dia de CarnaBarra No primeiro dia, 30 de janeiro (sexta-feira), às 18:00 horas, Bloco dos goroçás formado por moradores do Grauçá saem em direção a arena do CarnaBarra animados pela Charanga Siripóia, com muita alegria e diversão. Página 6 O Samburá

[close]

p. 7

O Samburá BLOCO DAS PIRANHAS ARRASTA MULTIDÃO PELAS RUAS DA BARRA DE CARAVELAS Idealizado por Jorge Silva Santos (Jorginho) e amigos, o Bloco das Piranhas comemorou 11 anos de história. Uma grande homenagem à iniciativa dessas pessoas que lutam para manter viva uma cultura, de festa e alegria comunitária. Por isso o bloco vem crescendo todos os anos. as três mangueiras, na casa de Jorginho da Barra. Ali entram homens e saem piranhas, com perdão do trocadilho. Cada um mais produzido do que outro, perucas, salto alto, vestidos, minissaias, brincos, são alguns acessórios usados. Tudo isso envolvido com muito respeito, diversão e alegria que é o combustível que embala a todos. Depois de tanta preparação, a Marchinha Sirípoa dá os primeiros acordes e convida a todos a ganharem as ruas. Por outro lado as mulheres também vestem suas fantasias, pais arrumam seus filhos em trajes leves e carnavalescos, o que traz ainda mais brilho ao evento. A alegria contagia a todos, música, euforia, flashs. Este é o momento que eles querem aparecer, mostrar sua caracterização, e a medida que o grupo vai passando as pessoas vão seguindo e entrando no clima de brincadeiras que contagia a todos. As marchinhas tocadas pela Siripóa relembram os carnavais de outrora, e os personagens desse maravilhoso carnaval, as Piranhas, se deliciam e mostram suas caras pintadas de alegria, ou molhadas pelo suor da alegria. Todo ano é assim, chega o sábado e todo mundo começa a ouvir os boatos: “hoje vai sair o Bloco das Piranhas, é mesmo, que legal!” Porem não se vê nenhuma movimentação, apenas comentário. Ao cair da tarde, logo depois que chega o Mini Trio, e se coloca no local da concentração, percebe-se uma movimentação diferente, homens, mulheres e crianças começam a se reunir em frente O Samburá Página 7

[close]

p. 8

Governo quer muda benefícios como o seguro defeso e seguro desemprego O governo federal anunciou regras mais rígidas que devem reduzir o pagamento de benefícios como pensão por morte, auxílio-doença, abono salarial, seguro-desemprego e seguro defeso. A maior parte das alterações será feita por meio de duas medidas provisórias que terão de ser aprovadas pelo Congresso Nacional. O objetivo é economizar R$ 18 bilhões por ano. O governo também anunciou que irá publicar na internet todas as informações referentes ao pagamento dos benefícios, como os nomes de quem recebe os recursos, assim como já acontece com o programa Bolsa Família. Novas regras para o seguro defeso: - É necessário exercer a atividade de pesca de forma exclusiva. - Não será possível mais acumular outros benefícios assistenciais e previdenciários com o seguro. Quem recebe Bolsa Família não poderá mais receber o seguro defeso. - É preciso ter registro de pescador há três anos ou mais. Hoje a carência é de um ano. - Deve comprovar que comercializa a produção de peixes. - Não poderá haver acúmulo de defesos por quem pescar em mais de uma região ou mais de uma espécie de peixe. - O beneficiário também terá que ter contribuído pelo período mínimo de um ano para a Previdência Social. - O pagamento ficará limitado a, no máximo, 5 meses por ano, independente do prazo que durar o período de pesca proibida. - A fiscalização das regras ficará a cargo do INSS. As medidas provisórias que mudam as regras nos benefícios sociais foram publicadas no dia 30 de janeiro deste ano e valerão dentro de 60 dias. Para o seguro -defeso, porém, as mudanças começam dentro de 90 dias. Mas as novas regras ainda precisam ser confirmadas pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias para que sua eficácia seja mantida. Anuncie Anuncie Aqui! Aqui!

[close]

Comments

no comments yet