Jornal Eco da Tradição de Novembro de 2014

 

Embed or link this publication

Description

Jornal Eco da Tradição de Novembro 2014

Popular Pages


p. 1

ECO DA TRADIÇÃO - ANO XIII - Nº 159 - NOVEMBRO 2014 Flores da XXIVCunha Estadual da Juventude Gaúcha Contracapa te espera! Sugestão de leitura para novembro Página 18 EDITORIAL Duas questões na mesa Pág. 02 FEGADAN - Caderno especial conta como foi a 1ª edição TV Tradição transmitirá o ENART 2014 ao vivo EVENTOS “Tá no ENART? Tá no mundo!” Pág. 03 ENART 2014 MTG Enart para o mundo ver! FEGADAN foi um sucesso na opinião de organizadores e participantes 2º Encontro da Ordem dos Cavaleiros Pág. 04 Páginas centrais CTG Alexandre Pato foi o palco de um evento bem organizado, que contou com outorga da OrCav, medalha Barbosa Lessa, diploma João-de-Barro e muito mais Festa histórica marca os 48 anos do MTG em Lagoa CBTG Conheça Piratuba/SC local do FENART Pág. 07 TURISMO NO SUL Participe da Cavalgada da Costa Doce Pág. 09 TRADICÃO Resultado do Aberto de Esportes Pág. 12 CEVANDO O MATE A hora das escolhas Pág. 17 Foto: Rogério Bastos Rodrigo Moretto (E), foi protagonista de uma atitude, durante a FECARS 2014, em Viamão, que lhe rendeu uma homenagem emocionante

[close]

