Redes Eletricas

 

Embed or link this publication

Description

Redes Elétricas Inteligentes

Popular Pages


p. 1

Redes Elétricas Inteligentes Diálogo Setorial Brasil-União Europeia (2014) PROJETO APOIO AOS DIÁLOGOS SETORIAIS UNIÃO EUROPEIA - BRASIL

[close]

p. 2

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes Brasil, novembro de 2014 Instituições responsáveis: Brasil: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) Esplanada dos Ministérios, Bloco E CEP: 70067-900 - Brasília/DF Responsável da Ação Alvaro Toubes Prata e-mail: prata@mcti.gov.br Telefone: +55 {61} 2033.7800 Responsável Operacional Eduardo Soriano Lousada e-mail: esoriano@mcti.gov.br Telefone: +55 {61} 2033.7867 Europa: Joint Research Centre (JRC) Responsável Externo Marcelo Masera E-mail: marcelo.masera@ec.europa.eu Telefone:+31 224 56 5403 2

[close]

p. 3

Direção Nacional do Projeto Diálogos Setoriais Secretaria de Gestão Pública Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão + 55 61 2020.8527/1704/1823 dialogos.setoriais@planejamento.gov.br www.dialogossetoriais.org Consultores contratados pelo Projeto e autores dos estudos publicados neste documento: 1) Perito Sênior Local Marcelo Aparecido Pelegrini marcelo.pelegrini@sinapsisenergia.com Conteúdo dos itens: 1, 2, 3, 4, 10, 11, 12, 13, 18, 19, 20, 21, 25, 26, 27 e 28. 2) Perita Sênior Externa Zita A. Vale zav@isep.ipp.pt / email.zitavale@gmail.com www.linkedin.com/in/zitavale Conteúdo dos itens: 5, 6, 7, 8, 9, 14, 15, 16, 17, 22, 23, 24, 29, 30, 31 e 32. Equipe técnica do MCTI responsável pela colaboração na revisão do documento: Eng. Dante Hollanda, M.Sc., Tecnologista em Ciência e Tecnologia – MCTI Eng. Jairo Coura, Analista em Ciência e Tecnologia – MCTI 3

[close]

p. 4

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes 4

[close]

p. 5

Nota Introdutória O presente documento reflete a exposição dos produtos elaborados pelos consultores contratados (Marcelo Pelegrini e Zita Vale) pelo Projeto Apoio aos Diálogos Setoriais, em sua 7ª Convocatória, no ano de 2014. Aborda-se no presente estudo a concatenação de oito produtos que contemplam os seguintes tópicos: i) Identificação de projetos relevantes no Brasil e na Europa na área de Redes Elétricas Inteligentes (REI); ii) Informação sobre os fabricantes/fornecedores dos equipamentos que compõem a infraestrutura de REI no Brasil e na Europa, tais como: medidores (smart meters), chaves, transformadores, disjuntores, religadores, etc.; iii) Identificação de instituições públicas e privadas no Brasil e na Europa, tais como: centros de pesquisa, universidades e institutos que atuaram, estão atuando ou pretendem atuar em projetos relacionados ao tema de REI e; iv) Análise das políticas industriais e de ciência e tecnologia no Brasil e na Europa. O texto informa sobre questões importantes relativas ao tema de REI no País e no exterior e busca servir de subsídio para a elaboração de Políticas Públicas em Ciência, Tecnologia e Inovação, bem como Industriais. Espera-se que este Relatório Final do Diálogo Setorial em REI, coordenado pelo MCTI, possa mobilizar ações de outros atores governamentais, bem como empresariais e acadêmicos. Com esta publicação o MCTI contribui no desenvolvimento das REI no País e antevê a aceleração das políticas públicas nessa área. 5

[close]

