Andirá Empreendedora - Nº 3/ Dezembro de 2014

 

Embed or link this publication

Description

Edição nº 3 - Dezembro de 2014 - da revista Andirá Empreendedora. Uma publicação da Andirá Comunicação.

Popular Pages


p. 1

EMPREENDEDORA ANDIRÁ R E V I S T A Número 3 - Dezembro de 2014 “MATA DO BRÁULIO” Patrimônio natural de Andirá INTEGRADA Tecnologia no processamento de milho VERA LÚCIA Uma cantora católica a serviço da família REFERÊNCIA MÉDICA: Luiz Antônio Negrão Dias - uma carreira marcada pelos estudos e trabalhos humanitários

[close]

p. 2

Nós cultivamos. Antes do sol nascer, já estamos de pé. E não é só porque o galo cantou. Levantamos cedo porque amamos o que fazemos. Preparar a terra, plantar a lavoura. Ver a semente germinar, crescer e se transformar no alimento de milhões de famílias. Nós amamos cultivar e, há 18 anos, esse amor é transmitido de pai para filho. De avô para neto. De família para família. Porque a agricultura é a nossa vida. 2 Andirá Empreenderora

[close]

p. 3

NÓS CUL TIV AMOS Nós cultivamos o desenvolvimento econômico sustentável A Cooperativa Integrada vai inaugurar em Andirá uma das mais modernas indústrias de processamento de milho do Brasil. Com excelência em segurança alimentar e ambiental, a nova Unidade Industrial de Milho vai gerar empregos, desenvolvimento e renda para toda região. Esse é o compromisso da Cooperativa Integrada: levar desenvolvimento econômico e social para toda a sociedade. Andirá Empreenderora 3

[close]

p. 4

ÍNDICE 05 06 10 14 16 20 22 24 25 26 30 34 38 44 48 50 4 Andirá Empreenderora Feliz Natal! EDITORIAL - Andirá Empreendedora: Chegamos à 3ª edição, com muita literatura “Mata do Bráulio” Patrimônio natural Resconstituição da Mata Ciliar com reflorestamento Riqueza em Grãos: Investimento e tecnologia Bananicultura aquece economia local e é destaque no cenário estadual Alta tecnologia no processamento do milho Marcoz Zacarelli Padeigis nos EUA Praça Sblandiano: “A Praça da Feira da Lua” Desenvolvimento Andirá: um ponto estratético Pedacinho do Céu Arborização para colorir a vida NOSSA CIDADE Coluna da Cleusa Guimarães Talento musical: Vera Lúcia ENTREVISTA Luiz Negrão Nova Geração: 25 anos de educação MULHER MODERNA: Coluna de Rogério Bocardo ARTIGOS 54 56 58 58 Camila Hachmüller Abadie Paulo Briguet Luciane Amato José Carlos Zamboni POESIA 62 João Filho CRÔNICA 64 L. C. Bragança de Pina

[close]

p. 5

Andirá Empreenderora 5

[close]

p. 6

EDITORIAL ANDIRÁ EMPREENDEDORA: A Chegamos à 3ª edição, com muita literatura Cruzeiro do Sul, ainda sem prazo para lançamento. Ainda nesta edição, o leitor terá o privilégio de conhecer mais sobre o andiraense que é uma das grandes referências da Oncologia no país e presidente do Conselho de Administração do Hospital Erasto Gaertner, Dr. Luiz Antônio Negrão Dias. As mulheres descobrirão mais sobre o universo feminino na coluna de estreia do médico Rogério Bocardo: “Mulher Moderna”. Mais ainda: uma matéria sobre a Unidade Industrial de Milho, um projeto da Integrada para o desenvolvimento da nossa cidade. Assim sendo, estamos satisfeitos com o resultado desta edição e somos gratíssimos pelo o apoio dos empresários e pela colaboração prestimosa desses talentos defensores da alta cultura. Enfim, queridos leitores, nenhuma dificuldade foi suficiente para nos enfraquecer durante a jornada. Um amigo sempre se despede assim, e adotamos como bordão para a nossa agência: “Vamos em frente!”. Boa leitura! Agradecemos a Deus por isso. A cada dia, vale o esforço para tornar a revista realidade, porque sabemos o quanto fazemos algumas pessoas satisfeitas por nela verem assuntos que julgam especiais às suas vidas. E esta edição, pode-se afirmar, é diferenciada, pois nela reunimos autores muito competentes para escreverem alguns textos pertinentes à literatura. Assim o fizeram Camila Hochmüller Abadie, com o seu artigo “Re-conhecendo as primeiras letras”; José Carlos Zamboni, com “Poetas católicos do Brasil”; Luciane Amato, com “Herzog e nós: uma convocação”; Paulo Briguet, com o “O prisioneiro do Parque Lênin”; e, entre eles, o editor desta publicação, L. C. Bragança de Pina, com a crônica “Na Praça”. Mais ainda: para sagrar esta edição, os leitores poderão ler três poemas inéditos de João Filho, autor de A Dimensão Necessária (Mondrongo, 2014). São eles: “Adélia de Castro, na Igreja da Graça”, “A Igreja de Nossa Senhora do Monte Serrat” e “Marly de Oliveira em Buenos Aires”. Esses três poemas integram o livro Sob o Cleusa Ferreira da Silva Guimarães, diretora comercial L. C. Bragança de Pina, diretor de conteúdo 6 Andirá Empreenderora