p. 2

2 Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 EDITORIAL Manoelito Carlos Savaris - Presidente OPINIÃO Por: Lilia Sabrina Cunha Consultora de RH e escritora Duas questões na mesa! Rua Guilherme Schell, 60 Porto Alegre / RS CEP: 90640-040 Email: ecodatradicao@mtg.org.br www.mtg.org.br mtg-rs.blogspot.com wp.clicrbs.com.br/mtg Contato: 51. 3223-5194 Mulheres tradicionalistas A escrita do livro “Trajetórias de Mulheres na Gestão de CTG” ocorreu durante minha trajetória enquanto mestranda no Programa de Pós Graduação em Memória Social e Bens Culturais, no Unilasalle Canoas e possui dois grandes significados: superação e coragem. Superação das dificuldades que o rigor acadêmico impõe, limitando o estudo em diversos aspectos, principalmente por tratar-se de um campo carente de exploração. Coragem para enfrentar as barreiras que se instalaram durante sua execução, em um chão que parecia árido demais. Referenciando a participação das mulheres na história do Tradicionalismo deparei-me com o desafio da escassez, já que esse ainda é um tema carente na bibliografia que aborda a história do Rio Grande do Sul, de modo que não existem registros notórios e capazes de evidenciar suficientemente uma evolução histórica nesse aspecto. Apesar de uma pesquisa inédita, foi possível realizar a dissertação com os seguintes objetivos: descrever as trajetórias profissionais e de vida de mulheres que ocuparam a função de patroas em Centros de Tradições Gaúchas; identificar, a partir de suas percepções, elementos facilitadores e dificultadores para a gestão de um Centro de Tradições Gaúchas; evidenciar quais são os atributos de competência necessários à gestão de Centros de Tradições Gaúchas, segundo os relatos de experiências dessas patroas e ainda, entregar à sociedade como produto final, um livro que contemplasse as trajetórias encontradas. O livro aborda trajetórias de mulheres ousadas, corajosas e competentes que através de suas atuações mostraram seus potenciais alcançando a posição de patroas em CTG. Histórias que revelam a importância do trabalho participativo e doação dedicada às Entidades Tradicionalistas como pré-requisito ao alcance da função de patroas. Por outro lado, evidenciam jeitos particulares de cada uma delas na execução de suas atividades. O resultado está à disposição do público tradicionalista e demais interessados nesta leitura: uma obra que por si só, perpassa os caminhos da Antropologia, Administração e História, registrando contribuições de oito mulheres que cumpriram veemente suas Gestões como patroas, propondo melhorias, integrando novas pessoas, disseminando a Cultura, interagindo com a comunidade, desenvolvendo suas Entidades Tradicionalistas. Convido a todos para descobrirem no conteúdo dessa obra uma nova etapa da história do Rio Grande do Sul no que se refere à participação das mulheres em nosso Tradicionalismo Gaúcho. No Andes cambiando de cueva. Hacé las que hace el ratón: conserváte em el rincón em que empesó tu esistencia: vaca que cambia querência se atrasa em la parición. Foi dessa forma que José Hernádez se expressou no épico Martín Fierro, ao tratar de gente que não fixa lugar e que anda pra cá e pra lá achando que na casa dos outros a comida é melhor, sem “vestir uma camisa”. Os CTGs são clubes que congregam pessoas e constroem suas histórias criando um ambiente em que cada associado se sente “dono” e defende a entidade. De alguma forma cada dirigente de CTG procura aprofundar o espírito de “amor à camiseta”, ou seja, o espírito de luta e desprendimento que faz de cada associado um soldado daquela casa. Esse