p. 6

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes SUMÁRIO 1. METODOLOGIA DA ELABORAÇÃO DO ESTUDO ACERCA DOS PROJETOS BRASILEIROS......................................15 2. DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO SOBRE OS PROJETOS BRASILEIROS...............................................................17 2.1 REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES................................................................................................................................17 2.2 PROGRAMA DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO ANEEL..............................................................................................20 3. RESULTADOS - projetos de REI no Brasil...........................................................................................................23 3.1 CONCESSIONÁRIAS BRASILEIRAS DE DISTRIBUIÇÃO......................................................................................................24 3.1.1 COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG DISTRIBUIÇÃO..................................................................24 3.1.2 LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE....................................................................................................................26 3.1.3 ELETROBRAS AMAZONAS ENERGIA ...................................................................................................................29 3.1.4 AMPLA ENERGIA E SERVIÇOS S. A......................................................................................................................30 3.1.5 COMPANHIA ENERGÉTICA DE PERNAMBUCO – CELPE.........................................................................................32 3.1.6 EDP BANDEIRANTE............................................................................................................................................33 3.1.7 COMPANHIA PAULISTA DE FORÇA E LUZ – CPFL.................................................................................................35 3.1.8 COMPANHIA ENERGÉTICA DO CEARÁ – COELCE.................................................................................................37 3.1.9 COMPANHIA PARANAENSE DE ENERGIA – COPEL...............................................................................................38 3.1.10 ELEKTRO.........................................................................................................................................................39 3.1.11 AES ELETROPAULO..........................................................................................................................................40 3.2 CONCESSIONÁRIAS BRASILEIRAS DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO.................................................................................43 3.2.1 FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS...........................................................................................................................44 3.2.2 COPEL GT.........................................................................................................................................................45 3.2.3 PETROBRAS......................................................................................................................................................45 3.2.4 COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO – CHESF..............................................................................46 3.2.5 COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - CEEE-GT....................................................47 3.2.6 ELETROSUL CENTRAIS ELÉTRICAS....................................................................................................................48 3.2.7 CENTRAL GERADORA TÉRMELÉTRICA FORTALEZA – CGTF – ENDESA FORTALEZ...............................................48 3.2.8 COMPANHIA DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PAULISTA – CTEEP.......................................................49 3.2.9 AES TIETÊ.........................................................................................................................................................49 3.2.10 CEMIG GT.......................................................................................................................................................49 6

[close]

p. 7

4. CONCLUSÕES ACERCA DOS PROJETOS BRASILEIROS.......................................................................................51 5. POLÍTICAS ENERGÉTICAS E REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES NA EUROPA........................................................54 6. METODOLOGIA PARA O ESTUDO SOBRE OS PROJETOS EUROPEUS...................................................................58 7. DESENVOLVIMENTO E RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE OS PROJETOS EUROPEUS..........................................59 7.1 REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES: NOÇÕES E CONCEITOS DE BASE..............................................................................59 7.2 SMART METERING NA EUROPA...................................................................................................................................62 7.2.1 PROJETO METER-ON.........................................................................................................................................72 7.3 PROJETOS DE REI NA EUROPA....................................................................................................................................76 7.3.1 INVENTÁRIO DO JOINT RESEARCH CENTRE.........................................................................................................76 7.3.1.1 INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES NOS PROJETOS DE REI INVENTARIADOS PELO JOINT RESEARCH CENTRE (JRC)..79 7.3.1.2 PROJETOS INICIADOS EM 2013-2014.............................................................................................................89 7.3.2 OUTROS PROJETOS REI NA EUROPA...................................................................................................................89 8. ANÁLISE CRÍTICA SOBRE OSA RESULTADOS DO ESTUDO ACERCA DOS PROJETOS EUROPEUS..........................93 8.1 ANÁLISE DE RESULTADOS DE PROJETOS DE REI PELA EEGI..........................................................................................96 9. CONCLUSÕES SOBRE O ESTUDO ACERCA DOS PROJETOS EUROPEUS............................................................................101 10. METODOLOGIA PARA IDENTIFICAÇÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL............................................102 11. DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO PARA IDENTIFICAÇÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL..................103 11.1 PRODUTOS DE REI....................................................................................................................................................103 11.2 FORNECIMENTO DE PRODUTOS NOS PROJETOS DE REI NO BRASIL............................................................................105 12. RESULTADOS SOBRE O ESTUDO PARA IDENTIFICAÇÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL...................110 12.1 ESTRUTURA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL...................................................................................................110 12.2 CADEIA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL..........................................................................................................113 13. CONCLUSÕES SOBRE O ESTUDO PARA IDENTIFICAÇÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO DE REI NO BRASIL..................114 14. REQUISITOS PARA UMA INFRAESTRUTURA DE REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES (ESTUDO EUROPEU)............116 15. METODOLOGIA PARA IDENTIFICAÇÃO DOS FABRICANTES E FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS DOS PROJETOS DE REI NA EUROPA..............................................................................................................................120 16. DESENVOLVIMENTO E RESULTADOS SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DOS FABRICANTES E FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS DOS PROJETOS DE REI NA EUROPA............................................................................................121 7

