Eco da Tradição - Janeiro 2015

 

Embed or link this publication

Description

Eco da Tradição - Janeiro 2015

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XIII - Nº 161 - JANEIRO 2015 Retrospectiva 2014. Um ano de copa, dificuldades e superação EDITORIAL Um ano para ser lembrado Pág. 02 LEGISLAÇÃO Patronagens devem ficar atentas à nova legislação Pág. 03 RELIGIOSIDADE Pastoral “Fé Gaúcha” Pág. 08 Paginas Centrais FALECIMENTO Morre Vilmar Romera Pág. 19 Equipe que assumiu no Congresso, em Porto Alegre, esteve na 1ª reunião do ano (foto) e abraçou a proposta até o final, participando e dando sua contribuição sempre que preciso.

[close]

p. 2

2 Ano XIII - Edição 161 EDITORIAL Manoelito Carlos Savaris - Presidente Janeiro de 2015 OPINIÃO Por: José Roberto Fischborn Vice-presidente de Eventos Um ano para ser lembrado Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email: ecodatradicao@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com wp.clicrbs.com.br/mtg Contato: 51. 3223-5194 Ao longo da vida das instituições, há anos que são mais lembrados do que outros. As lembranças sempre se referem a episódios ou fatos que marcaram, seja no aspecto positivo, seja no negativo. Nas nossas vidas também é assim. Para o MTG, o ano de 2014 é um daqueles que, por certo, será muito lembrado. Foi o ano em que houve o maior número de entidades tradicionalistas participantes do congresso tradicionalista e da assembleia eletiva. Foram mais de 900 votantes na assembleia. Este foi o ano que iniciou com o maior déficit orçamentário dos últimos 15 anos, por conta das despesas realizadas em 2013 e que consumiram 30% do orçamento de 2014. Também vamos lembrar-nos deste ano porque conseguimos encerá-lo com as finanças equilibradas, apesar do início complicado. Vamos lembrar de 2014 porque foi realizada no Brasil a copa do mundo de futebol e, por isso, foi montado, em Porto Alegre um acampamento extraordinário que se manteve de junho a setembro, resultando num acampamento com duração de quatro meses. Foi neste ano que nasceu o festival gaúcho de danças – FEGADAN, realizado em Caxias do Sul e que haverá de se transformar num evento de grande envergadura no médio prazo. Perdemos, neste ano, quatro valorosos e destacados tradicionalistas. Em janeiro faleceu Lauro Pereira Guimarães, conselheiro benemérito; no mês de abril nos deixou Delci de Souza Dornelles, conselheiro benemérito, ícone do gauchismo na 4ª RT; em setembro foi a vez do conselheiro fiscal Zulmir Sotoriva, de Erexim, transferir-se para o plano superior; e em novembro nos despedimos de Wilmar Winck de Souza, o Provisório, da Palmeira, um dos fundadores do 35 CTG, tradicionalista da primeira hora. Também por isso vamos lembrar de 2014. Este foi o ano em que enfrentamos episódios midiáticos que nos colocaram em xeque. O propalado “casamento coletivo” de Sant’Ana do Livramento obrigou-nos a refletir sobre questões que não faziam parte do nosso cotidiano tradicionalista. Também tivemos que agir com firmeza diante da tentativa de transformar o tiro de laço em mero esporte, mesmo que a lei dos rodeios diga o contrário. Foi também o ano que o exame de anemia infecciosa equina teve a validade estendida para seis meses e a guia de trânsito animal (GTA), ganhou qualidade eletrônica. Vamos nos lembrar do entrevero de peões de Giruá, da ciranda de prendas de Santa Maria, da FECARS de Viamão, da convenção tradicionalista de Caxias do Sul, do acendimento da chama crioula em Cruz Alta, das inter-regionais do ENART realizadas em Camaquã, Ijuí, Porto Alegre e Uruguaiana, da 29ª edição do ENART, do aberto dos esportes de Tramandaí, do Tchêencontro em Flores da Cunha, da festa de aniversário em Lagoa Vermelha e do encerramento do ano com uma comemoração natalina em Marau. Poderíamos citar mais uma centena de fatos que marcaram o ano mesmo porque cada um de nós tem os seus motivos para lembrar de 2014. Espero que entre coisas boas e não boas, fique na retina e na memória um rol de coisas que nos orgulhe e nos dê ânimo para enfrentar o ano de 2015 que, sabidamente, será um ano difícil, especialmente sob o ponto de vista econômico. Sem a Vice-presidência de Eventos E agora? O Movimento Tradicionalista Gaúcho a cada ano se renova, os concursos nos apresentam os novos representantes que se destacam em cada modalidade, mas para que isso seja possível é preciso realizarmos os eventos. Esse tem sido o papel da Vice-Presidência de Eventos do MTG, trabalhar na realização dos eventos juntamente com a Fundação Cultural Gaúcha. Realizamos a 26ª Edição da FECARS na cidade de Viamão, em conjunto com o Dpto Campeiro, Dpto de Narradores, Dpto de Esportes, FCG e a incansável equipe de trabalho. Com a Vice-Presidência de Cultura realizamos a o Seminário Estadual de Prendas e Peões na Cidade de Canoas, O Seminário da Cultura Campeira em Viamão, a 25ª Edição do Entrevero Cultural de Peões em Giruá e a 44ª Edição da Ciranda Cultural de Prendas em Santa Maria, parabéns a Vice Presidência de Cultura e seus departamentos. O 62º Congresso Extraordinário e a 79ª Convenção Tradicionalista em Caxias do Sul, apresentam novidades! Alteração do estatuto encerrando algumas vice presidências, entre elas a de eventos, novas propostas surgiram, renovações, alterou-se as inter-regionais do ENART, cai a obrigatoriedade do laço apresilhado e pela tradicionalidade se mantem a espora!!! Grande trabalho da Vice-Presidência de Administração e a toda equipe administrativa do MTG. Durante as inter-regionais do ENART, passamos por Camaquã, Ijuí, Uruguaiana, confirmando a promessa de um grande ENART, entre as Inter-regionais, realiza-se em Caxias do Sul nos pavilhões da Festa da Uva a 1ª Edição do FEGADAN e na sequência a 4ª Inter em Porto Alegre, mesmo com a necessidade de alteração de local e alguns ajustes, foi um grande evento. O Encerramento desta epopeia se dá em Novembro, na cidade de Santa Cruz do Sul, mais uma edição do ENART. Mérito de todo o Dep. Artístico do MTG, O ENART é feito de muitas pessoas, consequentemente é feito de muita cooperação, colaboração, doação, parceria, amizade e tantos outros valores e adjetivos. Obrigado a todos. Finda-se o ano e com ele mais um ciclo, para a vice presidência de eventos seu último, o novo ano traz consigo a vice-presidência Campeira, Vice-presidência de esportes Campeiros e Vice-presidência Artística e cada uma com seus encargos. O MTG contará com as seguintes Vice-presidências: • Vice-presidência Administrativa e Financeira. • Vice-presidência de Cultura. • Vice-presidência Artística. • Vice-presidência Campeira. • Vice-presidência de Esportes Campeiros. Com a extinção da vice-presidência de Eventos, os eventos serão divididos desta forma: • Congresso e Convenção Tradicionalista serão organizados pela Vice-presidência de Administração e Finanças em conjunto com a Fundação Cultural Gaúcha. • Seminários, Entrevero, Ciranda, Mostra do Enart e Tchencontro, serão organizados pela Vice-presidência de Cultura e Fundação Cultural Gaúcha. • FECARS, a parte campeira fica sob organização da Vice-presidência Campeira e a parte de Esportes e o Aberto de Esportes fica a cargo da Vice-presidência de Esportes Campeiros e Fundação Cultural Gaúcha. • Inter-regionais, FEGADAN e ENART, ficam sob a responsabilidade da Vice-presidência Artística, e FCG. Com esta nova distribuição, a Fundação Cultural Gaúcha passa a cumprir integralmente o papel de operacionalizador dos eventos do MTG, ficando responsável pela parte estrutural, convênios e contratos. Encerro dizendo obrigado a todos que estiveram ao nosso lado nessa curta jornada, aprendemos muito com todos vocês, principalmente, como gostar e admirar a cada um. Feliz 2015!!! Paz no coração de todos os Tradicionalistas, amigos e irmãos! EXPEDIENTE: SUPERVISÃO: Manoelito Carlos Savaris DIREÇÃO GERAL: Nairioli Callegaro DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen CONSELHO EDITORIAL: Nairioli Callegaro, Odila Paese Savaris e Gustavo Bierhaus JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) ESTÁGIO E REVISÃO: Ticiana Leal COMERCIAL E EXPEDIÇÃO: Emeli Duarte IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares Atendimento 09 às 12 horas e das 13 às 18 horas De segunda a sexta-feira Valores da Anuidade R$ 853,03 Plena R$ 734,08 Parcial R$ 456,52 Especial Estudantis R$ 139,30 40% do valor é repassado às RTs. Janeiro Valor MTG: PRESIDENTE: Manoelito Carlos Savaris VICE PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO: Nairioli Callegaro VICE PRESIDENTE DE CULTURA: Elenir Winck VICE PRESIDENTE DE EVENTOS: José Roberto Fischborn VICE PRESIDENTE DE FINANÇAS: Gerson Ludwig Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal

[close]

p. 3

Ano XIII - Edição 161 LEGISLAÇÃO CONTÁBIL E FISCAL Janeiro de 2015 3 Patrões, atenção à nova legislação! Entidades tradicionalistas com novas obrigações junto a Receita Federal Gilberto Silveira, contador, e Firmo Faria, fazem um alerta as entidades tradicionalistas, �iliadas ao MTG, sobre as novas obrigações que já começam a valer este ano. Um alerta importante aos tradicionalistas que tem inscrição no CNPJ (Receita Federal). Com a publicação da Instrução Normativa 1.420/2013 pela Receita Federal, ficou instituído a obrigatoriedade da apresentação, em formato digital, da escrituração contábil (ECD) de todos os fatos e atos contábeis e financeiros das entidades, ou seja, o que ora era realizado pelas entidades, com apenas elaboração do livro caixa, sendo que não necessitava ser autenticado, apenas arquivado junto com os documentos comprobatórios dos lançamentos, que inclusive, sabe-se que algumas entidades nem esta obrigação cumprem, com esta medida passará a compor a exigência os livro diário e razão, balancetes e balanços. A ECD deverá ser transmitida ao Sistema Publico de Escrituração Digital (SPED), a contabilidade deverá ser autenticada por certificado digital (ICP Brasil), os lançamentos com as movimentações tem que ser registrados mensalmente, a partir de 01/01/2014, porém a transmissão poderá ser feita até último dia útil do mês de junho 2015, referente aos fatos geradores de 2014. Segundo Gilberto Silveira, coordenador da 18ªRT, e contabilista, fica a certeza de uma grande repercussão negativa para as entidades principalmente no que tange a custos, pois será necessário contratar um profissional de contabilidade, gerando um novo custo bastante representativo ao orçamento das entidades. “Cabe ressaltar que é muito preocupante esta medida em virtude da falta de conhecimento técnico dos tesoureiros e membros das juntas fiscais, pois normalmente os estatutos não exigem qualificação para provimentos dos cargos, além das práticas contábeis não serem utilizadas normalmente, falta de critério quando da efetivação de despesas principalmente relativo aos documentos fiscais, Notas Fiscais, cupom fiscal, recibos, RPA, boletos e outros, as entidades passarão a ter que apresentar documentos idôneos para fins de registros contábeis” – explica Gilberto. Outra situação é relativa à contratação de prestadores de serviço, que na realidade, hoje, todo e qualquer prestador de serviço, pessoa física, quando contratado por pessoa jurídica é obrigado a entidade reter quando do pagamento a alíquota de 11% do valor do serviço relativo ao INSS, e na hora de recolher este tributo ainda tem que recolher mais 20% relativo INSS patronal portanto aumentando substancialmente o valor do serviço. “Os administradores de entidades mais estruturadas assimilarão mais rápido esta nova exigência, porém as entidades de menor porte , ou cujo o patrão seja despreparado nesta questão, terão muitas dificuldades, podendo a vir a gerar um passivo para a instituição em virtude de multas e infrações fiscais. Cabe ressaltar que as multas pelo não cumprimento desta legislação varia entre R$ 500,00 e R$ 1.500,00 por mês calendário, há de se atentar a Lei de responsabilidade fiscal” – define Silveira, que completa: “Inevitavelmente deverá ser consultado e contratado um contador que será o responsável técnico pela escrituração contábil digital e toda assessoria tributária da entidade”. A PARTIR DE 2014 ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS ESTARÃO OBRIGADAS A ENTREGA DA CONTABILIDADE DIGITAL Através da INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1.420, de 19 de dezembro de 2013, a Receita federal do Brasil passa a exigir das entidades sem fins lucrativos, a entrega da contabilidade digital. As entidades imunes e isentas de que trata a normativa são: • Os Templos de Qualquer Culto (CF/1988, art. 150, VI, “b”); • Os Partidos Políticos, inclusive suas fundações, e as entidades sindicais de trabalhadores, sem fins lucrativos (CF/1988, art. 150, VI, “c”), desde que observados os requisitos do art. 14 do CTN, com redação alterada pela Lei Complementar n o 104, de 2001; • As Instituições de Educação e as de assistência social, sem fins lucrativos, CF/1988, art. 150, VI, “c”). • As instituições de caráter filantrópico, recreativo, cultural e científico e as associações civis que prestem os serviços para os quais houverem sido instituídas e os coloquem à disposição do grupo de pessoas a que se destinam, sem fins lucrativos (Lei nº 9.532, de 1997). Para tanto estamos informando que para o ano de 2014 será necessário envio mensal dos documentos da empresa, que compreendem: 1) Livro caixa da Entidade; 2) Comprovação das Receitas Recebidas através de recibos, boletos bancários ou depósitos em conta corrente. 3) Comprovação das despesas e investimentos pagos – O DOCUMENTO HÁBIL É SEMPRE A NOTA FISCAL; 4) Comprovação de pagamento dos salários se for o caso. 5) Extrato Bancário Mensal da Entidade; NOTA – Esta Obrigação entra em vigor em 01/01/2014, e a entrega deverá ser feita até 30/06/2015, a penalidade pela não entrega varia entre R$ 500 e R$ 1.500,00 por mês calendário. A CONTABILIDADE DIGITAL DEVERÁ SER ASSINADA PELO RESPONSÁVEL ATRAVÉS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL. 09 a 11 de janeiro de 2015 Teatro Municipal Rosalina Pandolfo Lisboa Uruguaiana/RS (ao lado da Prefeitura Municipal) Rua Quinze de Novembro, 1844 GAUCHO REALIZAÇÃO PROMOÇÃO APOIO TRADICIONALISTA CONGRESSO 63º 18 de setembro de 1865 - 18 de setembro de 2015 Sesquicentenário da Retomada de Uruguaiana na Guerra da Tríplice Aliança

[close]

p. 4

4 PROSEANDO COM TENÊNCIA Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO Por Rogério Bastos Casos e Acasos Formidáveis os vídeos postados pelos alunos do CFor Avançado, no grupo do facebook: Turma “Eu sou do sul”, apresentando um comercial criado, produzido e gravado por eles, com um making off, onde desenvolveram alguns trava-linguas. Divertido, mas ao mesmo tempo, um treinamento para quem se coloca na posição de orador. Parabéns aos alunos e colegas tradicionalistas. Agora será no seminário em março. 1) Em frente ao espelho, leia notícias de jornal como se fosse um locutor de rádio ou televisão. Interprete algumas canções ou poemas, dando-lhes sentimento. 2) Se tiver uma filmadora ou gravador, utilize para registrar o seu exercício e depois analise a sua voz, gestos, olhar, postura corporal, etc. Interrompa as partes que não gostou e faça novas apresentações; 3) Assista à televisão com espírito crítico, observando as vozes (volume, ritmo e entusiasmo), as expressões faciais, as roupas dos apresentadores e atores, cenários e iluminação; 4) Analise os telejornais e perceba como os mesmos são concisos e harmonizam os recursos audiovisuais, combinando com a voz, gestos e posturas dos apresentadores. Eles dizem muito em pouco tempo; 5) Assista comerciais de televisão e escute os da radio e analise os argumentos utilizados para persuadir o consumidor; 6) Procure assistir algumas palestras, conferências, seminários e cursos para o aperfeiçoamento das técnicas de comunicação; 7) Cante em casa e/ou em um videokê e pague vários “micos”. Comunicador que se preza tem que conviver com eles, pois são inevitáveis. Dance, descubra o lado lúdico da vida. Assista a um bom filme infantil e dê gostosas gargalhadas. Libere a criança que há dentro do seu coração; 8) Exercite seu corpo. Ande bastante. Escolha exercícios físicos que lhe agradem e aproveite-os para eliminar tensões. Se possível, participe de uma oficina de teatro. 9)Cuide da sua voz. Ela será sua ferramenta de trabalho. Água sempre por perto. Não posso deixar de agradecer à coordenadoria da 18ªRT pela homenagem que recebemos dia 06 de dezembro, na cidade de São Gabriel, que tantas vezes estivemos palestrando. Agradecer o carinho recebido pelo público quando meu nome foi anunciado por Vitor Benites, para receber o “Mérito Farroupilha – 18ª RT”. Obrigado amigos! Foto: Liliane Pappen Calendário oficial do MTG 2015 DATA 09 a 11/01 21/02 28/02 07/03 07/03 16/03 19 a 22/03 21/03 16 a 18/04 21/04 01/05 02/05 21 a 23/05 27/05 20/06 27/06 27/06 04/07 12/07 EVENTO 63º Congresso Tradicionalista MTG 2ª Reunião de Coordenadores Regionais, Diretores Campeiros e Diretores Culturais Cfor Básico - 1º curso do ano 28º Seminário Estadual de Prendas e Peões 2ª Reunião do Conselho Diretor Prazo final - Inscrições 27º Entrevero Cultural de Peões 27ª Festa Campeira do Rio Grande do Sul Seminário de Cultura Campeira - FECARS 27º Entrevero Cultural de Peões - Fase estadual Prazo final - Inscrições 45ª Ciranda Cultural de Prendas 3ª Reunião de Coordenadores Regionais 3ª Reunião do Conselho Diretor MTG 45ª Ciranda Cultural de Prendas - Fase Estadual Prazo final - Inscrições 46ª Ciranda Cultural de Prendas e 28º Entrevero Cultural de Peões – fase regional 4ª Reunião Ordinária do Conselho Diretor (Provas) 46ª Ciranda Cultural de Prendas - fase regional 28º Entrevero Cultural de Peões – fase regional 4ª Reunião Coordenadores Regionais Acendimento da Chama Crioula Internacional Marau Porto Alegre Porto Alegre Porto Alegre Rio Grande Porto Alegre Porto Alegre Regiões Regiões Porto Alegre Colônia/Uruguai CIDADE Uruguaiana Local da FECARS Á definir na 30ªRT Novo Hamburgo Novo Hamburgo Porto Alegre Dicção e oratória no Cfor Avançado e no Seminário Estadual de Prendas Exercícios para dicção e oratória Erechim tem CTG octacampeão estadual Lista Destaques: Sentinela da Querência supera Laço Velho e assume a liderança O CTG Sentinela da Querência, da cidade de Erechim, 19ª RT, pontuou o máximo na lista destaques tradicionalistas do MTG por seis anos consecutivos, de 2002 à 2007, sendo o CTG com maior participação desde a criação da lista em 2002, ficando à frente até mesmo do CTG Laço Velho, de Bento Gonçalves, 11ªRT, pois fechou mais duas pontuações máximas (200 pontos) em 2013 e 2014. Foram criadas comissões de vendas de títulos, aquisição do terreno para a construção do galpão e organizada uma patronagem provisória, que foi de 20/04 a 15/12/1986, tendo como primeiro Patrão, Claudino Menegatti. No ano de 1988, já com patronagem efetiva, foram iniciadas as obras e, no dia 20 de abril de 1990, foi inaugurado o galpão, com uma área de aproximadamente 1800 m². Hoje possui em torno de 2700 m² área construída. Possui estacionamento para 1000 veículos de passeio e uma estrutura de material necessário para servir até 1.500 pessoas ao mesmo tempo. Está situado no Bairro Frinape, ao lado do Polo de Cultura, onde, anualmente, são promovidos eventos culturais voltados, principalmente, para a agricultura, comércio e indústria. Seu quadro social no ano 1992 - sócios proprietários-fundadores e sócios fundadores era, de aproximadamente, 600 (seiscentos). Hoje é reduzido o número de associados que frequentam a sociedade. Ainda foi criado um quadro especial de sócios contribuintes, que participam das atividades artísticas e campeiras e assessoram nas atividades administrativas. Nos concursos estadual de Prendas e Peões já teve representantes, que conquistaram faixas e crachás (conforme relação das conquistas da entidade). Anualmente o CTG participa da fase regional do ENART, algumas vezes logrando êxito na participação da fase final, em Santa Cruz do Sul. No ENART de 2007, a invernada artística foi premiada com o troféu de 1º lugar na modalidade de Saída, o que causou grandes alegrias, tanto em nível de entidade, como de região. Mérito Farroupilha da 18ªRT O gigante de Erechim Registro junto aos amigos da 18ªRT que organizaram uma noite inesquecível “Tudo que fazemos, será história, escrita ou descrita por uma memória qualquer de alguém...ou dos lugares.” REFLEXÃO Por ir Elom a Malt No ano de 1986, por iniciativa 30 tradicionalistas, na cidade de Erechim, foi fundada mais uma entidade tradicionalista, que recebeu o nome de “SENTINELA DA QUERÊNCIA“. Lavrada a ata com o nome dos fundadores, começaram aquelas pessoas a estudar a criação de um estatuto para normatizar a administração da entidade. (Mozert) Considerando a necessidade de estimular a participação das entidades tradicionalistas filiadas nas atividades regionais e estaduais para fortalecer a unidade do Movimento e que o destaque positivo às entidades mais participativas tende a estimular aquelas com menor participação nas atividades que envolvem o MTG como associação, foi criada a lista Destaques Tradicionalistas no ano de 2002 (máximo 200 pontos).

