Relatório de Atividades do 7º Ciclo de Ações da Comunidade da Construção de Goiânia

 
no ad

Embed or link this publication

Description

Relatório que descreve todas as atividades realizadas pela Comunidade da Construção de Goiânia em seu Sétimo Ciclo de Ações encerradas no ano de 2014.

Popular Pages


p. 1

COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO DE GOIÂNIA 7 Ciclo de Ações 2014

[close]

p. 2

Ficha Técnica INICIATIVA Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás – Sinduscon-GO Presidente – Carlos Alberto de Paula Moura Júnior Associação Brasileira de Cimento Portland – ABCP Presidente – Renato José Giusti ELABORAÇÃO Engenheira Civil Daniela Castro Silva REALIZAÇÃO Comunidade da Construção de Goiânia COORDENAÇÃO DA COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO Coordenação Nacional – Glécia Vieira Gerência Regional ABCP-CO – Fernando César Crosara Coordenação Regional – Waldir Belisário dos Santos Júnior (ABCP-CO) Coordenação Técnica – Dr. Oswaldo Cascudo (UFG) Coordenação Institucional – Wellington Guimarães (Sinduscon-GO) Coordenação Operacional – Daniela Castro Silva (Sinduscon-GO) APOIO Universidade Federal de Goiás – UFG PROJETO GRÁFICO Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-GO REVISÃO TÉCNICA Dr. Oswaldo Cascudo – UFG REVISÃO ORTOGRÁFICA E GRAMATICAL Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-GO CAPA Residencial Ilha Bela Fotografia: Engenheiro Civil Emerson Soares de Andrade Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás Rua João de Abreu, nº 427, Setor Oeste, Goiânia-GO – CEP: 74120-110 comunidadedaconstrucao@sinduscongoias.com.br Telefones: (62) 3095 5155 / (62) 3095 5178 2 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 3

Sumário Ficha Técnica ............................................................... 02 Comunidade da Construção ..................................... 04 Agentes Envolvidos ...................................................... 04 Por que participar? ....................................................... 05 Atividades Desenvolvidas ........................................... 05 Comunidade de Goiânia .............................................. 06 7º Ciclo ....................................................................... 07 Projetos Especiais Café da Manhã em Obra ................................ 08 Seminários ........................................................ 11 Fóruns ................................................................ 14 Cursos ............................................................... 16 Grupos de Trabalho Programa de Desenvolvimento de Construtoras ... 19 Oficina da Norma de Desempenho ....................... 22 Estatísticas do 7º Ciclo .............................................. 26 Canais de Comunicação ............................................ 28 Agradecimento ........................................................... 29 Empresas Participantes ................................................. 30 7º Ciclo de Ações 3

[close]

p. 4

Comunidade da Construção A Comunidade da Construção é um movimento nacional pela integração dos agentes da cadeia produtiva e desenvolvimento dos processos construtivos à base de cimento. Sua formação é um processo contínuo e gradativo e a sua base de funcionamento é a troca positiva. Partindo da contribuição (financeira, de conhecimento e de articulação) de cada empresa ou profissional, os membros passam a fazer parte de uma rede sinérgica, em que todos colhem os frutos da organização e da cooperação de cada um. Em seus 12 anos de atuação, a Comunidade capacitou mais de 35 mil profissionais, envolvendo mais de 470 construtoras/incorporadoras, 30 entidades, Sinduscons em 22 cidades, além dos demais agentes da cadeia produtiva – indústrias, projetistas, prestadores de serviço, laboratórios e instituições de ensino e pesquisa. Atualmente, o projeto está presente em 21 polos: Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Natal, Recife, Salvador, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Ribeirão Preto, São Paulo, Sorocaba, Vale do Paraíba, Vitória, Volta Redonda, Três Rios, Uberlândia e Guarapari. À frente do movimento estão os Sindicatos da Indústria da Construção (Sinduscons) e a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP). Agentes Envolvidos PROJETISTAS CONSULTORES ENGENHEIROS CIVIS EMPREITEIROS FABRICANTES SINDUSCONS CONSTRUTORAS ENTIDADES LABORATÓRIOS ARQUITETOS UNIVERSIDADES 4 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 5