[close]

p. 8

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes 16.1 EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS À INFRAESTRUTURA DE REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES...........................................121 16.2 FORNECEDORES DOS EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS À INFRAESTRUTURA DE REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES..................122 16.2.1 INTRODUÇÃO...................................................................................................................................................122 16.2.2 PRINCIPAIS FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS DE REI...................................................................................123 16.2.3 SMART METERS DOS PROJETOS REPORTADOS PELO PROJETO METER-ON.......................................................125 17. CONCLUSÕES SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DOS FABRICANTES E FORNECEDORES DE EQUIPAMENTOS DOS PROJETOS DE REI NA EUROPA..............................................................................................................................127 18. METODOLOGIA PARA IDENTIFICAÇÃO DE CENTROS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM REI NO BRASIL............................................................................................................................................................128 19. DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO PARA IDENTIFICAÇÃO DE CENTROS DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM REI NO BRASIL..............................................................................................................................................129 19.1 MAPEAMENTO DOS CPD&IS......................................................................................................................................129 20. RESULTADOS SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DE CPD&I NA ÁREA DE REI NO BRASIL................................................135 20.1 CPD&I NOS PROJETOS DE REI NO BRASIL.................................................................................................................135 20.2 RELACIONAMENTO DOS CPD&I COM AS EMPRESAS DE ENERGIA...............................................................................137 20.3 RELACIONAMENTO DOS CPD&I COM FORNECEDORES DE REI....................................................................................141 21. CONCLUSÕES SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DE CPD&I NA ÁREA DE REI NO BRASIL...............................................143 22. METODOLOGIA PARA SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DE CPD&I NA ÁREA DE REI NA EUROPA...................................144 23. DESENVOLVIMENTO E RESULTADOS SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DE CPD&I NA ÁREA DE REI NA EUROPA............145 23.1 PROJETOS DE REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES NA EUROPA: PESQUISA....................................................................145 23.2 PROJETOS DE REDES ELÉTRICAS INTELIGENTES NA EUROPA: INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES......................................147 23.2.1 INFORMAÇÃO RESULTANTE DO INVENTÁRIO DO JRC.........................................................................................147 23.2.2 INFORMAÇÃO DE ACESSO PÚBLICO E SUAS LIMITAÇÕES..................................................................................150 23.2.3 INSTITUIÇÕES DE INVESTIGAÇÃO PARTICIPANTES EM PROJETOS DE REI NA EUROPA.........................................151 24. ANÁLISE CRÍTICA DOS RESULTADOS E CONCLUSÕES SOBRE A IDENTIFICAÇÃO DE CPD&I NA ÁREA DE REI NA EUROPA......................................................................................................................................................157 25. METODOLOGIA PARA ESTUDO SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NO BRASIL..............................................160 26. DESENVOLVIMENTO DO ESTUDO SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NO BRASIL..........................................160 26.1 POLÍTICAS PÚBLICAS................................................................................................................................................160 26.2 TIPOLOGIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS..........................................................................................................................161 26.3 INSTRUMENTOS DE APOIO E A ATUAL POLÍTICA INDUSTRIAL DO BRASIL.....................................................................162 8

[close]

p. 9

27. RESULTADOS SOBRE O ESTUDO DE POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NO BRASIL.................................................166 27.1 DIAGNÓSTICO DE BARREIRAS...................................................................................................................................166 27.2 UM NOVO ARRANJO.................................................................................................................................................170 28. CONCLUSÕES SOBRE O ESTUDO DE POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NO BRASIL................................................176 29. METODOLOGIA PARA ESTUDO SOBRE POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NA EUROPA.............................................178 30. DESENVOLVIMENTO E RESULTADOS SOBRE O ESTUDO ACERCA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NA EUROPA...... 179 30.1 HORIZON 2020.........................................................................................................................................................179 30.1.1 OS TRÊS PILARES FUNDAMENTAIS DO H2020...................................................................................................180 30.1.2 REGRAS BÁSICAS PARA PARTICIPAÇÃO NO H2020...........................................................................................182 30.1.3 A ÁREA DA ENERGIA E DAS REI NO ÂMBITO DO H2020.....................................................................................185 30.2 A REDE EUREKA........................................................................................................................................................186 30.2.1 ITEA 3.............................................................................................................................................................187 30.2.2 EUROGIA2020.................................................................................................................................................188 30.3 FINANCIAMENTO DE PROJETOS DE REI NA EUROPA...................................................................................................189 31. ANÁLISE CRÍTICA DOS RESULTADOS SOBRE O ESTUDO ACERCA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NA EUROPA..... 195 32. CONCLUSÕES SOBRE O ESTUDO ACERCA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS EM REI NA EUROPA...............................196 33. REFERÊNCIAS.................................................................................................................................................196 9