espírito de apego ao CTG é estimulado e internamente elogiado com frequência, não para desmerecer aos outros, mas para fortalecer a si. Com frequência vemos tradicionalistas afirmando: “eu sou .... (o nome do CTG)”. Assim como é comum ouvirmos pessoas se vangloriando e demonstrando orgulho de serem fundadores ou de estar a tantos anos no CTG tal. Temos no nosso meio dois fenômenos que contrastam com tudo isso, ou seja, duas situações específicas que contrariam essa lógica de “vestir a camisa” ou de defender a “sua casa”, uma na área artística e outra na atividade campeira. No meio artístico nos deparamos com os “instrutores de danças” e com os “musicais” que deixaram, na sua grande maioria, de representar uma entidade. Eles não têm mais o espírito de representação de uma bandeira. Defendem, ou melhor, utilizam várias bandeiras. Acredito que todos eles tentem fazer o melhor em cada CTG que trabalham, geralmente mediante remuneração. Não tenho certeza se conseguem manter o mesmo desempenho, mesmo que digam sempre: “sou profissional”. A contradição está tanto nessa questão de trabalhar para vários CTGs, quanto na questão do profissionalismo. Eu imagino como seria se um treinador de futebol treinasse vários times que participam do mesmo campeonato. Ou um atleta que jogasse por vários times. Será que o profissionalismo resolveria essa questão? Na área campeira temos um fenômeno um pouco diferente. Há a troca de entidade e a formação de grupos com o fim específico de ganhar mais provas e acumular mais prêmios em dinheiro, mas aqui me refiro aos laçadores que resolveram “cambiar de cueva”. Me parece que são pessoas que só querem diversão, jogo e ganho de dinheiro. Não há a mínima preocupação com a preservação da tradição ou com o fortalecimento das entidades tradicionalistas que são os esteios da preservação das tradições. As duas situações devem ser analisadas com cuidado. No primeiro, devemos verificar se há alternativas que mudem ou que façam retornar à situação dos anos 90. Sempre com o devido cuidado para não destruir tudo aquilo que há de bom e bonito na atividade artística. No segundo caso, devemos decidir se aceitamos os “cambiadores” que desejam ter morada em duas casas diferentes e que ficam especulando, a cada dia, qual casa oferece melhor prato à mesa. Como arremate dessa reflexão vale lembrar os versos de mesmo José Hernández, ainda em Martín Fierro: EXPEDIENTE: SUPERVISÃO: Manoelito Carlos Savaris DIREÇÃO GERAL: Nairioli Callegaro DIREÇÃO DE REDAÇÃO: Rogério Bastos DIAGRAMAÇÃO E DESIGN: Liliane Pappen CONSELHO EDITORIAL: Nairioli Callegaro, Odila Paese Savaris e Gustavo Bierhaus JORNALISTAS RESPONSÁVEIS: Rogério Bastos (16.834) Liliane Pappen (16.835) Fúlvio Lopes (16.200) ESTÁGIO E REVISÃO: Ticiana Leal COMERCIAL E EXPEDIÇÃO: Kelly Rocha IMPRESSÃO: Zero Hora TIRAGEM: 3 mil exemplares Atendimento 09 às 12 horas e das 13 às 18 horas De segunda a sexta-feira Valores da Anuidade R$ 922,33 Plena R$ 791,48 Parcial R$ 486,17 Especial Estudantis R$ 137,23 40% do valor é repassado às RTs. Novembro Valor MTG: PRESIDENTE: Manoelito Carlos Savaris VICE PRESIDENTE DE ADMINISTRAÇÃO: Nairioli Callegaro VICE PRESIDENTE DE CULTURA: Elenir Winck VICE PRESIDENTE DE EVENTOS: José Roberto Fischborn VICE PRESIDENTE DE FINANÇAS: Gerson Ludwig Não nos responsabilizamos pelas opiniões publicadas no jornal “A naides tengás envidia; es muy triste el envidiar; cuando veás a outro ganar; a estorbarlo no te metas: cada lechón em su teta es el modo de mamar”. Trajetórias de mulheres na Gestão de CTG será lançado na Feira do Livro de Porto Alegre no dia 09/11 às 17:00