Por que participar? • • • • • • • • • • • Acesso facilitado a todos os elos da cadeia produtiva; Abrangência nacional; Conhecimento de novas práticas construtivas; Informações sistematizadas; Rede de relacionamento; Benchmarking entre o grupo participante; Suporte técnico e mercadológico aos projetos; Aumento da competitividade no mercado; Melhoria contínua dos processos; Capacitação profissional; Divulgação nacional dos resultados. Atividades Desenvolvidas • • • • • • • • Cafés da Manhã em Obras; Cursos; Fóruns Permanentes; Programas Específicos; Reuniões Técnicas; Seminários e Simpósios; Visitas técnicas aos canteiros de obras; Workshops. • Visita técnica – Ensaios acústicos na obra Incanto da Consciente Construtora (08/05/2014) • Visita técnica – Empreendimento Órion da FR Incorporadora (06/11/2014) 7º Ciclo de Ações 5

[close]

p. 6

Comunidade de Goiânia A Comunidade da Construção de Goiânia é fruto da parceria entre a ABCP, o Sinduscon-GO e a Universidade Federal de Goiás (UFG). Ao longo de 12 anos de trabalho, o legado deste Programa para a região é a constituição de uma atmosfera representativa da cadeia da construção civil, de caráter amigável, democrática e de muita participação, verdadeiramente rica em troca de experiências. Facilitador e propagador de boas práticas, o polo goiano teve início em agosto de 2002, e em dezembro deste ano encerra o seu 7º Ciclo de atividades, sendo o primeiro polo em nível nacional a iniciar um 8º Ciclo, o que ocorrerá em janeiro de 2015. Com duração de 18 meses, o último ciclo contou com a participação de 42 empresas de grande importância para a indústria da construção no Estado de Goiás, sendo construtoras, incorporadoras, empresas fornecedoras de equipamentos e insumos e um laboratório. Tendo como missão a busca pela melhoria contínua dos processos construtivos, pautada pelo aumento da produtividade e racionalização global desses processos, bem como pela redução de custos e desperdício, a Comunidade local realizou cerca de 40 encontros, entre cursos, treinamentos, palestras, seminários, fóruns permanentes, workshops, cafés da manhã em obra, reuniões técnicas e de planejamento das ações. • Parque Sullivan Silvestre (Parque Vaca Brava) – Goiânia-GO. Fonte: http://www.skyscrapercity.com 6 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 7

7º Ciclo de Ações 2013 a 2014 Em maio de 2013 a Comunidade de Goiânia lançou o seu 7º Ciclo de Ações. Todas as atividades foram pensadas e planejadas com a finalidade de atender as necessidades do mercado e oferecer aos profissionais participantes o máximo de aproveitamento dos conteúdos abordados. Desta vez, o Programa de Melhorias abordou três linhas de trabalho, tendo como temas centrais: Estruturas de Concreto Armado e Alvenaria de Vedação com Blocos de Concreto, Norma de Desempenho, além dos Projetos Especiais. A temática sobre Estruturas de Concreto e Alvenaria de Vedação foi trabalhada dentro do Programa de Desenvolvimento de Construtoras, o PDC. Este programa propiciou um estudo completo e aprofundado do assunto, visando aumentar a competitividade e melhorar o desempenho das construtoras, por meio da difusão das melhores práticas de projeto, planejamento e execução. No que tange à Norma de Desempenho das Edificações (ABNT NBR 15575:2013), as ações foram pensadas e estruturadas por um grupo multidisciplinar composto por especialistas de áreas da engenharia e da arquitetura, os quais auxiliaram na formatação de uma oficina dirigida ao conjunto normativo. Por meio de reuniões periódicas, foram definidos os cinco temas abordados em 2014, onde, com a participação e consenso de todos, foram desenvolvidos os escopos e pré-estabelecidos os conteúdos programáticos, juntamente com as sugestões de nomes de palestrantes e instrutores experientes para cada evento. • IV Concretar – Auditório do Sinduscon-GO (21/10/2014) • Oficina da Norma de Desempenho – Auditório do Sinduscon-GO (03/04/2014) 7º Ciclo de Ações 7