[close]

p. 5

Ano XIII - Edição 161 DEPARTAMENTO JOVEM Murilo Oliveira de Andrade – Diretor do Dpto Jovem do MTG Janeiro de 2015 PELO RIO GRANDE 5 E um novo ciclo inicia-se Motivação: Reconhecimento ao trabalho é estímulo para continuar... Chegamos ao primeiro mês deste ano de 2015. Mês este de fundamental importância para o Movimento, onde realizamos nosso principal evento, o Congresso Tradicionalista Gaúcho, que tem por objetivos traçar os rumos e diretrizes a serem seguidas pelo tradicionalismo organizado, mas, além disso, é neste evento que se realiza a eleição para o novo Departamento Jovem Central. Encontro-me no final de um trabalho à frente deste Departamento, mas não do trabalho em prol do culto às nossas tradições. Gostaria de agradecer ao Movimento Tradicionalista Gaúcho e seu Conselho Diretor por darem credibilidade às ações desenvolvidas do decorrer do ano, principalmente no ideal de que devemos motivar os jovens a participar e permanecer no tradicionalismo. Responsabilidades como esta assumida só podem ser vitoriosas se caminharmos de mãos dadas, e o que notamos nesse período de mandato no Departamento é que tivemos o envolvimento não apenas da juventude, mas de toda a família tradicionalista, engajada, dedicada, parceira e acima de tudo, unida, pois acreditamos que a jovialidade se encontra na alma do ser e não na faixa etária. Aos novos diretores, gostaria de desejar todo o sucesso nessa empreitada, que sigam motivando nossos jovens, e que o Patrão Celestial ilumine-os, lhes dando sabedoria e tranquilidade em todas as situações que por ventura venham a surgir. Fica o meu eterno agradecimento, e a consciência de que continuarei trabalhando pela causa, não importando estar com um cargo ou não, pois ser tradicionalista é o que de fato mais nos interessa pelo bem da tradição gaúcha. Encerro com o lema do Departamento Jovem Central de 2014 – “Olhar Jovem: Buscar no passado para visar no futuro” Comissão Gaúcha de Folclore tem nova diretoria A Comissão Gaúcha de Folclore, conhecida pela sigla CGF, com sede em Porto Alegre, na Rua Olinda, nº 368, foi fundada em 23 de abril de 1948 e reestruturada em 22 de setembro de 1992. Estiveram na linha de frente da CGF nomes como Lilian Argentina Braga Marques, Rose Mari dos Reis Garcia, Dante de Laytano, Cristina Rolin Wolffen, Neusa Secchi, Reginaldo Braga, entre outros, e possui aind, Paula Simon Ribeiro, Ivo Benfatto, Loma, Ivo Ladislau, José Diniz de Moraes, Harry Bellomo, Paulo Lindner, Laureci Catarina Gulart, está se reestruturando novamente, fazendo uma grande alteração em seus estatutos. No dia 20 de novembro a CGF elegeu sua nova diretoria, que ficará provisória até aprovação do novo estatuto, que recebeu uma atenção especial na assembleia do dia 15 de dezembro. O novo estatuto permitirá a criação de Núcleos municipais da CGF, oficializando os que já existem, como em Santana do Livramento organizado por Rui e Andrea Rodrigues. Entram novos cargos como o 2º vice-presidente, diretor de eventos culturais, sociais e de assistência social, diretor do interior; diretor de patrimônio e sede, diretor técnico de pesquisa e publicações e o diretor de comunicação, divulgação e marketing. TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 6

6 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 161 ESPAÇO DO IGTF Janeiro de 2015 Por: Rodi Borghetti - Presidente IGTF Projeto preserva cultura lúdica Infância: Resgate de brinquedos e brincadeiras folclóricas estimulam a alegria de ser criança, em evento da 5ª RT A praça Central de Pantano Grande, paralelo ao Dia da Família na Praça, foi palco do Projeto “Memórias e momentos, preservando a cultura lúdica infantil”, realizado pela 1ª Prenda Mirim da 5ª Região Tradicionalista Sindyane Machado de Souza, no dia 05 de dezembro de 2014. Adultos puderam relembrar sua infância, jovens deixaram a era tecnológica e brincaram e as crianças se encantaram com os mais variados brinquedos que fizeram parte da exposição, muitos deles doados por prendas e peões das entidades da 5ª RT. O projeto busca resgatar os brinquedos, pois brinquedo já é uma expressão de alegria. Brinquedo Folclórico é importante por que traz em si a “alma” e “coração” de pessoas que fizeram uma trajetória preparando a nossa chegada, depositando em cada peça de montagem o carinho e os laços que nos unem. O projeto faz parte do Tema anual do “Preservando o passado, construindo o futuro. MTG em defesa do patrimônio histórico e cultural do RS”. que tem entre os objetivo de promover dentro das entidades tradicionalistas espaços de dialogo com suas comunidades, para a construção de ações conjuntas que visem a identificação, o reconhecimento, a proteção e a valorização do patrimônio histórico cultural; e o projeto veio resgatar e valorizar os brinquedos folclóricos, deixando para novas gerações o Museu Móvel de Brinquedos Folclóricos da 5ª RT. Cavalgada na África do Sul 09 a 20 de fevereiro 2013 - 4ª parte Na edição anterior relatei esta Cavalgada cronologicamente até o dia 14 de fevereiro. Esqueci de contar um episódio que ocorreu no dia 13, na quarta feira. Acontece que faziam parte do grupo que nos hospedava três cachorrinhos tipo Fox paulista, malhados e pitocos, muito espertos e ensinados. Eles sabiam quando podiam ou não conviver com a gente. No local em que terminávamos a cavalgada do dia era onde eles gostavam de chegar. Vinham embarcados junto com a equipe que nos recepcionava. De repente notávamos que uma das guias, chamada Xuly, deu um grito e passou a chorar convulsivamente , ela tinha atropelado e matado um dos cachorrinhos de estimação. Logo se acalmou. Ela, como uma espécie de penitência, ficou descalça e caminhou a pé num terreno pedregoso até a Pousada (min. 5 km) e voltou para o nosso acampamento tendo passado todo a noite sem falar com ninguém, sentada e olhando o fogo de chão que tinha sido montado para passarmos a noite. Foi comovente. No dia 15, sexta-feira, os cavaleiros foram separados em dois grupos. Disseram-nos que em um grupo menor seria possível uma aproximação maior dos animais. Lembro-me que no meu grupo ficaram o Maurício, Felix, Antônio, Aquiles e Helder além do Paulo e do fotógrafo Eduardo Rocha. Neste dia tivemos a satisfação de ter como nosso companheiro da cavalgada o proprietário da Pousada “Lodge” como eles falavam, nosso anfitrião maior, Sr. Antony. Ele foi muito gentil e, como profundo conhecedor do terreno muito nos esclareceu sobre aquele universo tão diferenciado no mundo. Estávamos em plena marcha quando deparamos dentro da mata, uma bela residência com altos muros de proteção e cuidada nos seus detalhes com muito esmero. A casa era do mesmo estilo dos prédios da Pousada. Bom gosto, arquitetura diferenciada, muita pedra e cobertura primorosa de capim tipo Santa Fé. Era o local onde o proprietário se hospedava quando estava em visita a Pousada. Os guias nos disseram que não era comum o Sr. Antony cavalgar com os visitantes e muito menos levá-los a conhecer sua moradia. Lá apeamos, tomamos algumas cervejas geladas e demos uma boa descansada pois tínhamos cavalgado por umas 4 horas. Voltamos de carro para almoçar na Pousada. A tarde o veterinário Felix, o Helder e eu ficamos descansando, demos lugar para o Thiago e a Betty. A noite foi fantástica. Já com o sentimento do fim da aventura todos estavam tomados de emoção pelo carinho que tivemos e pelas coisas maravilhosas que vimos e aprendemos sobre a África, seu povo e sua cultura. Conhecemos também outras raças de cavalos, se bem que, o cavalo, de qualquer raça é um animal nobre e para quem sabe lidar com ele pode usufruir do companheirismo e da afeição que ele proporciona. Naquela noite houve como que uma despedida. Teve discursos emocionados, os funcionários cantaram suas canções o que eles fazem dançando formando um coro só vocal, sem qualquer instrumento, que poderia ser apresentado em qualquer lugar da terra que agradaria a qualquer vivente que tivesse um mínimo de vocação para se emocionar. Quem não conseguiu participar desta noitada foi o companheiro Zé Acyr que teve febre alta e diarréia que não o deixou sair da cama, a não ser para ir à privada. Mas a turma decidiu visitá-lo no quarto levando para ele o certificado que o inclui oficialmente no Grupo dos Cavaleiros da Paz, o que foi feito com muita alegria, o que o ajudou a melhorar mais rápido. Nesta mesma noite fizemos a entrega de diplomas para os guias e para o proprietário anfitrião Sr. Antony, agradecendo o convívio que tivemos com eles. O Senhor Antony fez um belo discurso dizendo da satisfação que teve em conhecer os Cavaleiros da Paz e por ter aprendido algumas coisas sobre a tradição e o folclore do nosso Estado. No dia seguinte, dia 16 de fevereiro de 2013, levantamos cedo e já fomos tomar o café com as malas prontas para iniciar uma nova etapa desta nossa viagem maravilhosa: A VAN já estava nos esperando do lado de fora. Os empregados já tomaram a iniciativa de acomodar nossa bagagem. Antes de embarcarmos nos despedimos de um por um de todos os empregados que nos serviram e ajudaram naqueles 8 dias que ficamos com eles. Eram todos mesmo porque não faltou nenhum, inclusive o Sr. Antony que nos prometeu uma visita no Brasil brevemente. Criou-se um clima emotivo que no levou, depois de embarcados, sair abanando com chapéus e lenços para corresponder aos acenos e gritos dos africanos. Foi neste clima que eu como comandante dirigi-me ao grupo para fazermos um agradecimento a Deus, o Patrão Velho do Universo por aqueles dias que passamos lá. Ainda temos muitas coisas que falar desta cavalgada. Segue na próxima edição. Foto: Divulgação Prendas e peões da 5ªRT fizeram um belo resgate de brinquedos e brincadeiras folclóricas Coordenador da 2ªRT homenageado Ivan Botelho, 50 anos, natural de General Câmara, onde iniciou no tradicionalismo no CTG Sinuelo do Bom Sucesso. Botelho é técnico em Administração de Empresas, e vai para seu quarto mandato frente a 2ª região tradicionalista (2012/2015). Ivan Botelho recebeu, recentemente, o título de “Cidadão Jeronimense”, pelo trabalho realizado frente ao tradicionalismo no município de São Jerônimo, onde foi patrão do CTG Quero-quero em duas oportunidades. Foto: Divulgação Ivan(E) recebeu homenagem em São Jerônimo 6º Rodeio Municipal de São Gabriel A Coordenadoria Tradicionalista Municipal, de São Gabriel, está organizando o 6º rodeio cidade de São Gabriel, nos dias 23, 24 e 25 de janeiro, sob a coordenação do patrão Márcio D’Avila e sua equipe, começando na sexta-feira, com provas valendo pela “Reculuta Municipal”. O gado será da tropilha confronto, de Lavras do Sul, o “gado do Buca”. O evento tem apoio das prefeituras de São Gabriel e de Santa Margarida do Sul. A Coordenadoria congrega as entidades tradicionalistas de São Gabriel e esteve, até pouco tempo, sob a administração de Cátia Cavalheiro. Informações sobre o rodeio podem ser adquiridas pelo telefone (55) 99090582 com o patrão Márcio D’Avila. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 7