[close]

p. 3

Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 3 EVENTOS - ENART Programação completa da 29ª edição do ENART PALCO A - GINÁSIO Danças Tradicionais FORÇA A Sexta-Feira – 14/11 18:00 - Chegada da Imagem de N. S. Medianeira 19:30 – Abertura Oficial do ENART com Show de Abertura – CTG Ronda Charrua 20:00 – Gravação do Galpão Crioulo – RBS 21:30 – Sorteio das Danças do 1º Grupo - Bloco 1 21:45 – Eliminatória Danças Tradicionais - Bloco 1 Domingo – 16/11 09:00 – Missa crioula 17:15 – Eliminatória Danças Tradicionais – Bloco 4 20:00 – Sorteio das Danças do 1º Grupo – Bloco 5 20:15 – Eliminatória Danças Tradicionais – Bloco 5 Na modalidade Danças Tradicionais Força B – Classificam-se 20 grupos para a Final de domingo. Domingo – 16/11 08:45 – Sorteio 1º Grupo – Final Danças Tradicionais 9:00 – Final Danças Tradicionais – Força B 19:30 – Solenidade de Encerramento – Palco A PALCO D – PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO Sábado – 15/11 09:00 – Eliminatória Trovas (Campeira, de Martelo e Estilo Gildo de Freitas) e Final Pajada Domingo – 16/11 09:00 – Final Trovas (Campeira, de Martelo e Estilo Gildo de Freitas) e Final Causo Na Modalidade Trovas Classificam-se 10 concorrentes para a final Na modalidade Pajada e Causo – Não haverá Classificatória, somente Final. Sábado – 15/11 08:15 – Sorteio das Danças do 1º Grupo - Bloco 2 08:30 – Eliminatória Danças Tradicionais - Bloco 2 12:45 – Sorteio das Danças do 1º Grupo - Bloco 3 13:00 – Eliminatória Danças Tradicionais - Bloco 3 17:00 – Sorteio das Danças do 1º Grupo - Bloco 4 17:15 – Eliminatória Danças Tradicionais - Bloco 4 20:00 – Sorteio das Danças do 1º Grupo - Bloco 5 20:15 – Eliminatória Danças Tradicionais - Bloco 5 Na modalidade Danças Tradicionais Força A Classificam-se 20 grupos para a final de domingo. PALCO E – LONÃO DA CHULA Sábado – 15/11 21:00 – Eliminatória Declamação Feminina (6 concorrentes) PALCO H – BIER HAUS Sexta-Feira – 14/11 Sábado – 15/11 09:00 – Eliminatória Declamação Feminina (a partir do 7º concorrente) Na modalidade Declamação Feminina - Classificam-se 10 concorrentes para a Final de domingo. 09:00 – Eliminatória Chula Na modalidade Chula – Classificam-se 12 concorrentes para sábado a noite e 4 para a final. Domingo – 16/11 08:45 – Sorteio 1º Grupo – Final Danças Tradicionais 09:00 – Final Danças Tradicionais – Força A 19:00 – Solenidade de Encerramento Domingo – 16/11 09:00 – Final da Chula Domingo – 16/11 09:00 – Final Declamação Feminina PALCO B – 25 DE JULHO Sexta-Feira – 14/11 20:30 – Eliminatória Intérprete Solista Vocal Feminino (Apresentação de 15 concorrentes) PALCO F – CENTRAL Sexta-Feira – 14/11 21:00 – Eliminatória Danças Gaúchas de Salão Apresenta-se um bloco de 5 pares PALCO I – ASSEMP Sexta-Feira – 14/11 21:00 – Eliminatória Declamação Masculina (6 concorrentes) Sábado – 15/11 09:00 – Eliminatória Intérprete Solista Vocal Feminino (a partir da 16ª concorrente) 14:00 – Eliminatória Intérprete Solista Vocal Masculino Sábado – 15/11 09:00 – Eliminatória Danças Gaúchas de Salão Na modalidade Danças Gaúchas de Salão Classificam-se 15 pares para a Final de domingo. Sábado – 15/11 09:00 – Eliminatória Declamação Masculina (a partir do 7º Concorrente) Na modalidade Declamação Masculina – Classificam-se 10 concorrentes para a Final de domingo. Domingo – 16/11 09:00 – Final Intérprete Solista Vocal Feminino, Masculino e Conjunto Vocal Na modalidade Intérprete Solista Vocal Feminino e Masculino – Classificam-se 10 concorrentes para a Final. Na modalidade Conjunto Vocal, não haverá Classificatória, somente Final. Domingo – 16/11 09:00 – Final Danças Gaúchas de Salão Domingo – 16/11 09:00 – Final Declamação Masculina PALCO G – PAVILHÃO 2 Danças Tradicionais FORÇA B Sexta-Feira – 14/11 21:30 – Sorteio das Danças do 1º Grupo – Bloco 1 21:45 – Eliminatória Danças Tradicionais – Bloco 1 PALCO J – SINDITABACO Sábado – 15/11 09:00 – Final Gaita de Boca, Bandoneon, Gaita Piano e Gaita Botão (até 8 baixos e mais de 8 baixos). PALCO C – PAVILHÃO 3 Sábado – 15/11 13ª Mostra de Arte e Tradição Gaúcha. 09:00 às 11:00 – Organização e montagem 12:00 às 19:00 – Exposição Sábado – 15/11 08:15 – Sorteio das Danças do 1º Grupo – Bloco 2 08:30 – Eliminatória Danças Tradicionais – Bloco 2 12:45 – Sorteio das Danças do 1º Grupo – Bloco 3 13:00 – Eliminatória Danças Tradicionais – Bloco 3 17:00 – Sorteio das Danças do 1º Grupo – Bloco 4 Domingo – 16/11 09:00 – Final Violão, Viola, Violino ou Rabeca e Conjunto Instrumental Nestas modalidades não haverá classificatória. CONTATOS Presidente Jorge Rohr Fone: (51) 9701 5516 Vice-presidente Leandro Baumgarten Fone: (51) 9642 3029 Diretor Administrativo Armando Clóvis Gewher Fone: (51) 9995 3287 Assessora de Imprensa Sandra Veroneze Fone: (51) 9370 0619 Responsável pelo Alojamento Geraldo da Silva Fone: (51) 9843 0120 Responsável p/ Acampamento Paulo R. Cardoso Fone: (51) 9517 5680 PALCOS Palco A - Ginásio Poliesportivo Palco B - 25 de Julho Palco C - Pavilhão 3 Palco D - Praça de Alimentação Palco E - Lonão da Chula Palco F - Central Palco G - Pavilhão 2 Palco H - Bierhaus Palco I - Assemp Palco J - Sinditabaco 1 PALCO G 2 PALCO I