[close]

p. 8

Projetos Especiais - Café da manhã em Obra Residencial Ilha Bela – EBM Construtora Data: 08/08/2013 Na ocasião, 80 visitantes, sendo estes profissionais de empresas aderidas à Comunidade, tiveram a possibilidade de conhecer os aspectos gerais do empreendimento localizado no Setor Faiçalville, em Goiânia. Construídas em alvenaria estrutural, as quatro torres compreendidas por 18 pavimentos cada, foram incluídas no Programa Obras Monitoradas, realizado em 2012. A apresentação feita pelo engenheiro responsável abordou as boas práticas implementadas no canteiro, a logística de abastecimento das torres com grua, os desafios enfrentados e os resultados positivos que foram alcançados pela equipe técnica. Durante a visita os participantes puderam observar algumas soluções construtivas empregadas, como o uso de argamassa e gesso projetados e a utilização de plataforma cremalheira. Terra Mundi – Santos Dumont – Construtora New Inc Data: 10/10/2013 Com um conceito de empreendimento econômico, responsável e inteligente, os gestores da CRV Carvalho, agora New Inc, apresentaram aos 85 profissionais presentes um breve histórico da empresa e dados gerais da obra. Como destaque, a proposta da construtora para instituir uma gestão pós obra, com intenção de, após a entrega das unidades, o condomínio ser administrado por uma ONG a fim de conscientizar e ensinar os moradores como usufruir e conservar os equipamentos e serviços pensados com critérios de sustentabilidade. Nesta visita foi realizada a etapa prática do minicurso de Revestimento de Argamassa. Para tanto, a Comunidade contou com a parceria de 8 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 9

algumas empresas. Foram disponibilizados, pela construtora, sete painéis de teste, além da mão de obra experiente. A argamassa industrializada foi doada pela Precon, os equipamentos de projeção foram cedidos pela Locagyn e pela ANVI, e o Laboratório Carlos Campos realizou diversos ensaios de resistência de aderência nos painéis de teste com idade superior a 28 dias. Condomínio Caribe – Bairro Planejado Parque América – GPL Incorporadora Data: 06/02/2014 Primeira ação de 2014, esta visita contou com a presença de 70 profissionais interessados em conhecer o primeiro bairro planejado de Aparecida de Goiânia, o Parque América. Na oportunidade, o coordenador e engenheiros responsáveis pela obra apresentaram o conceito do novo bairro, o qual terá um parque central, um mall de serviços e 14 áreas para empreendimentos residenciais, totalizando uma área superior a 290.000 m²; além disso, compartilharam com os presentes informações técnicas do condomínio em execução. Em seguida, a empresa parceira Ciplan apresentou um breve institucional e alguns de seus produtos comercializados. Após a reunião, os participantes visitaram o canteiro de obras, observando in loco aspectos como a logística adotada para o abastecimento das cinco torres em elevação. Focus Business Center – Brookfield Incorporações Data: 10/04/2014 A visita técnica neste empreendimento comercial contou com a presença de aproximadamente 50 pessoas. Situado na convergência de duas avenidas movimentadas em Goiânia (T-2 e T-9, no Setor Bueno), o edifício terá dois subsolos, pavimento térreo, dois mezaninos e 22 pavimentos tipos, sendo previsto 308 unidades de salas comerciais. Durante a apresentação foram abordadas algumas das soluções implementadas pela equipe gestora da obra, como a redução do consumo de energia, a implantação do circuito de monitoramento com câmeras, boas práticas na execução de drywall e a consultoria contratada para acompanhar o cronograma de obras. Com o sistema Kanban implantado umas das soluções empregadas foi o controle de tarefas, em que uma nova atividade é iniciada somente após a tarefa anterior ter sido inspecionada e aprovada. 7º Ciclo de Ações 9