[close]

p. 10

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes LISTA DE FIGURAS Figura 1: Principais Projetos de REI no Brasil........................................................................................................................... 23 Figura 2: Região de Sete Lagoas, MG. Área piloto do projeto Cidades do Futuro........................................................................ 25 Figura 3: Instalação de Medidores Inteligentes projeto Cidade Inteligente Búzios....................................................................... 31 Figura 4: Instalação de medidores inteligentes na cidade de Aparecida do Norte, no projeto InovCity.......................................... 34 Figura 5: Cidade de Aquiraz, local do projeto de REI da Coelce................................................................................................. 37 Figura 6: Local do Piloto Paraná Smart Grid............................................................................................................................ 38 Figura 7: Percentual de Projetos de P&D em REI por tema nos segmentos GT........................................................................... 43 Figura 8: Níveis de maturidade das concessionárias de distribuição em REI.............................................................................. 53 Figura 9: Visão global dos resultados das análises Custo Benefício para o rollout de âmbito nacional até 2020, com base nos dados disponíveis em julho de 2013......................................................................................................................... 64 Figura 10: Estado e timeline dos planos de rollout correspondentes aos 16 Estados- Membros que tomaram ou deverão tomar decisão positiva sobre esse mesmo rollout até 2020 para pelo menos 80% dos respectivos consumidores, com base nos dados disponíveis de julho de 2013........................................................................................................................................ 65 Figura 11: Esquema geral de funcionamento do projeto Meter-ON........................................................................................... 73 Figura 12: Timeline dos projetos cuja informação foi obtida na primeira fase do Meter-ON......................................................... 75 Figura 13: Timeline dos projetos cuja informação foi recolhida na primeira fase do Meter-ON.................................................... 75 Figura 14: Informação resumida sobre os projetos de REI na Europa catalogados no inventário de 2014.................................... 77 Figura 15: Investimento em projetos de REI, por tipo de instituição. O gráfico da esquerda refere-se a valores de investimento total e o gráfico da direita a valores de investimento privado.................................................................................................... 80 Figura 16: Valores percentuais respeitantes ao estado de desenvolvimento dos projetos e ao investimento por tipo de instituição......................................................................................................................................................................... 82 Figura 17: Valores absolutos e percentuais relativos a projetos de desenvolvimento e demonstração e de pesquisa e desenvolvimento para os anos entre 2004 e 2013................................................................................................................ 83 Figura 18: Distribuição geográfica das instituições envolvidas em projetos de REI...................................................................... 83 Figura 19: Distribuição geográfica das instituições envolvidas.................................................................................................. 84 Figura 20: Número de instituições participantes por país, divididas pelos diversos tipos de instituição considerados em projetos de REI, considerando o orçamento total................................................................................................................................... 85 Figura 21: Distribuição do investimento por tipo de instituição e por país.................................................................................. 86 Figura 22: Distribuição do investimento por tipo de instituição e por área de aplicações dos projetos.......................................... 87 Figura 23: Distribuição do investimento por tipo de aplicação e por país................................................................................... 88 10

[close]

p. 11

Figura 24: Projetos funcionais (D1 a D12) considerados pelo EEGI............................................................................................ 97 Figura 25: Projetos de REI na Europa divididos nos projetos funcionais considerados pelo EEGI functional projects; Nota: Cores mais escuras indicam um maior número de projetos em curso no ano em causa..................................................... 98 Figura 26: Progresso dos projetos funcionais D1-D12 (análise de lacunas)............................................................................... 99 Figura 27: Estrutura da Cadeia de Fornecimento de REI........................................................................................................... 112 Figura 28: Cadeia de Fornecimento de REI no Brasil (Consideradas na avaliação as empresas que permitiram a disponibilização de seus nomes nos resultados do levantamento realizado pela ABDI)........................................................................................ 113 Figura 29: Mapa de relacionamento dos CPD&Is com as concessionárias de energia do Brasil................................................... 137 Figura 30: Aspecto da página http://cordis.europa.eu/projects/home_en.html para pesquisa de projetos.................................... 146 Figura 31: Aspecto da informação fornecida para os participantes em projetos na página.......................................................... 146 Figura 32: Distribuição geográfica das organizações envolvidas em projetos de REI http://cordis.europa.eu/projects/home_en.html...................................................................................................................... 148 Figura 33: Distribuição geográfica das organizações envolvidas em projetos de REI, considerando o orçamento total................... 148 Figura 34: Número de organizações participantes por país, divididas em diversos tipos de organização considerados.................. 149 Figura 35: Base de Medidores Inteligentes residenciais no Brasil.............................................................................................. 171 Figura 36: Cenário atual de ações de REI no Brasil.................................................................................................................. 172 Figura 37: Arranjo proposto para REI no Brasil......................................................................................................................... 173 Figura 38: Esquema do arranjo proposto para REI.................................................................................................................... 177 11