Ano XIII - Edição 161 ESPAÇO DA CBTG João Ermelino de Mello - Presidente Janeiro de 2015 ESPAÇO DA CITG 7 Por: Dorvílio Calderan - Presidente Vem aí o Fenart 2015 De 5 a 8 de fevereiro de 2015 a cidade de Piratuba/SC será palco do 13° Fenart (Festival Nacional de Arte e Tradição Gaúcha), 7° Jogos Tradicionalistas e 17° Rodeio Crioulo Nacional de Campeões, realizados pelo MTG/SC e Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG). O MTG/SC informa que em relação à infraestrutura e acampamentos da modalidade campeira o responsável é Jucimar Antônio de Moura - Secretário Adjunto da CBTG, residente em Piratuba, por meio do telefone (49) 9900-1919. Já em relação às acomodações para os demais participantes poderão ser feitas com Gelci de Souza - Secretária de Turismo de Piratuba por meio do telefone (49) 35530553. Piratuba/SC - cidade sede do Fenart: Localizada há 500 quilômetros de Florianópolis, a cidade de Piratuba fica no Meio Oeste de Santa Catarina e possui apenas cinco mil habitantes. É conhecida no Sul do país por ser o principal polo turístico do Oeste do Estado, pois conta com um Parque de Águas Termais. O nome da cidade reverencia o mais antigo habitante da região: o índio Guarani; que em sua língua (Tupi-Guarani) a denominação Considerações para 2015 Para 2015: Preparar a agenda de atividades com antecedência e promover o bem comum nas entidades tradicionalistas são passos importantes para o sucesso no decorrer do ano. Reconhecer as “intenções” dos participantes também é relevante para um bom trabalho. Começamos um novo ano e prepara-se a programação para o desenvolvimento das atividades em nossas Entidades Tradicionalistas. Nosso Movimento Tradicionalista Gaúcho se mostra consolidado e fortalecido, tendo como base a preservação de valores e da família tradicional, e, a cada dia novas Entidades tradicionalistas surgem no Brasil e no exterior e, continua atraindo a atenção de pessoas no mundo inteiro por suas características próprias. Somos um grupo de pessoas, espalhadas por todo o mundo, não vinculadas política ou religiosamente ou por qualquer outra ligação, afetiva ou compulsória, que não seja a de dar sua parcela de contribuição nessa grande transformação que vem sofrendo o nosso planeta. Somos pessoas com o dever de contribuir para um mundo cada vez melhor, pois, todos são responsáveis pelos rumos que o ser humano e a sociedade vêm tomando. Estamos passando por tempos sombrios, em que a ética e a moral são colocadas em cheque, e, até nos habituamos a presenciar no dia a dia. Mas, por vezes, encontramos situações que nos fazem pensar e, que nos levam a uma reflexão sobre o nosso papel diante da situação atual onde a mídia nos mostra diariamente uma sociedade com graves problemas, notoriamente os de preservação de valores, onde a corrupção toma conta, os ensinamentos referentes a deveres para os nossos jovens estão mais atrelados a leis que lhes garantem mais direitos do que deveres. Não podemos dizer que temos poucos jovens dentro de nosso CTG, mas, podemos dizer sim, que poderíamos ter muito mais se, não se tratasse de uma entidade diferenciada. Também, não podemos nos considerar imunes aos problemas da sociedade, temos que lutar para preservar a autenticidade do Movimento, atrair a participação dos jovens, combater as vaidades pessoais e a falta de cumprimento dos nossos Regulamentos. O que queremos dizer é que não podemos nos descuidar, temos que estar atentos às transformações. Nossas lideranças precisam estar atentas às pequenas atitudes anti-tradicionalistas, para que não cresçam como erva daninha, que apesar de pequena vai tomando conta. O Código de Ética precisa ser respeitado dentro de nossas entidades, assim como a nossa Carta de Princípio deve ressaltada em todos os seus artigos. Muitas vezes nos defrontamos com pessoas que querem fazer a tradição acontecer, mas, que não sabem “o como fazer”. Às vezes encontramos dirigentes despreparados. E, outras vezes encontramos aqueles que ao invés de “servir ao tradicionalismo, apenas se servem do mesmo”... Na nossa vida, na nossa sociedade, quando percebermos que faltam certas atitudes, que gostaríamos de ver vivenciadas por todos, isto já é um grande passo para vislumbrar que os resultados serão positivos e beneficiarão a todos. Esqueçamos por um minuto a esfera individual para um pensamento coletivo. A partir de então estaremos falando em valores humanos no seu mais amplo sentido. Quanto mais nos destacamos como lideres do Movimento maior é a nossa responsabilidade para com a preservação das autenticas tradições e do Movimento Tradicionalista Gaúcho, mantendo assim, sempre a chama acesa. Avisos Fenart 2015: desta simpática cidade se traduz como “abundância de peixes”. Rede hoteleria Atualmente mais de 2.500 leitos estão disponíveis, distribuídos em uma rede com mais de 10 hotéis, pousadas, casas de veraneio e apartamentos. As áreas de camping também estão disponíveis para os visitantes. Toda a rede hoteleira com contatos e outras informações são encontradas no site do município: www.piratuba.com.br Comissão Nacional de Cultura: Na segunda quinzena de janeiro de 2015 o Ministério da Cultura (MinC) divulgará as entidades habilitadas para comporem a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), biênio 2015/2016. Pela primeira vez a Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG) foi aprovada na forma de credenciamento para integrar, na área de Patrimônio Cultural, a Comissão. Loiva Lopes Calderan, Diretora de Relações Internacionais da CBTG é a responsável pela elaboração do formulário de inscrição. Ela e a tradicionalista Paula Simon Ribeiro representaram a CBTG e participaram da última reunião que o MinC realizou para discussão dos nomes indicados que integrarão a Comissão. Prenda juvenil realiza resgate histórico das famílias na 5ªRT Mariana Quevedo de Freitas, primeira prenda juvenil da 5ª RT, realizou no dia 07 de dezembro, em Santa Cruz do Sul, no CTG Estância Alegre o evento “ Família ...um resgate histórico”. O evento contou com a participação de prendas e peões das entidades tradicionalistas da região. Foi realizada uma contextualização da história das famílias formadoras da 5ª RT, reportando-os a conceitos de família em uma dimensão histórica, conforme o tempo traz dimensões conceituais de atribuições de papeis diferenciados na cultura local. “Conhecer essas famílias nos dimensiona a nossa própria identidade” – disse Cris Noronha, do departamento cultural da 5ªRT. Mariana destacou ainda que, quando o Lucas Raffo e Mariana Diniz apresentaram o tema no congresso tradicionalista, de preservação do patrimônio histórico e cultural, e este transformou-se em tema anual, deixaram uma missão, fazendo com que prendas e peões fossem atrás. “Buscamos evidenciar e valorizar tal iniciativa, desenvolvendo junto a nossa região o tema anual. Hoje com a participação de várias entidades temos uma exposição sobre a história da s famílias formadoras da 5ª RT, entre elas a Família Teixeira e Pedroso de Encruzilhada do Sul, a família Vargas de Amaral Ferrador, a família Machado de Cachoeira do Sul, a família Amaral Lisboa de Rio Pardo e outras que fazem parte do trabalho a ser lançado na Região” conta Mariana.. Ao finalizar o evento agradeceu a participação de todos em especial a comissão que teve a árdua tarefa de escolher a Mostra que recebeu o troféu “Destaque da 5ª RT”, onde, a 1ª colocada, foi Manuela Acosta Ferreira- CTG Os Gaudérios de Cachoeira do Sul – 2ª lugar Kendra Scheffer- CTG Carreteiros da Saudade de Pantano Grande. Foto: Divulgação Luiz Clovis Vieira(E), Mariana Quevedo e Cris Noronha(D) TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 8