[close]

p. 10

Only Marista – Dinâmica Engenharia Data: 07/08/2014 Esta ação contou com a presença de aproximadamente 60 profissionais. Na ocasião, foram apresentados alguns dos programas socioambientais da construtora, destacando-se o Prêmio CBIC de Responsabilidade Social, edição 2014, no qual a empresa foi premiada com o programa Família Mais Dinâmica. Dentre os aspectos técnicos da obra, foram compartilhadas informações gerais quanto aos projetos arquitetônico e estrutural, quanto ao projeto e execução das fundações, quanto à logística de abastecimento dos materiais e, principalmente, em relação à reordenação da sequência de serviços e revisão de procedimentos, fatores que, segundo a construtora, trouxeram vantagens, como melhor organização, limpeza, espaço no canteiro, segurança e redução de retrabalhos na obra. Órion – Business & Health Complex – FR Incorporadora Data: 06/11/2014 O último Café da Manhã em Obra de 2014 reuniu mais de 100 profissionais no canteiro do complexo de negócios lançando na Capital. Este será composto por um Business Center com 308 salas, um centro clínico com 356 salas, um hospital com 150 leitos, um hotel com 260 apartamentos, um shopping center com 62 lojas, além de estacionamento com mais de 1.400 vagas. Na ocasião, foram apresentadas informações técnicas sobre o planejamento e construção desta obra, tais como: o projeto de logística adotado, o tipo de fundação e o seu processo executivo, e o cronograma visual de elevação da estrutura, dentre outros aspectos. Também teve destaque a apresetação do sistema de fôrmas importado pela Locagyn para atender às necessidades construtivas do empreendimento. Após explanação do engenheiro, os profissionais puderam ver de perto o processo construtivo em andamento. 10 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 11

Projetos Especiais - Seminários Seminário Argamassa Projetada – Sistema de Revestimento Racionalizado Local: Auditório do Sinduscon-GO Data: 20/06/2013 Este encontro marcou o início do 7º Ciclo de Ações da Comunidade de Goiânia, quando foram recebidos 115 profissionais que participaram de quatro palestras seguidas de dois debates, sendo discutidos procedimentos, materiais e equipamentos do sistema de projeção mecanizada de argamassa para revestimento. A primeira palestra foi apresentada pela engenheira Elza Hissae Nakakura, consultora da ABCP, que abordou o tema “Argamassa Projetada como Alternativa de Racionalização”. Na sequência, o engenheiro Ângelo Just, responsável pelo setor de Habitação da Tecomat – Tecnologia da Construção e Materiais Ltda., de Recife, apresentou sobre o “Sistema da Mecanização em Revestimentos”. Depois, foi a vez da explanação do engenheiro Fábio Campora, diretor executivo da Associação Brasileira de Argamassa Industrializada (ABAI) e diretor presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Cal (ABPC), que discorreu sobre “Recursos para Implantação: Materiais x Equipamentos”, envolvendo a logística da obra e equipes de aplicação. A última palestra tratou sobre a “Maximização de Resultados no Processo de Projeção de Argamassa em Edifício”, tema abordado por Rodolfo Araújo da Silva, sócio gerente da Poli Engenharia Ltda. e gerente de produção da Souza Netto Engenharia. 3º Ecos – Encontro sobre Construção e Sustentabilidade Local: Auditório do Sinduscon-GO Data: 22/08/2013 Dividido em dois painéis, este encontro atraiu cerca de 150 profissionais. Com o tema “Ações do Setor Público”, o primeiro painel contou com a participação de Flávio Yuaça, diretor de Informações Urbanas e Geoprocessamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável de Goiânia (Semdus), na qual se apresentou o programa “Goiânia Cidade Sustentável”, projeto que objetiva identificar os problemas e propõe ações para mitigá-los antes que se tornem insolúveis ou de solução difícil e onerosa. Na sequência, Weber Coutinho, gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Belo Horizonte/MG (SMMA), apresentou o Programa de Certificação em Sustentabilidade Ambiental do Município. Em sua opinião, o referido programa é um exemplo de como se trabalhar as políticas públicas para induzir o desenvolvimento sustentável nas cidades. Para encerrar o painel, o biólogo da Agência Municipal do Meio Ambiente de Goiânia (AMMA), Pedro Henrique Baima Paiva, falou sobre as ações do município para a “Gestão Sustentável de Resíduos Sólidos da Construção Civil”. 7º Ciclo de Ações 11