[close]

p. 12

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes 12

[close]

p. 13

LISTA DE TABELAS Tabela 1. Percentual da ROL aplicado em P&D no Setor Elétrico...............................................................................................20 Tabela 2. Áreas de atuação das empresas de Distribuição em REI [25].....................................................................................52 Tabela 3. Resumo estatístico dos parâmetros chave relativos ao rollout....................................................................................65 Tabela 4. Cenários utilizados para a análise custo benefício pelos Estados-Membros que já completaram o rollout.....................66 Tabela 5. Cenários utilizados para a análise custo benefício pelos Estados-Membros que completarão o rollout até 2020...........67 Tabela 6. Cenários utilizados para a análise custo benefício pelos Estados-Membros que não completarão o rollout de âmbito nacional até 2020..................................................................................................................................................................68 Tabela 7. Custos e benefícios considerados pelos Estados-Membros para as análises custo benefício........................................69 Tabela 8. Resumo dos principais aspectos relativos à forma como é feito o rollout dos smart meters para os Estados-Membros que decidiram fazer o respectivo rollout para pelo menos 80% dos pontos de medição..............................................................70 Tabela 9. Resumo dos aspectos principais relativos de desenvolvimento dos smart meters para os Estados-Membros que decidiram não fazer o respectivo rollout em larga escala (para pelo menos 80% dos pontos de medição)....................................71 Tabela 10. Informação sobre os projetos de smart metering Europeus reportados pelo Meter-ON [http://www.meter-on.eu]........74 Tabela 11. Alguns dos projetos de maior dimensão iniciados em 2013.....................................................................................89 Tabela 12. Lista de projetos que já obtiveram o label EEGI até à data de publicação do presente documento..............................90 Tabela 13. Alguns projetos da área de REI que não estão incluídos no catálogo produzido pelo JRC...........................................91 Tabela 14. Fornecimento de Produtos nos Projetos de REI do Brasil..........................................................................................106 Tabela 15. Fornecedores importantes na área das REI.............................................................................................................124 Tabela 16. Informação sobre os fornecedores de smart meters instalados em alguns dos projetos reportados pelo Meter-ON......126 Tabela 17. Áreas de atuação das CPD&Is nas linhas de pesquisa em REI..................................................................................130 Tabela 18. Áreas de atuação dos CPD&Is................................................................................................................................131 Tabela 19. CPD&Is participantes dos projetos demonstrativos de REI no Brasil..........................................................................136 Tabela 20. CPD&Is participantes do Inova Energia...................................................................................................................139 Tabela 21. CPD&Is participantes da chamada pública CNPq / MCTI..........................................................................................140 Tabela 22. Mapeamento dos CPD&Is mais atuantes com empresas fornecedoras de REI...........................................................141 Tabela 23. Países e respectivo número de instituições listadas no Anexo 5...............................................................................153 Tabela 24. Países e respectivo número de instituições listadas no Anexo 6...............................................................................154 Tabela 25. Informação relativa às instituições listadas no Anexo 6.............................................................................................155 Tabela 26. Metas do Plano Brasil Maior..................................................................................................................................162 Tabela 27. Lista de projetos ITEA cujo foco é a área da energia................................................................................................188 Tabela 28. Lista dos programas que proporcionaram financiamento aos projetos considerados..................................................190 13

[close]

p. 14

ENER0001 - 7ª CONVOCATÓRIA - Diálogo setorial em redes elétricas inteligentes 14

[close]

p. 15

1. METODOLOGIA DA ELABORAÇÃO DO ESTUDO ACERCA DOS PROJETOS BRASILEIROS Pela própria natureza do objetivo proposto, a Metodologia utilizada neste trabalho é fortemente baseada na investigação do estado atual dos projetos relacionados ao tema Redes Elétricas Inteligentes (REI) no Brasil nos segmentos de Distribu ição, Transmissão e Geração, em especial, por meio de documentos recentes que permitiram a identificação precisa de informações sobre esses projetos. Em seguida, os projetos considerados de maior relevância são descritos de forma detalhada considerando cada uma das áreas que norteiam o conceito de REI. Os projetos a serem descritos foram selecionados com base na existência de integração entre as diferentes áreas de atuação das REI para experimentação em uma mesma área, representada pela região piloto. Por fim, as iniciativas de cada uma das concessionárias de distribuição, as maiores impactadas pelas REI, são classificadas conforme um determinado nível de maturidade que demonstra, não só o estágio atual da atuação em REI da empresa, como a tendência futura para as suas iniciativas nessa área. 15

[close]

Comments

no comments yet