[close]

p. 4

4 PROSEANDO COM TENÊNCIA Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 MOVIMENTO TRADICIONALISTA GAÚCHO Por Rogério Bastos Casos e Acasos “O mar só é realmente maior que os rios por que se coloca abaixo deles.” Eduardo Moreira escreve em seu livro. “O Encontro”, que ganhei de aniversário de meus amigos Jeandro e Ewilin, que o processo de amadurecimento do ser humano possui quatro etapas: Quando somos liderados, quando viramos líderes, mestres e sábios. Na primeira, pouco sabemos sobre a vida. Só nos resta seguir o que os outros nos dizem ou o caminho que apontam. Somos “cordeiros” em busca de um pastor. Neste ponto, estamos longe de saber quem realmente somos. Mais longe ainda de evoluir como pessoas. No estágio seguinte, conquistamos o maior bem que pode ser adquirido: o conhecimento. Nessa altura, porém, a sensação de “saber” é tão embriagante que nos cegamos com seu poder. Passamos a querer convencer os outros de que somos nós os detentores das verdades. Tornamo-nos tiranos do cotidiano. Os “cabeças-duras” que querem convencer os outros de que suas ideias, sim, são as corretas, e de que as dos outros de nada valem. Neste estágio, basta ouvir uma opinião contrária para que a pulsação suba, nos irritemos e iniciemos uma batalha pela propriedade da verdade. Os que estão nesta fase são os líderes pela imposição, pela força. Na etapa seguinte, atinge-se uma segurança tão grande com aquilo que se sabe, que a opinião contrária é incapaz de causar abalo. É como se conseguíssemos nos isolar do mundo e viver em paz com aquilo em que acreditamos. Essas são pessoas extremamente fortes, e difíceis de serem dobradas ou derrubadas. São também líderes, não pela força, mas pelo exemplo. Chamo-os de eremitas pela capacidade de isolarem-se do mundo e viverem em paz. Este, porém, não é o último estágio do amadurecimento. No último, o eremita desce da montanha e volta ao convívio da multidão, de onde veio. É incrivelmente seguro das verdades que abraça. E, além de não se abalar com as opiniões contrárias, é capaz de ouvi-las. Ao ouvi-las de coração aberto, sem se incomodar com o fato de contrariarem suas verdades, pode aprender e somar ainda mais a seu conhecimento. Transformou-se em sábio. Acredito que a grande maioria das pessoas chega, no máximo, ao segundo degrau desse processo. O mar só é realmente maior que os rios por que se coloca abaixo deles – parece frase de caminhão, mas é a essência da humildade. Aí que reside o segredo para tornar-se grande, a humildade. E para nos tornarmos humildes devemos nos encontrar com quem somos, ser apenas quem se é. Nem mais, que nos levará a arrogância e a prepotência e nem menos, o que também é tolice. Cursos do MTG em 2014 Depósito Banrisul - Ag.: 0100 - C/c 06.066982.0-3 em nome de Movimento Tradicionalista Gaúcho Enviar comprovante com nome e telefone para 51 3223-5194 ou e-mail para cursos@ mtg.org.br. Os contatos podem ser feitos com a Luciana Borges. Agenda de cursos disponível em: http://www.mtgrs.com/cursos Dia Curso Hora Valor Local Novembro 08 08 22 e 23 22 e 23 23 Sábado Sábado Sábado e Domingo Sábado e Domingo Domingo Curso para Juízes de Provas Campeiras CFOR Básico – 24ªRT CFOR Avançado - Modulo II Curso para Instrutores de Dança de Salão (Iniciantes) Renovação do Cartão de Instrutor de Danças de Salão (prova teórica, prática e vídeo) 9 às 18 9 às 18 9 às 18 R$ 150,00 R$ 70,00 R$ 40,00 Santa Maria - 13ª RT Arroio do Meio Sede MTG - POA 9 às 18 9 hs Sede da 1ª RT - POA Dezembro 06 Sábado CFOR de Patronagem 9 às 18 R$ 40,00 Taquara - 22ª RT Dias 29 e 30 de novembro de 2014 Local: Parque da Roselandia – Passo Fundo – RS. 2º Encontro Estadual de Coordenadores de Cavalgadas PROGRAMAÇÃO: 29/11/14 – Sábado 14h – Recepção e Credenciamento (salão Adão de Souza Leite) 16h – Abertura Oficial (salão Adão de Souza Leite) - Pronunciamento autoridades 16h30min – Espaço ao MTG - NAIRIOLI ANTUNES CALLEGARO Vice-presidente de administração 18h – Proposta de criação de novas comendas: - Proposta de comendas para equipe de apoio. 21h – Jantar (sede Cavaleiros do Mercosul) 21h – Apresentação artística – Grupo Chacoalhando a vanera. - Sorteio de Brindes entre os presentes; - Tertulia Livre 30/11/14 – Domingo 7h – Café Campeiro (sede Cavaleiros do Mercosul) 8h30min – Reinicio dos Trabalhos (salão Adão de Souza Leite) – Planilha Registro e organização de Cavalgadas existentes. 10h45min – Palestra Sanidade Animal - Palestrante: 11h30min – Entrega - Assuntos Diversos - Entrega de Certificados - Encerramento 13h – Churrasco de Despedida O ENART on line Vamos para o sexto ano de transmissão ao vivo do ENART. Até 2008, as pessoas perguntavam: “Por que ninguém quer transmitir um evento como o ENART?”. Foi preciso criar um canal de TV web, em 2009, que chamamos na época de ENART TV. Criamos o slogan: “Ta no ENART? Tá no mundo!” e com ele viajamos pelos continentes. Depois vieram a TV Tradição, a TV Com (que não estará este ano), e outras virão. O importante foi abrir caminho e mostrar que era possível. Quando o universo conspirava contra, e todos já tinham desistido, fomos lá e achamos o caminho. Faça isso você também. Não aceite dizerem que é impossível. Só é, até você chegar lá e fazer. EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA ELETIVA TRIÊNIO 2015 A 2017 O presidente da Comissão Gaúcha de Folclore, Ivo Benfatto, convoca os associados fundadores e efetivos, de acordo com o que determina o Estatuto vigente em seu Art. 5, Art. 8, parágrafo 3º, e o Art. 20, alínea “c”, para a realização de Assembleia Geral Ordinária – Assembleia Geral Eletiva, no dia 20 de novembro de 2014, em sua sede, na Rua Olinda 368, nesta cidade de Porto Alegre/RS, às 19:00 horas em primeira convocação e às 19h30min com qualquer número de associados fundadores e efetivos presentes, para a seguinte pauta: 1. Recebimento de chapas concorrentes aos cargos estatutários eletivos da Diretoria da CGF: Presidente, Vice-presidente, secretário e tesoureiro para o período de 20 de novembro de 2014 a 19 de novembro de 2017. 2. Análise e homologação pela Mesa Diretora da Assembleia dos candidatos que compõe as chapas apresentadas. 3. Eleição para cargos de Diretoria – Gestão triênio 2015-2017 4. Proclamação do resultado e Posse dos eleitos 5. Reunião Festiva com coquetel. Porto Alegre, 24 de outubro de 2014 REFLEXÃO “ O amor a Dança nos leva a criar, imaginar, voar e sonhar, ser livre para expressar através da linguagem do corpo” ( ) Rose Mary de Menezes Por ir Elom a Malt Prof. Ivo Benfatto Presidente CGF