[close]

p. 12

Com a temática “Iniciativas do Mercado”, o segundo painel foi aberto pelo coordenador do Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção (CDSC) da Fundação Dom Cabral, economista Rafael Tello, que discorreu sobre a importância do engajamento das empresas de Goiás para a disseminação de práticas sustentáveis na indústria da construção. Antes do encerramento do evento foram apresentados quatro cases de iniciativas sustentáveis adotadas pelas construtoras goianas, os quais constam no Guia CBIC de Boas Práticas em Sustentabilidade na Indústria da Construção. Seminário Desempenho das Edificações Local: Auditório do Sinduscon-GO Data: 29/10/2013 Com um público de aproximadamente 130 pessoas, o evento teve como objetivo reunir especialistas de reconhecida competência para apresentar os pontos críticos relativos aos critérios da norma ABNT NBR 15575 e debater, juntamente com os profissionais do setor, esse tema, que é considerado um divisor de águas na história da indústria da construção nacional. “Parâmetros para Qualidade Acústica nas Edificações Conforme a NBR 15575” foi a palestra de abertura, ministrada pela arquiteta Cândida de Almeida Maciel, especialista em Engenharia Acústica de Edifícios e Ambiental pela FDTE-USP, sócia e consultora na Síntese Acústica Arquitetônica – Brasília/DF. Na sequência, o engenheiro Luiz Henrique Manetti, gerente técnico de Engenharia da Portobello – São Paulo/SP, apresentou algumas implicações decorrentes desse atual conjunto normativo. Em sua opinião, a Norma de Desempenho de Edificações Habitacionais facilita a comparação dos atributos do imóvel, permitindo, também, a avaliação dos sistemas inovadores e servindo de parâmetro em casos de demanda jurídica. 12 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 13

Encerramento das Atividades de 2013 Local: Auditório do Sinduscon-GO Data: 11/12/2013 Com o objetivo de celebrar os resultados positivos alcançados em 2013 e o encerramento das atividades do ano, mais de 60 profissionais participaram de almoço de confraternização realizado no Espaço Cultural do Sinduscon-GO. Em um primeiro momento, a professora Dra. Helena Carasek apresentou os resultados da etapa prática do minicurso de Revestimento de Argamassa. Diante dos números obtidos através dos ensaios de resistência de aderência, a professora informou que a projeção de argamassa contribuiu para uma melhor aderência do revestimento quando comparada à aplicação manual, bem como reduziu a variabilidade dos resultados, produzindo um revestimento mais homogêneo. Os corpos de prova analisados que obtiveram chapisco prévio e a cura adequada, cura esta tanto do chapisco como do revestimento, resultaram em melhores índices, ou seja, a situação mais favorável apresentou o emprego do chapisco, tempo de cura correto e o uso da argamassa projetada. Na sequência, o assessor executivo da Brasil Minérios, Pedro Garcia, falou sobre a Vermiculita, mineral com ampla possibilidade de uso na construção civil por apresentar características como leveza, não ser inflamável, ser isolante térmico e acústico. Logo após, o engenheiro Waldir Belisário, coordenador regional da Comunidade da Construção de Goiânia e representante regional DF/GO da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), apresentou os números de fechamento do ano 2013 e as perspectivas de ações para 2014. O professor Dr. Oswaldo Cascudo, coordenador técnico do polo goiano da Comunidade da Construção, também palestrou abordando o Controle Tecnológico do Concreto e a importância de realizá-lo, observando os fundamentos da NBR 12655:2006. Ele explicou como realizar este controle a fim de evitar patologias e não conformidades que se não for executado de forma criteriosa, pode permitir que graves problemas ocorram na estrutura. Enfatizou que o “concreto é um material estrutural e, por isso, deve ser trabalhado com muita responsabilidade”. Ao final do evento foi assinado o termo de parceria da pesquisa “Argamassas sustentáveis com fibra de papel Kraft provenientes de sacos de cimento e de cal”, já em execução por pesquisadores da Universidade Federal de Goiás. 7º Ciclo de Ações 13