8 ECO ENTREVISTA Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 Padre Valdir Formentini Pastoral da Cultura Gaúcha Pastoral “Fé Gaúcha” - participa de eventos tradicionalistas O que é a pastoral da cultura gaúcha? Este conceito ainda é novo, mas podemos dizer que se trata da presença evangelizadora da Igreja neste universo amplo de manifestações culturais gaúchas. Lá onde as pessoas e famílias se reúnem para vivenciar momentos fortes de culto as tradições, a arte, a cultura, o folclore, lá também é lugar onde a fé, os valores, os costumes sagrados não são abafados, mas acolhidos e valorizados. Neste sentido vemos muitos narradores de rodeios que cada dia ao redor das 18 horas, reservam um precioso espaço para uma oração especial, tendo como ponto forte a presença de uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil. Também notamos que nossos jovens integrantes das invernadas e elencos artísticos de nossos CTGs rezam juntos e de mãos dadas a oração do Pai Nosso antes da apresentação. É muito comum também a organização do evento convidar um sacerdote ou pastor para participar da cerimônia de abertura, usando a palavra para deixar sua mensagem e, principalmente a sua bênção. Outro ponto forte destes inúmeras manifestações de grandeza de nossa cultura gaúcha são as frequentes Missas Crioulas que são rezadas especialmente no mês de setembro, em rodeios e por ocasião dos aniversário dos Centros de Tradições Gaúchas. Todas estas manifestações descritas, e tantas outras que poderiam ser citadas, mostram que o nosso povo gaúcho abra-se sempre para o religioso, para o sagrado, para os valores familiares e, desta forma, torna-se convite para que a Igreja também marque presença sempre no intuito de levar a Palavra Sagrada que anima, orienta, fortalece e aponta para um futuro de esperança, justiça e paz. ECO: O que vem a ser a pastoral da mobilidade humana? Este conceito é trabalhado pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Para cada situação, para cada realidade humana, uma pastoral ou serviço é organizado, sempre em vista de ser e estar presente como sinal e testemunho do Evangelho de Cristo. A Pastoral da Mobilidade Humana volta-se para as pessoas, grupos e situações que vivem o nosso povo, especialmente nas inúmeras idas e vindas por um lugar para viver, trabalhar e ser feliz. Nela estão as demais pastorais como: Pastoral do Migrante, Pastoral Rodoviária, Pastoral do Turismo, Pastoral dos Pescadores e Pastoral do Povo Itinerante. Cada uma delas tem uma organização a nível de diocese, de estado, de Brasil. ECO: Em um fórum da igreja católica do Rio Grande do Sul, ocorrido em 2008, o que ficou decidido sobre a disciplina dos sacramentos, como a Missa Crioula? Este Fórum não tinha o objetivo de ser um espaço disciplinador dos Sacramentos, mas muito mais de avaliar e projetar a presença evangelizadora da Igreja no RS. O que aconteceu de marcante neste Fórum foi a realização de uma Missa Crioula, onde mais de três mil pessoas acompanharam. Muitas redes de TV e muitas emissoras de rádio transmitiram ao vivo este evento. Sabe-se que nos dias que seguiram aquela celebração, um grupo de sacerdotes enviaram uma carta ao Vaticano, apontando alguns possíveis desvios daquela liturgia. Claro que estes sacerdotes já tinham opiniões contrárias a esta Missa que nasceu em nossa querência. O Vaticano ao receber aquela carta tomou a sábia atitude de enviar a carta ao Presidente da CNBB, por entender que era uma realidade que tocava a Igreja do Brasil e não a Igreja Universal. A CNBB por sua vez entendeu que esta carta deveria ser conhecida pelos Bispos do Rio Grande do Sul, pois se tratava de uma realidade típica da Igreja no RS. Em uma reunião da Comissão de Liturgia da CNBB do RS, presidida pelo Bispo Dom Aloísio A. Dilli, uma Ata foi lavrada com o título: “Orientações para celebrações da Missa Crioula”. Eis a síntese das orientações: 1ª - Não alterarmos as partes fixas da Missa, aprovados oficialmente, e de seguimento obrigatório universal. 2ª - Nas partes variáveis da Missa, podemos e devemos ser criativos, recuperando as expressões culturais: comentários, cantos, músicas, símbolos, instrumentos musicais, homilia e preces.... 3ª O simbolismo de nossas tradições culturais pode receber destaque no vestir, na ornamentação do altar e do espaço litúrgico e no uso dos vasos litúrgicos. Como vemos, a Missa Crioula, não foi censurada ou proibida como queriam alguns, mas pelo contrário, ela ganhou força, pois recebendo as devidas orientações, ficou claro que é reconhecida e aprovada como uma Missa autêntica que fala ao coração de nosso povo que quer celebrar a sua fé a partir dos valores, da linguagem, da simbologia e da história de sua gente. Com estas orientações temos agora um caminho seguro a trilhar. A nossa Missa Crioula passa a figurar ao lado das tão conhecidas Missas tais como: Missa Sertaneja, Missa do Vaqueiro, Missa dos Quilombos, Missa da Terra Sem Males, Missa Campesina e outras que sabemos que existem. Queira Deus que saibamos valorizar aquilo que é nosso, que nasce aqui, que é Crioula de nosso pago rio-grandense. ECO: Na sequência destas orientações foi marcada uma reunião entre Padres que presidem a Missa Crioula. O que ficou decidido sobre as partes variáveis da celebração? Esta Equipe continua pensando e buscando formas práticas para estas partes que são variáveis do ritual da Missa Crioula. As manifestações mais marcantes acontecem cada ano no chamado Encontro Tradicionalista Cristão. Já foram realizados 8 encontros, sempre em um espaço onde a história do RS fala mais alto. O último aconteceu no início de setembro no Santuário de Caaró, terra Missioneira. Em cada encontro temos espaço para partilha e estudo sobre o tema da inculturação da liturgia, com enfoque especial na Missa Crioula. As várias e ricas experiência trazidas para estes encontros são colocadas em prática em uma Missa Crioula que acontece nestes encontros, sempre com grande público presente. Em 2015 o IX Encontro Gaúcho Cristão será em Viamão, terra que acolheu o Pe. Paulo Aripe como estudante, o criador da 1ª liturgia da Missa Crioula. Pessoalmente estou trabalhando para apresentar neste encontro a primeira proposta de uma coleção de cantos para serem usados nas Missas Crioulas. Ele será chamado “Cancioneiro Gaúcho”. A intenção é fazer uma publicação em forma de livro, acompanhado por um pen drive com todas as canções gravadas, facilitando assim a aprendizagem dos grupos que animam as Missas Crioulas, pelo Rio Grande e Brasil a fora. ECO: O que é a pastoral nos rodeios? Eu poderia dizer que a Pastoral nos Rodeios quer ser uma presença amiga e evangelizadora de sacerdotes que, primeiramente gostam e vivem os valores da cultura gaúcha, e que lá estão em nome do Bom Pastor o Cristo, para animar, servir, abençoar e celebrar a fé a partir dos valores e sinais sagrados da cultura, da arte, do folclore a da tradição gaúcha. Pessoalmente eu venho participando destes eventos com um projeto novo que se chama “Espaço Itinerante Fé Gaúcha”. Trata-se de um ônibus motorhome, transformado em uma capela sobre 4 rodas. Esta capela é dedicada a Nossa Senhora Aparecida. Marcando presença em rodeios, feiras, encontros de arte e tradição gaúcha, procuro ser alguém que acolhe, abençoa e celebra Missas Crioulas, conforme solicitação prévia dos amigos que organizam os diferentes eventos. Maiores informações sobre este projeto estão no site www.fegaucha.com.br Para contato direto comigo - Padre Valdir Formentini telefone: (51) 99672635. Foto: Divulgação Padre Valdir Formentini acredita no trabalho itinerante “Fé Gaúcha”, indo aos rodeios TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 9