[close]

p. 5

Ano XIII - Edição 159 DEPARTAMENTO JOVEM Novembro de 2014 PELO RIO GRANDE 5 Somos jovens... Jovens tradicionalistas!! Cultivamos nossos valores, nossos costumes, o espírito associativo, o nativismo, o respeito a palavra dada, a defesa da honra, a coragem, o cavalheirismo, amizade, a hospitalidade, a conduta ética, o amor a liberdade, o sentimento de igualdade, a politização e o senso de modernidade. Somos herdeiros deste legado de oito jovens, que de mão em mão se transformou na identidade de um povo. De ser GAÚCHO! Somos melhores que os outros jovens? Não somos! Somos diferentes! Temos a coragem de “mostrar a cara’’, de termos atitude e agirmos pelo movimento. Somos guiados pelo espírito daquela gente que forjou com bravura e sangue o legado de liberdade, de igualdade e humanidade deste Rio Grande. Somos a continuidade viva da cultura do Rio Grande do Sul, temos orgulho disso e onde for que estivermos sempre seremos tradicionalistas, pois tradicionalismo é o que somos, é o que vivemos. Quando estamos fora de um CTG, na sociedade, está presente nossa postura e nossa conduta de tradicionalista. Pilchados ou não, temos dentro de nós o respeito por aquilo que que chamamos de tradição, de ser parte da minha entidade e da grande família que é o Movimento Tradicionalista Gaúcho. O Departamento Jovem no Movimento Tradicionalista Gaúcho tem como objetivo apoiar aos demais departamentos colaborando na organização de suas tarefas. Também passando aos jovens da sociedade responsabilidades, não só como auxiliador, mas ser a estrutura de seus próprios projetos, como oficinas, palestras, debates e eventos que transmitam a cultura, sabedoria, valores morais e éticos, que contribuam com a sociedade seguindo sempre a carta de princípios. Temos cada vez mais nos destacado no meio tradicionalista, com ideias e atitudes, ações concretas dentro do movimento baseadas nas nossas vivencias e aprendizados transmitidos pelos mais velhos, essa valorização também se deve ao fato de sermos referencia e o exemplo para as crianças e termos a responsabilidade de representar junto a sociedade o Movimento Tradicionalista Gaúcho. Que a juventude tradicionalista nos quatro cantos do Rio Grande comemore com muito orgulho e muita honra, pois é hoje a metade dos associados do movimento ,e nas palavras do presidente Manoelito Savaris: “a parcela mais preciosa”. Um forte abraço! Por Marcel Heinrich - Diretor do Departamento Jovem 4ª Inter região MTG - RS 24ª RT visita as missões Um grupo da 24ª Região Tradicionalista, liderado pelo coordenador Flávio Antônio Rodrigues e sua vice Margarete Capellari Hammes, visitaram as missões, no sábado, dia 4/10, com o objetivo de incentivo cultural. Recepcionados na Praça Pinheiro Machado, em Santo Ângelo, pela guia Regional, Inês Fraton Koren, o grupo conheceu, na parte da manhã, o centro histórico de da cidade. À tarde, os tradicionalistas visitaram o Santuário do Caaró e o sítio arqueológico de São Miguel das Missões. No patrimônio mundial da humanidade, os visitantes conheceram o museu de estatuária hissioneira com imagens feitas por padres jesuítas e índios Guaranis, durante o século XVII e XVIII. Para encerrar a visitação, o grupo pôde assistir ao espetáculo Som e Luz, que conta a história da revolução guaranítica. Segundo Rodrigues, a viagem patrocinada pela 24ª região tradicionalista teve por objetivo levar os integrantes a conhecer de perto um pouco da história dos primórdios, e promover o incentivo cultural. De acordo com a vice-coordenadora, um “momento cultural”, será apresentado, em forma de vídeo, durante encontro regional de patrões, a fim de contextualizar um pouco da história dos sete povos das missões. Foto: Beatriz Colombelli TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 6