[close]

p. 14

Projetos Especiais - Fóruns IV Concretar - Fórum sobre Tecnologia do Concreto e Desempenho das Estruturas Data: 21/10/2014 Local: Auditório do Sinduscon-GO Em sua quarta edição, o Concretar teve como tema central “Estruturas de Concreto: dos Parâmetros Prescritivos à Perícia de Engenharia”. Durante o evento foram apresentadas três palestras, sendo a primeira abordada pelo professor doutor em Engenharia Civil, Oswaldo Cascudo. Com o tema “Durabilidade das Estruturas de Concreto: Visão Prescritiva e de Desempenho – Por que se preocupar com essa questão?”, Cascudo destacou que na parte técnica há hoje uma exigência formal de vida útil de projeto mínima de 50 anos para os sistemas estruturais em concreto, formalizada pela Norma de Desempenho de Edificações (NBR 15575). Enfatizou, ainda, que, no campo da durabilidade, as normas técnicas brasileiras já oferecem direcionamentos prescritivos, como a norma de “Projeto de Estruturas de Concreto” (NBR 6118), que tem um capítulo específico sobre durabilidade do concreto, estabelecendo alguns parâmetros que devem ser obedecidos, como a resistência característica à compressão mínima, a relação água/cimento máxima e valores mínimos de cobrimento da armadura, entre outros, em função da classe de agressividade ambiental. 14 7º Ciclo de Ações

[close]

p. 15

Além disso, a abordagem contemporânea baseada no desempenho, voltada à especificação de concretos duráveis e à concepção de estruturas duráveis e sustentáveis, pouco a pouco vem se inserindo no contexto técnico internacional e logo será uma realidade no Brasil. Mediante essa abordagem, será possível assegurar vida útil de projeto (com segurança) às estruturas de concreto, algo ainda impreciso com as normas técnicas brasileiras vigentes. A segunda palestra foi ministrada pelo Prof. Dr. Ércio Thomaz, engenheiro civil, pesquisador do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), que discorreu sobre “Patologias das Estruturas de Concreto: Repercussões no Desempenho Global da Obra”. De acordo com ele, a má execução de obras é a causa principal para ocorrência das patologias, sendo que a manifestação patológica mais importante identificada nas obras é a corrosão das armaduras. Mas em relação à repercussão aos outros elementos das obras destacam-se a fissuração nos painéis de alvenaria e nos encontros alvenaria-estrutura, o descolamento de revestimentos em geral e a ruptura de sistemas de piso pela deformabilidade excessiva da estrutura. Já o engenheiro civil e eletricista, presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais – Ibape/MG (2011-2014), Frederico Correia Lima Coelho, abordou os caminhos da perícia de engenharia por meio do trágico exemplo do desabamento do Viaduto Batalha dos Guararapes, em Belo Horizonte. Com o conceito de que “se aprende com os erros”, ele trouxe o posicionamento dos participantes do projeto, bem como dos envolvidos na execução e na fiscalização da obra, que teve um colapso na estrutura, mostrando as questões de projeto elencadas no laudo de criminalística. Na oportunidade, estiveram presentes aproximadamente 140 profissionais. Lançamento do livro “Durabilidade do Concreto” Durante o IV Concretar ocorreu, também, o lançamento do livro “Durabilidade do Concreto – Bases científicas para a formulação de concretos duráveis de acordo com o ambiente”, editado originalmente por Jean-Pierre Ollivier e Angélique Vichot, tendo por editores da tradução no Brasil os doutores Oswaldo Cascudo e Helena Carasek, professores da Universidade Federal de Goiás (UFG). 7º Ciclo de Ações 15

[close]

Comments

no comments yet