Ano XIII - Edição 161 NOTÍCIAS Janeiro de 2015 TURISMO NO SUL 9 Por Jeandro Garcia Cultura gaúcha visita o Rio de Janeiro Uruguaiana espera os tradicionalistas Cidade Maravilhosa: Parceria entre entidades tradicionalistas levou gaúchos para apresentar e promover seus costumes no Rio de Janeiro. Em uma grande parceria, integrantes do CTG Carreteiros do Sul e do CTG Rincão dos Xucros foram levar um pouco da nossa cultura para o estado do Rio de Janeiro, entre os dias 2 e 10 de dezembro. Em uma intensa programação cultural de passeios turísticos e apresentações artísticas, ficaram hospedados no CTG Desgarrados do Pago, da Sociedade Sul Rio-grandense e visitaram o Sítio Jonosake onde puderam confraternizar e trocar experiências com os tradicionalistas de lá. Durante a estadia na “Cidade Maravilhosa” conheceram pontos turísticos como museus, zoológico, praias, Cristo e Pão de Açúcar, além de serem recepcionados para uma grande visita à Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel. As apresentações ocorreram durante a tradicional Costelada do CTG Desgarrados do Pago e a programação cultural do Sítio Jonosake para grandes públicos, entre eles, tradicionalistas e amantes da cultura gaúcha. A viagem foi organizada pela Patroa do CTG Rincão dos Xucros, Sônia Batista, acompanhada pelo Tradicionalista Vasco Carneiro e artisticamente organizada pelo instrutor de danças tradicionais e coreógrafo Diego Gouvêa. “Certamente, esta união é um grande exemplo de tradicionalismo, pois mesmo representando bandeiras diferentes, este grupo de amigos tem vários projetos de levar a cultura gaúcha pelo mundo movido por um único sentimento: amor a arte e a cultura gaúcha!”- disse Priscilla Fonseca Congresso: Uma cidade cheia de atrativos turisticos, receberá tradicionalistas de todo o estado. Vale a pena conhecer o que há de melhor por lá! Para este mês de janeiro nada mais adequado do que uma matéria sobre Uruguaiana, afinal é onde teremos o Congresso Tradicionalista neste mesmo mês. Terra da Califórnia da Canção Nativa, o maior festival nativista de nosso estado, estará sediando este grande evento do nosso tradicionalismo e receberá visitantes de diversas cidades, que não podem perder a oportunidade de conhecer alguns pontos turísticos locais. Para quem curte a natureza e balneários um local muito indicado é a Praia do Cantão, localizada na beira do Rio Uruguai. O local oferece completa infra-estrutura para camping com caramanchões, cabanas, restaurante, banheiros, parque infantil, piscina, quadra de areia e rampa para barcos. O funcionamento é permanente. Muito procurado por pescadores que trazem seus barcos. O local é limpo, com gramado bem cuidado e bancos. Seu acesso é asfaltado em seu maior trecho e sinalizado. Outro ponto interessante é o Parque Dom Pedro II, também conhecido como “Parcão”, está situado no centro da cidade, Av. Presidente Vargas, esquina com Flores da Cunha. Possui duas quadras de futebol sete, uma quadra de futebol de salão, duas quadras polivalentes, uma pista de patinação, duas quadras de vôlei de areia, pracinha, pista de corrida, um centro de informações turísticas, banheiros e sede da administração. É o local que mais atrai eventos da cidade. Centro Cultural Dr. Pedro Marini - O prédio pertencia a família de Baldomiro Barbara, que foi construído em 1913. Em 1930, foi vendido para o exército brasileiro, mas hoje, através de um comodato (exército e prefeitura municipal), funciona o centro cultural, com seus museus, bibliotecas e oficinas de arte. Construído com material importado da Itália, tem o privilegio de ter no seu interior, o primeiro elevador e primeira calefação interna da cidade. Existem diversos locais a serem conhecidos na cidade, mas deixo a indicação de alguns como o Monumento a Domingos de Almeida, a Ponte Internacional Agustin Justo - Getúlio Vargas que liga Uruguaiana (Brasil) a Paso de Los Libres ( Argentina ) e a Praça Barão do Rio Branco onde se encontram diversas atrações, como monumentos e a Catedral de Santana. Foto: Divulgação União de membros de duas entidades permitiu belissimo trabalho no Rio Aquerenciados pela tradição, é a 14ª Região! O prendado da 14ª Região Tra- do hino tradicionalista, “coisa linda é dicionalista, vendo a necessidade de se ver gerações, convivendo na santa reavivar os gostos pelas tradições ar- paz”, Convidaram pessoas das comutísticas, idealizou um projeto intitulado: nidades visitadas para integrarem o “Mateando com as Tradições”, onde o projeto, compartilhando experiências grupo de jovens se desloca pelas en- de vida, contos, lendas e agregando tidades tradicionalistas de sua região, conhecimentos as novas gerações. O levando oficinas sobre o chimarrão, as projeto busca ainda, reviver o passado danças tradicionais, os brinquedos e no presente, compreendendo a imporbrincadeiras folclóricas. Também rea- tância de valores que não devem ser lizam palestras e apresentações artís- esquecidos e valorizando os ideais da ticas, organizadas pelo grupo. Carta de Princípios e do Movimento O prendado é composto pe- Tradicionalista Gaúcho que se manlos jovens, Fernanda Pinheiro – 1ª tém vivo por meio destas ações. Prenda da 14ª RT, José Anildo Foto: Divulgação Brum da Silva, 1º Peão, Thayla Strapasson 1ª Prenda Juvenil, Gabriella Pereira Palmeira, 1ª Prenda Mirim, Arthur Miguel Haumpenthal, 1º Piá da 14ª RT. Um grupo pequeno, mas de coração grande que está buscando agregar os jovens das entidades tradicionalistas de sua região ao seu projeto. Embasados no lema Projeto leva oficinas às entidades tradicionalistas da 14ªRT Toda a terça às 19h Acompanhe a programação da Web Rádio 1ª RT em: www.radio1rt.rs Proseando com o MTG Manoelito Savaris, Presidente do MTG respondendo tuas perguntas e sobre assuntos relacionados ao tradicionalismo gaúcho e a cultura rio-grandense, com o costado de Valdomiro Leite.

[close]

p. 10

10 Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 Retrospectiva 2014 – Os momentos que marcara Fotos: Rogério Bastos Fotos: Rogério Bastos Um ano diferenciado. Copa do mundo no Brasil, Acampamento especial no Parque da Harmonia, título inédito de peão f 61º CONGRESSO EM PORTO ALEGRE Manoelito Carlos Savaris é eleito presidente do MTG para seu 6º mandato a frente da federação. Decisões importantes foram tomadas no evento: Cruz Alta foi escolhida para o acendimento da chama crioula oficial do estado, o tema anual: “Preservando o passado, construindo o futuro”, de autoria do peão da 5ªRT Lucas de Oliveira e da prenda Mari Ana Diniz. Aprovado o tema dos festejos farroupilhas do Rio Grande do Sul, de autoria de Odila Paese Savaris: “Eu sou do sul” e Uruguaiana escolhida como sede do congresso de 2015, também foram aprovados em Porto Alegre. 26ª FECARS A Festa Campeira Rio Grande do Sul aconteceu na cidade de Viamão, 1ªRT, com data alterada para maio, teve a 7ª como campeã geral do evento (2º titulo estadual consecutivo em 2014). Paralelo a ela, aconteceu o 15º seminário estadual de cultura campeira. Congresso Tradicionalistas Gaúcho aconteceu em Porto Alegre 44ª CIRANDA CULTURAL DE PRENDAS Após três títulos de 1ª prenda do RS na década de 70 (71,73 e 75, com o CTG Rodeio dos Palmares), a 6ª região esperou 39 anos para alcançar novamente a faixa mais cobiçada do estado. E foi Caroline Castanha de Ávila Lemos, de 19 anos, de Rio Grande, que se sagrou 1ª Prenda do estado. Em 2015, Rio Grande sediará a 45ª Ciranda Cultural de Prendas. Na categoria adulta: 2ª prenda - Laura Callegaro de Oliveira, Sociedade Gaúcha Lomba Grande e a 3ª prenda foi Bárbara Gomes Scheneider do CTG Tarumã. Categoria Juvenil: 1ª prenda foi Amanda Faleiro do CTG Piazitos do Sul, de Canoas , a 2ª prenda juvenil foi Andressa Motter, do CTG Fronteira da Amizade, de Tuparendi e a 3ª prenda juvenil, Caroline Borges de Lemos, do CTG Piquete da Querência, de São José do Ouro. Categoria Mirim: 1ª prenda mirim: Laura Laís Durli, do CTG Sentinela da Querência, a 2ª prenda mirim foi Tayline Alves Manganeli, do CTG Pedro Telles Tourem e a 3ª prenda mirim foi Maysa Rebelo Crestani do CTG Galpão da Estância. 25ªRT conquistou o troféu cam 27ª SEMINÁRIO ESTADUAL DE PRENDAS Seminário Estadual, organizado em Canoas, levou centenas de jovens Aconteceu na cidade de Canoas, sede da 2ª prenda do RS, Mariana Soares. O Seminário começou com uma palestra dos ex-estaduais, Priscila Bresolin Tisott e Bruno Fernandes, que falaram de suas experiências. À tarde as prendas tiveram uma palestra sobre redação, enquanto os peões foram para outro ambiente fazeram oficinas com as atividades que desenvolvem durante o concurso. 39 anos depois a 6ªRT conquis Convenção em Caxias do Sul levou centenas de pessoas à serra gaúcha SOCIEDAD LA CRIOLLA COMPLETOU 120 ANOS Nos dias 22 e 23 de março, ocorreram em Montevidéu, uma serie de atividades comemorativas aos 120 anos de existência da mais antiga sociedade gauchesca. Criada no ano de 1894, a sociedad “La Criolla” foi mais tarde rebatizada com o nome do seu fundador, o Dr. Elias Regules. A força feminina na Convenção T 79ª CONVENÇÃO e 62º CONGRESSO TRADICIONALISTAS A alteração estatutária que criou novas vice-presidências para o MTG, mesclou e retirou outras, ajustou os textos da coletânea, adaptando às mudanças, forma alguns dos itens debatidos na sexta-feira, dia 25, durante o Congresso Tradicionalista, que foi bastante rápido. Já no sábado, com a chegada de diversas delegações quase mil pessoas participaram do evento. O dia 26 foi de debates sobre o campeirismo com muitos campeiros presentes para debates com o uso da espora, mango, manta gel, presilha no laço, entre outros assuntos. Diretores campeiros regionais, coordenadores, conselheiros, campeiros, fizeram 29ª Edição do evento que contagia o estado inteiro: O ENART 26ª ENTREVERO CULTURAL DE PEÕES Um dos poucos títulos que ainda não haviam sido conquistados pela 7ª região. Em um evento onde participaram 26 candidatos, representando 17 regiões, das 30, sendo 13 peões e 13 guris concorrentes. Nenhuma região fez dobradinha com peão e guri nesta edição, pois foram 6 premiados de diferentes regiões. Lucas Xavier repete o feito de Bruno Kamien (que entregou o cargo), que foi peão farroupilha aos 17 anos. No aniversário do MTG, em Lagoa Ve Entrevero de Peões levou titulo inédito para Marau FEGADAN - O sucesso foi tão grande pa