[close]

p. 7

Andirá Empreenderora 7

[close]

p. 8

EXPEDIENTE Revista ANDIRÁ EMPREENDEDORA Número 3 – 23 de dezembro de 2014 Coordenação editorial Jornalista responsável: L. C. Bragança de Pina Registro profissional: DRT – PR 7205 Textos: Cleusa Guimarães e L. C. Bragança de Pina: páginas 06, 14, 15, 16, 17, 18, 24, 25, 30, 31, 38, 39, 40, 44, 45 e 46; Karina Agrella e Denise Corder Petrica: 10, 11, 12, 13, 20,26 e 27. Diretora comercial: Cleusa Ferreira da Silva Guimarães Design gráfico e diagramação: José Adriano Bordignon Escreva para nós Dê a sua opinião sobre esta revista: contato@andiracomunicacao.com.br Comercial: comercial@andiracomunicacao.com.br Uma publicação anual da Andirá Comunicação www.andiracomunicacao.com.br http://www.andiracomunicacao.com.br/blog/ Siga-nos: Facebook: https://www.facebook.com/andiracomunicacao Twitter: https://twitter.com/andiracomunica Google +: http://www.gplusid.com/andiracomunicacao Crédito das fotos e ilustrações: L. C. Bragança de Pina/Andirá Comunicação Foto de Capa; Índice/árvore figueira; Arte: “Natal” por Andirá Comunicação/Renato Faria, p. 05; Vera Lúcia página 38; Artes páginas 60 e 61. Fotótimo do Sérgio: páginas 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 25, 30, 31, 37 (foto do motel para montagem da publicidade). Índice: demais fotos da Internet. Páginas 20 (Internet); 22 e 23 (Integrada); 24 (Divulgação/Padeigis); 26 e 27 (Divulgação/Prefeitura); 34 e 35 (Divulgação); 39 e 40 (Divulgação / Vera Lúcia); 44, 45 e 46 (Divulgação/Negrão Dias); 48 e 49 (Divulgação/Escola Nova Geração) e Internet: 51, 54, 55, 56, 57 (Havana velha: Minude/Marcos M. Gomez Carmelo), 58, 59, 60, 61, 62 (Foto do João Filho tirada por Carlos Calliga) e 63. Ilustração “Na Praça” de Zé Otávio, p. 65. 8 Andirá Empreenderora

[close]

p. 9

Andirá Empreenderora 9

[close]

p. 10

CAPA “MATA DO BRÁULIO” ALÉM DE EXUBERANTE, A CONSERVA A MEMÓRIA LOCAL 10 Andirá Empreenderora

[close]

p. 11

Patrimônio natural, preservado desde as origens, espaço nativo aos arredores de Andirá mantém viva a história da formação do município, na época Vila Ingá. Andirá Empreenderora 11

[close]