[close]

p. 11

Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 11 am na historia do tradicionalismo gaúcho Fotos: Rogério Bastos farroupilha para Marau, 29ª tem sua primeira representante no grupo estadual, foram algumas das noticias de 2014. grandes debates antes de cada decisão. No esporte foi acrescentada a modalidade bocha 48, já presente nos regulamentos pelo Brasil. No domingo, dia 27, foi hora e vez dos debates envolvendo os assuntos culturais como alinhamento das idades de prendas e peões, equacionamento dos conteúdos programáticos pelas idades, a manutenção do valor da prova escrita, entre outros assuntos. E no domingo o assunto básico foi ENART e o regulamento artístico do estado. região serrana, mas como focos em todo o estado, o Movimento Tradicionalista Gaúcho reuniu professores, dançarinos e músicos, amantes de um estilo de bailar, que Paixão Cortes, em suas pesquisas, caracterizava como “um jeito campesino de bailar”, ou mesmo ”bem simples”, e realizou o 1º festival dias 18 e 19 de outubro, nos pavilhões da Festa da Uva. mpeão laço seleção da FECARS 29º ENART ENART, às vésperas de comemorar 30 anos, proporciona momentos inesquecíveis em Santa Cruz. Em sua 29ª edição o Encontro de Artes e Tradição Gaúcha premiou a 1ª região tradicionalista, com a conquista do 10º troféu “Marca Grande” por somar a maior pontuação do evento. CTG Rancho da Saudade chegou a seu 5º Título. Em segundo lugar, ficou o CTG Tiarayu, de Porto Alegre. O Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Clube Juventude, de Alegrete, alcançou a terceira posição. O primeiro lugar nas danças tradicionais, na Força “B”, foi obtido pelo CTG Tropeiro Velho, de Panambi. Mesmo com poucos recursos, a criatividade fez bonito na avenida FESTEJOS FARROUPILHAS 2014 As festividades no RS tiveram seu inicio com o acendimento da Chama Crioula oficial do estado, que este ano aconteceu em Cruz Alta. Com a redução significativa dos valores a serem investidos no evento, a semana farroupilha teve que contar com a criatividade dos tradicionalistas para manter o sucesso que cresce a cada ano. Com o tema “Eu sou do Sul” e o patrono Benjamin Feltrim Neto, os festejos farroupilhas foi comemorado em cada município do estado mostrando o orgulho de ser gaúcho do povo do Rio Grande do Sul. stou o titulo máximo da ciranda Acendimento da Chama Crioula foi em Cruz Alta 1º FEGADAN, CAXIAS DO SUL Criado para valorizar os pesquisadores e também os criadores do Movimento, João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa, que resultou em uma série de obras que descreveram o bailar, a forma de vestir, tocar e cantar as musicas das danças tradicionais gaúchas, o FEAGADAN veio para ficar, pelo sucesso que foi sua primeira edição, em Caxias do Sul. Atendendo a uma demanda estabelecida, principalmente na 24º TCHENCONTRO DA JUVENTUDE COM UM NOVO FORMATO Confraternização – Evento volta a suas origens e propõe não haver competição, e sim, momentos de confraternização entre a juventude tradicionalista. Mesmo sem o espírito competitivo, cada região tradicionalista levou o que tinha de melhor para realizar mais uma edição do Tchencontro, que recebeu quase mil pessoas em Flores da Cunha, no dia 29 de novembro. Foram 570 inscritos que levaram ao palco os “Irmãos Bertussi”, “Teixeirinha”, “Os Monarcas”, entre outros artistas. Consules homenageados na semana farroupilha Tradicionalista em Caxias do Sul ermelha, mometnos de homenagens A chegada de Nossa Senhora da medianeira no ENART ara a 1ªEdição, que ficou marcada a 2ª Comissão Avaliadora do ENART 2014 13ªRT vencedora da Mostra Folclorica do ENART

[close]

p. 12

12 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 ENTREVISTA “Perico El Bailarin” - Herói Viamonense na Independência do Uruguai Nos causou surpresa o fato de não haver nenhuma rua ou monumento em Viamão enaltecendo a figura de Pedro José Vieira, conhecido no Uruguai com o apelido de “Perico el Bailarin”, que traduzido é Periquito Dançarino. Na luta do caudilho Artigas para estabelecer um movimento republicano e a derrubada da monarquia espanhola, sobressaiu-se dois notáveis personagens: o cabo de milícia Venâncio Benavides e o riograndense Pedro José Vieira nascido em Viamão, Rio Grande do Sul, que fora apelidado de Perico el Bailarin. Era capataz da estância de Almagro situada na beira do Rio Uruguai perto de Paysandú. Afamado entre a peonada das estâncias por sua pontaria certeira, tanto por pistola como quando atirava uma faca ou um par de boleadeiras e excelentes “sapateador” nas festas galponeiras. Popular por seu gênio alegre e fácil de granjear simpatias, além de ser um grande contador de história nos galpões. O cargo de capataz de grande estância lhe dava posição influente entre a gauchada devido ser necessário qualidades de mando e grandes conhecimentos da vida do campo. Os dois personagens receberam a missão de reunir a gauchada e a peonada, índios, agregados e etc. Marcaram a data de 28 de fevereiro de 1811, para encontro nos campos de trevo de Asencio Grande na embocadura do rio Negro. Os gaúchos começaram a aparecer convocados pelos dois agitadores. Muitos tinham viajado a noite inteira sem apear para chegar na hora ajustada. Vinham em pequenos bandos, agrupados nos caminhos, outros solitários, a galope ou trote largo, trazendo um ou dois cavalos a cabresto, ou tocando pela frente tropilhas de todos os pelos. Vinham de todas as direções, armados com velhos trabucos, sabres, facões, tesouras de tosquiar ovelhas amarradas em taquaras. Tinham atravessado arroios a nado à noite ou agarrados a cola dos cavalos. Troteavam na mesma direção; os campos de Asencio Grande. Quando despontou o sol estavam ali. Nenhum faltou ao chamado de Vieira e Benavides. Apearam à sombra dos umbus e soltaram a cavalhada no treval nativo. Benavides que era um homem de elevada estatura subiu num tronco caído e fez breve discurso conclamando à luta pela liberdade e contra a monarquia espanhola. Aos gritos de “Adelante, guerra al godo” (godo era chamada à monarquia). Vieira “El Perico” que como capataz de estância estava mais habilitado a organizar e dar ordens, alçou-se nos arreios e exclamou numa mescla de portuguez e castelhano “A la Capila Nueva!” Vamos caçar los godos maturrangos” ( Capila Nueva era um lugarejo situado perto e monarquistas que não sabiam andar a cavalo). Este foi o grito de “Asencio” como ficou conhecido na história da América do Sul. Seus autores: um miliciano uruguaio e um gaúcho de Viamão do Rio Grande. Um grito de independência equivalente ao Grito do Ipiranga. A gauchada foi se reunindo mais e mais, formando grande contingente e foi dado ao tenente Fernando o cargo de comandante da tropa e ao viamonense Perico – Pedro José Vieira, o de sub-comandante. A noticia do “Grito de Asencio” se espalhou como rastilho de pólvora por todo o estuário do Rio da Prata. Instalou-se o quartel general da revolução na cidade de Mercedes e após sob o comando do caudilho Artigas desenvolveu-se a luta árdua pela formação da República Uruguaia. “Perico el Bailarin” salientou-se em grandes combates, entre os quais quando o comandante Dorrego foi salvo do aniquilamento, por estar cercado pelos inimigos, e Vieira, o Perico, o socorreu nos últimos minutos com um esquadrão de cavalaria cortando as arremetidas de Rivera comandante monarquista. Atraído pelo movimento revolucionário gaúcho de 1835, foi incorporado de corpo e alma à Revolução Farroupilha com o posto de coronel, que já trazia das lutas ao lado de Artigas, Bolívar e San Martin. Pertenceu às hostes farroupilhas dirigidas pelo General Domingos Crescencio de Carvalho, onde conquistou glorias pela sua coragem e intrepidez. Afirma o insigne historiador Aurélio Porto que Pedro José Vieira era ativo, inteligente, bom conversador e irrequieto, bom “sapateador” nas festas galponeiras e logo se distinguiu por seu espírito liberal e atitudes másculas de bondade e justiça. Aurélio Porto assim o descreveu: “Um autêntico Herói internacional, que jornadeava com Artigas, que deu o grito de Asencio” e que erguera com Bolívar e San Martin, a bandeira da unidade sul americana”. Corre entre nossos tradicionalistas que Pedro José Vieira teria criado ou levado do Rio Grande do Sul para o Uruguai a hoje “dança nacional uruguaia – El Perleón” – e que por isso recebera o apelido de “Perico el bailarin” e criou a coreografia com “panuelos azueles y blancos” e que hoje faz parte integrante do Pericón. Vemos, portanto, que nosso herói farroupilha, o viamonense Pedro José Vieira, recebeu o apodo de “Perico, el Bailarin” não apenas por ser grande bailarino, inclusive do Pericón, mas também por ser autêntico “perico” – isto è: periquito barulhento e alegre, conversador e “travesso” como um papagaio amestrado, sem maldade na paz, mas terrível na guerra. Este é o herói Viamonense a quem devemos render nossas homenagens. Tânia Goulart recebe prêmio ARI de Jornalismo Tânia Goulart, 48 anos, jornalista, participou da Sociedade Gaúcha de Lomba Grande. Foi prenda regional em 1986 e campeã em declamação de rodeios como de Osório, Vacaria, Bagé, Aldeia dos Anjos e do 2º FEGART. “Há 15 anos trabalho na divulgação da cultura gaúcha e, no Jornal NH, tenho, há 12 anos, o espaço ABC do Gaúcho que divulga a arte gaúcha” conta Tania. Eco – como foi receber a noticia de estar concorrendo ao premio ARI 2015? Há 12 anos produzo materiais jornalísticos em homenagem à semana Farroupilha, no Jornal NH, em setembro. Este ano produzi a série “Alemães na Revolução Farroupilha”. Pela primeira vez inscrevi um trabalho no Prêmio Ari de Jornalismo, instituído pela Associação Rio-grandense de Imprensa -considerado o “Oscar” da imprensa gaúcha. Além do espaço “ABC do Gaúcho” sou editora da área de cultura do Jornal NH, de Novo Hamburgo. Eco – O que te levou ao reconhecimento e, por consequência, concorrer ao prêmio? Ganhar este prêmio Ari na categoria cultural é um reconhecimento muito grande ao meu trabalho, ainda mais quando se trata de um trabalho que resgata uma parte da história gaúcha praticamente esquecida. Eco – Como foi receber a noticia de que foi premiada? Estar entre os cinco indicados já foi uma alegria imensa, já que foram 274 inscritos, de todo o estado. Mas claro, receber o 1º lugar é algo indescritível! Foto: Divulgação Tania que foi prenda na 30ªRT, foi premiada na ARI 28º Seminário Estadual de Prendas “Nenhum de nós é tão bom quanto todos nós juntos” (Warren Bennis) Promoção: 07 de março de 2015 Sociedade Gaúcha de Lomba Grande Sociedade Gaúcha Lomba Grande Rua Albano Konrath, 1035 - Lomba Grande Novo Hamburgo/RS TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 13