p. 12

À frente de seu tempo, Bráulio Barbosa Ferraz era um empreendedor nato. Com os pés no presente, mas com uma visão no futuro, atuou de modo significativo no município. Eram tempos difíceis, na década de 30, éramos apenas a Vila Ingá, que posteriormente ficou conhecida pelas suas atividades festivas e culturais, nada comum para a época. Foram nestas adversidades que Bráulio Barbosa Ferraz, o pioneiro, acelerou o crescimento local aos arredores da estação ferroviária, formando os primeiros núcleos urbanos. Bráulio também é responsável por aquecer a economia da época, contribuindo para melhorias públicas como saneamento; fomento a indústria, com a extração de óleo; e atividades culturais. Seu perfil traça um homem político, revolucionário, eleito prefeito de Cambará em 1936 e indicado para o cargo em 1944, em Andirá. 12 Andirá Empreenderora PROGRESSO COMBINA COM EDUCAÇÃO Outro traço marcante em sua personalidade era o anseio pelo conhecimento. Aprendeu um vocabulário vasto em língua russa para compreender os imigrantes. Nesta peculiaridade com os estudos, os filhos foram educados por professoras austríacas e russas, o que denota sua preocupação com o universo do saber. É nesse tom que Bráulio Barbosa Ferraz transformou as terras à sua volta em um espaço enriquecedor e bem desenvolvido. CAMPO SAGRADO “A mata do Bráulio”, como é conhecida, chama a atenção pela sua beleza nativa. A Fazenda das Antas concentra uma área de 68 alqueires de mata, com flora e fauna preservadas. Sua paisagem exuberante, um espetá- culo natural, guarda muitas histórias. O lugar é um arauto de lembranças de muitos que, na época, viveram momentos festivos, atraindo toda a região para os famosos bailes e festas, jogos e romances, isto sem descartar a bela paisagem. Além da memória saudosa, a mata ainda guarda surpresas. Uma delas é uma figueira centenária, árvore frondosa conhecida como figueira branca. A espécie nativa, envolta neste ambiente fecundo, ainda pode ser encontrada, preservada há décadas. Aliás, preservar a mata sempre foi prioridade para o senhor Bráulio, que acabou passando para os filhos e netos esse valor ambiental de conservação. A mata se tornou um campo sagrado para a família, pois é lá que estão espalhadas as cinzas do casal Bráulio Barbosa Ferraz e sua esposa Aracy Barbosa, homem que, com personalidade ímpar, ajudou a construir o que hoje conhecemos por Andirá.

[close]

p. 13

INTEGRAÇÃO COM A NATUREZA Apesar de sua visão empreendedora, a preservação sempre foi primazia. Bráulio antecipou as técnicas de manejo com o solo, e inaugurou na região o “plantio direto”, hoje muito difundido na agricultura, especialmente pelo seu valor sustentável. Dentro dessas medidas, que antecipavam seu tempo, o senhor Bráulio Barbosa foi fiel à manutenção e à preservação da mata, medida que hoje é garantida pelo Código Florestal, reservando no mínimo de 20% da mata nativa, de acordo com o bioma da região. A filha mais nova, dona Regina, que ainda reside na fazenda das Antas, reconhece no pai, as características de um visionário, que, com sensibilidade, posicionava-se à frente de seu tempo. “Bráulio era um grande homem, com visão empreendedora e sensível conseguia conjugar e aproximar a natureza ao ser humano.” Esse patrimônio ambiental, localizada aos arredores de Andirá, é uma riqueza singular, preservado desde suas origens, conserva além de uma bela paisagem, um conteúdo histórico quase que obrigatório para retratar a formação do município. Um legado deixado pela família do senhor Bráulio que não deve ser esquecida pelas próximas gerações e que deve ser reconhecida como um instrumento pedagógico-histórico facilitador que mantém viva a nossa história. Andirá Empreenderora 13

[close]

p. 14

MEIO AMBIENTE Reconstituição da Mata Ciliar com reflorestamento A 14 Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Andirá, em parceria com o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e a Emater, iniciaram um trabalho de arborização urbana, reserva legal e reconstituição da mata ciliar. As atividades iniciadas em 2006 têm como objetivo promover iniciativas de preservação ambiental com a produção de mudas que serão distribuídas sem custo para os agricultores da região, fornecendo espécies nativas para o reflorestamento: aroeira pimenteira, pau viola, jenipapo, araçá, palmito juçara, jatobá, peroba rosa, ipê roxo, amarelo e o branco, óleo cabreúva, dentre outras. Nesta mesma visão ambiental, a Duke Energy, em parceria com o município, incentiva o resgate da Mata Ciliar ao lado do Canoas I e II. Atualmente, o município possui áreas estabelecidas de aproximadamente 20 hectares de Mata Ciliar. Outro ponto estratégico na questão da preservação e cuidado com o ecossistema local é manutenção do viveiro municipal, com aproximadamente 50 espécies nativas. Apesar da diversidade de mudas e da distribuição gratuita, o Andirá Empreenderora

[close]

p. 15

interesse da população ainda é restrito. Segundo o engenheiro agrônomo da Prefeitura de Andirá, Manoel Antonio de Carvalho, responsável pelo setor, o interesse dos agricultores na busca pelas mudas também poderia ser maior. De acordo com o Novo Código Florestal e a necessidade de fazer o CAR – Cadastro Ambiental Rural, segundo o órgão ambiental responsável da região (o IAP), haverá obrigatoriedade dos agricultores reconstituírem a mata ciliar. O Novo Código Florestal impõe mudanças para as propriedades rurais com a necessidade de reconstituição da Mata Ciliar e a reserva legal, em conformidade com área da propriedade. “Frente às mudanças do Código Florestal, o homem do campo se vê obrigado a repensar suas práticas, inclusive o aproveitamento destes recursos que estão disponíveis no viveiro de mudas em Andirá”, conclui Carvalho. Andirá Empreenderora 15

[close]

Comments

no comments yet