Ano XIII - Edição 161 ENTREVISTA Janeiro de 2015 13 MOMENTOS DA HISTÓRIA Os segredos para o 14º mandato frente à 7ª RT Receita de sucesso: Organização, controle �inanceiro, apoio às entidades da região e às prendas e peões, �izeram Gilda permanecer 14 anos frente a sua região. Gilda Galeazzi, 60 anos, formada em administração e marketing, oriunda, assim como seu esposo, Carlos Mello, do CTG Fagundes dos Reis. Foi Coordenadora da 7ªRT de 1996 à 2004, durante 9 gestões, voltando em 2011, e permanecendo até 2015, mais 5 gestões, totalizando 14 anos frente a 7ªRT. Eco – Gilda como mantém o equilíbrio das contas da região numa época tão difícil? Gilda - A região é autossuficiente no seu orçamento, porque fazemos uma gestão consciente pela parceria com a comunidade onde esta inserida através do apoio dos poderes públicos municipais, eventos realizados com entidades filiadas e não ter entidades filiadas inadimplentes. Temos um quadro de 99 entidades e todas elas estão com suas obrigações quitadas. Eco - Mantendo o equilíbrio, às vezes obriga a não se fazer investimentos, mas a 7ª RT se caracteriza por fazer, apoiando entidades e jovens talentos. Como fazê-los, buscar resultados e, ainda, conseguir equilibrar tão bem as finanças? Gilda - Hoje possuímos um saldo de caixa positivo bastante significativo, e investimos muito no ano de 2014, iniciando pelo Congresso Tradicionalista, disponibilizando o transporte gratuito para 128 eleitores, Seminário Estadual de Prendas, transporte gratuito para todas as prendas e peões, na FECARS os participantes não tiveram nem um custo, incluindo transporte das pessoas, animais, alimentação e camisas. No Entrevero de Peões e Ciranda Cultural, todas as despesas de transporte alimentação e hospedagem para os concorrentes e familiares por conta da região e, finalizando, investimos também no ENART, onde tivemos três grupos de danças classificados e a região disponibilizou um ônibus para cada grupo de danças, e ainda mantemos duas sedes da região, uma campeira e outra administrativa com gastos mensais, incluindo a secretária, que é paga também pela região, tudo isto se deve ao trabalho serio e comprometido com a região, gastando-se só o necessário e, o equilíbrio financeiro é positivo porque as entidades tem uma participação efetiva em todos os setores. Entendemos também que se não tiver a participação das entidades e seus representantes não tem porque existir a região e, consequentemente, o próprio MTG. Foto: Divulgação Os Sete povos das Missões Quarenta anos depois, os padres da Companhia de Jesus retomam o projeto das missões na margem esquerda do rio Uruguai No ano de 1682, os jesuítas voltaram ao território de onde haviam sido expulsos pelos bandeirantes caçadores de escravos, há quase meio século. Nesse mesmo ano, fundaram duas reduções a poucos quilômetros da margem esquerda do rio Uruguai, em terras que hoje pertencem ao Rio Grande do Sul: São Borja e São Nicolau. Em pouco mais de duas décadas, fundaram outras cinco reduções, formando o que ficou conhecido como os Sete Povos das Missões, um conjunto de comunidades reunindo índios guaranis numa experiência de civilização sem precedentes. Quando as Missões foram parcialmente arrasadas por um exército formado por espanhóis e portugueses, em 1756, havia três gerações de guaranis vivendo num sistema organizado pelos padres. Haviam passado de uma cultura seminômade, que não pensava no dia seguinte, para uma vida sedentária, produtiva e planejada em todos os detalhes. O interesse pela experiência das Missões é crescente no século atual. As ruínas de São Miguel foram tombadas pelo Patrimônio Histórico Nacional em 1938 e, mais tarde, declaradas patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas. Quanto à história dos Sete Povos, os pesquisadores ainda estão descobrindo novidades. Em março de 1998, ao reformar um dos prédios mais antigos da cidade, para instalar o museu municipal, funcionários da Prefeitura de Santo Angelo descobriram pedaços de esculturas, pedras, cerâmica, telhas e outros sinais da redução que deu nome à cidade, e da qual não se conhecia a localização exata. Gilda, 14 anos à frente da 7ªRT Carlos Mello indicado para a presidência do Congresso Foto: Divulgação Carlos Medeiros de Mello, 71 anos, despachante e advogado e bacharel em direito. Mello foi tesoureiro do CTG Fagundes dos Reis, gestão 1969, tesoureiro novamente em 1975, patrão nos anos de 1977/1978. Assumiu a coordenadoria regional em 1982/1983, tesoureiro da coordenadoria em 1990/92. Mello voltou a assumir de coordenador no biênio 1993/1994, conselheiro e vice-presidente financeiro do MTG de 1996 a 2000. Em 1999 recebeu a “Comenda João de Barro” por serviços prestados como idealizador e coordenador da obra onde, hoje, é sede do MTG e atualmente Conselheiro Benemérito do MTG. O Conselho Diretor do MTG, em reunião ordinária, escolheu Carlos Medeiros de Mello para ser o presidente do 63º Congresso Tradicionalista Gaúcho, que acontecerá em Uruguaiana, de 9 a 12 de janeiro. Agora a indicação irá para apreciação dos congressistas. O presidente e o 1º vice-presidente são eleitos por voto secreto ou, não existindo divergência, por aclamação, participando da votação os congressistas com direito a voto. Já o 2º vice-presidente é designado pela Comissão Executiva. Mello tem uma historia pelo Movimento TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 14

14 PELO RIO GRANDE Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 Alvorada tem sua 1ª Sub coordenadora Marta Beyer Jara, 44 anos, formada em contabilidade, sua entidade de origem foi o CTG Cristóvão Pereira de Abreu, de Itaqui, trabalha como vendedora, mas divide seu tempo com o tradicionalismo gaúcho, no piquete Alma Nativa, e sua família. Agora desempenhará um papel importante na 1ª RT, atuando como subcoordenadora de Alvorada. “Em Alvorada, onde me estabeleci com minha família, tive a oportunidade de ser patroa e subdiretora cultural do município e, agora, subcoordenadora. Das alegrias que o tradicionalismo me proporcionou, certamente a maior delas se dá ao fato de ter a minha família, meu marido e meus filhos, lado a lado, compartilhando da nossa cultura” – contou Marta. Orgulho de fazer acontecer “O primeiro acampamento cultural e campeiro de Alvorada, Sempre tive um trabalho voltado as nossas crianças, o nosso futuro. Nesse acampamento tive a grande oportunidade de integrar as crianças não só na parte cultural que quase todas eles conheciam mas também na parte campeira pouco exploradas por nossos CTG’s” Planos para 2015 “Quero fazer um trabalho de fortalecimento ao tradicionalismo, tenho um projeto de levar até as escolas nossa cultura, atingindo assim um maior numero de crianças e adolescentes. Quero também firmar uma parceria mais forte com nossa região, trabalhando com meus CTG´s e Campeira de Alvorada unidas.” Marta tem a consciência que este é um grande desafio, mas tem a certeza de que estará junto aos amigos e a sua equipe, de mãos dadas, pelo tradicionalismo. “O sucesso é fruto de muito trabalho e só pode ser alcançado com um trabalho em equipe. Tenham a certeza que só o apoio e a dedicação de cada um de nós poderá nos conduzir ao sucesso”. Foto: Divulgação Vem aí o rodeio do CTG Relembrando Tio Lautério, de Chiapetta O CTG Relembrando Tio Lautério de Chiapetta, 20ª Região Tradicionalista, estará promovendo nos próximos dias 23, 24 e 25 de Janeiro de 2015 o seu IX Rodeio Crioulo e III Rodeio Artístico. Haverá diversas modalidades de tiro de laço, como laço oficial, vaca gorda, “Taça Sicredi”, “Laço Corujão”, entre outras. Importante destacar a volta do rodeio artístico que também acontecerá paralelo ao rodeio crioulo, com modalidade de Declamação nas diversas categorias. Maiores informações podem ser encontradas na página do CTG no Facebook: www.facebook.com/ ctgrelembrandotiolauteriochiapetta ou ainda pelos telefones: (055) 99718877 – Patrão Odilar Ritter, (055) 96280670 – Posteiro da Campeira Rodrigo Mattioni e (055) 9611-5688 com Douglas B. Almeida (WhatsApp) Seguindo os passos de quem deu certo Primeiros passos: Carla Gomes, 1º prenda pré-mirim do PTG Rancho da Amizade, de São Gabriel, segue os passos de Luana Wojciechowski, que foi 1ª prenda mirim do RS, pela 18ªRT Marta é pioneira em Alvorada II Natal Gaúcho solidário em Xangri-lá Foi realizado no dia 21 de dezembro, domingo, à noite, na sede do GTC 20 de Setembro no bairro Guará o “II NATAL GAÚCHO SOLIDÁRIO DO GTC 20 DE SETEMBRO”. O evento teve em sua programação: a encenação “Nascimento do Menino Jesus” com a participação das prendas e peões promotores do evento. Houve também as apresentações das invernadas do GTC 20 de Setembro, Mirim, Juvenil e Veterana e a chegada do Papai Noel. A entrada de cada participante foi a doação de um quilo de alimento não perecível. Esses alimentos foram doados no dia 23 ao Forno Comunitário Madre Assunta, “Dona Zezé”, de Capão da Canoa. Os promotores do evento, prendas e peões do GTC e regionais, foram apoiados pela 23ª Região Tradicionalista, pela Patronagem do GTC 20 de Setembro, por Terezinha da Silva Nunes, diretora cultural da região e por Janini Delfino Carneiro, diretora cultural do GTC 20 de Setembro. Aos 6 anos de idade a pequena Carla, que é 1º prenda pré-mirim do PTG Rancho da Amizade e a 2ª prenda pré-mirim do seu município, São Gabriel, esta se preparando para o seu concurso regional, que vai acontecer na cidade de Bagé, 18º RT, no mês de junho de 2015. Ela vem realizando seus projetos nas escolas ensinando crianças a fazer brinquedos recicláveis. A pequena prendinha acha que as crianças do mundo moderno estão cada vez mais longe das antigas brincadeiras de roda, bem como dos brinquedos folclóricos, feitos a partir de materiais que não seriam mais utilizados (latas, tampas, meias, tecidos, etc). Carla também realizou, no mês de dezembro, uma campanha no seu município, juntamente com os seus colegas de gestão e patronagem da Coordenadoria Tradicionalista Municipal, de São Gabriel- RS, que deu todo o apoio, através do patrão, Marcio D’Ávila. A campanha “Natal do Pia Carente” envolveu varias entidades tradicionalistas de São Gabriel. Foto: Divulgação Carla segue os passos de Luana na 18ªRT TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 15

Ano XIII - Edição 161 Janeiro de 2015 15

[close]

Comments

no comments yet