6 TRADICIONALISMO Ano XIII - Edição 159 ESPAÇO DO IGTF Novembro de 2014 Texto que usou como base o livro do professor Toni Sidi Pereira Por: Rodi Borghetti - Presidente IGTF O professor, o instrutor e o coreografo, quais as responsabilidades? Tenho viajado por todo o estado e ouvido, de diversas pessoas, que tem dificuldade com seu “professor”, com seu “instrutor”, com seu “coreografo” ou, simplesmente, com seu “posteiro”. Mas afinal, o que é cada um? Segundo o Toni Pereira e o Jefferson Camilo, em seu livro “Danças folclóricas e tradicionais”, que: “Professor é quem se dispõe a orientar a aprendizagem de outrem para o alcance dos objetivos seja útil a sua pessoa ou à sociedade ou a ambos. Professor pode ser definido como o individuo que ensina ou orienta uma ciência ou arte”. - “Instrutor pode ser definido como o individuo que transmite conhecimento, ensina uma doutrina ou adestra”. - “Coreógrafo é a pessoa ou artista que cria a coreografia”. - “Posteiro: Aquele que cuida o posto. Determinação diretamente ligada à nomenclatura de Glaucus Saraiva, que via o diretor de departamento, como posteiro de determinada invernada”. O professor de danças, nos CTGs, deve ser um educador, um líder. Deve estar em constante busca de conhecimentos e técnicas que motivem os alunos, deve respeitar e ser respeitado, promover ambiente de harmonia dentro da entidade, planejar e manter todos, em seu departamento, informados e participando do que foi planejado. Um professor de grupos de danças não deve sair por ai ofendendo o dançarino, com palavrões, palavras de humilhação, conflitar com pais e responsáveis. Em certa oportunidade, na década de 90, esse tipo de coisa parecia ser comum. O professor dava ensaio, e, durante o erro de um peão, chamava-o de diversas palavras humilhantes. Os demais achavam aquilo “normal”. Como que uma pessoa que exerce liderança, pode causar pressão psicológica, humilhação, em seus alunos? O pior em situações como essas é a diretoria da entidade não fazer nada. Eu, de minha parte, não fiquei na entidade, pois conclui que, estaria pagando para o indivíduo me chamar de tudo que passava em sua cabeça. Se xingamentos humilhantes fizessem o indivíduo desenvolver melhores habilidades, juízes de futebol seriam craques dos campeonatos. Fique atento aos ensaios onde seu filho participa. CTGs são lugares para que nossos filhos se sintam bem e, nós, possamos vê-los crescer, não somente de tamanho, nem na dança, mas como cidadãos. Todos os grupos finalistas, tanto na Força”A” quanto na “B”, tiveram bem mais que 25 horas de ensaio, bem mais que 25 dias de ensaio, mas terão no máximo 25 minutos para mostrar no palco do encontro de artes e tradição gaúcha (ENART) toda a sua arte. Um ano de preparação. A ansiedade do sorteio das danças. Os minutos que representam toda a dedicação, sacrifício e amor à arte e à tradição. Todos os instrutores de dança já devem estar com o planejamento pronto, o desempenho do seu grupo durante o ano analisado, superando e aperfeiçoando os pontos fracos de sua equipe e estimulando os pontos fortes ainda mais. Aqueles instrutores que trabalham com o planejamento visando o ENART sabem vários fatores influenciam a performance de sua equipe neste momento de competição, um deles é o fator psicológico. Muitos são os grupos que se sentem a vontade no palco do ENART, mas se sabe que existe um trabalho por trás desse comportamento. A segurança e a motivação do dançarino, muitas vezes, resultam de um grande trabalho em equipe, de uma preparação técnica aliada à experiência e a vontade de melhorar. Seguem algumas dicas que podem ajudar a minimizar os fatores psicológicos da competição: 1. Divisão de tarefas - É a hora em que cada um deve ser responsável por um tipo de função. Coordenadoras, Patrões, carregadores. Nada de sobrecarregar o instrutor. 2. Preparação antecipada - Se a sua equipe estiver pronta, no mínimo, uma hora antes da apresentação, com certeza estará preparada para eventuais problemas de última hora. Não deixe que os pequenos atrasos, ou eventuais esquecimentos aumentem a ansiedade do grupo. Cuidado como calor. Algumas indumentárias são muito quentes, por isso, cuidados com a hidratação e com os efeitos fisiológicos que o aumento da temperatura corporal pode gerar. 3. Aquecimento adequado - Todos sabem que o aquecimento é importante, não só por razões fisiológicas, mas também por motivos psicológicos. O aquecimento ajuda a controlar a ansiedade, melhora a adequação do nível de vigilância, ajuda a manter o dançarino focado, cria uma elevação de nível de ativação emocional. Nesse aquecimento brincadeiras ajudam. Rezar sempre é bom, mas cuidado com o excesso de emoção tipo reza prolongada. Não leve para o plano espiritual o que é comportamental. Após o sorteio use o pequeno tempo para uma concentração no que será feito no momento da apresentação, estimulando a concentração e eliminando a insegurança. Relembre as principais cobranças de ensaio e possíveis erros para que não se repitam, mas cuidado como foco, não fique apenas no problema, estimule os pontos fortes. Mantenha sua equipe sempre motivada. “Superação é ter humildade de aprender como passado, não se conformar com o presente e desafiar o futuro.” (Hugo Bethlem) Boa Sorte!! Cavalgada na África do Sul 09 a 20 de fevereiro 2013 Bueno, vamos agora as cavalgadas. Encontramos lá cavalos da raça Boerperd, um tipo parecido com o nosso crioulo na sua morfologia, até um pouco mais alto e mais robusto, além de outros cavalos mestiços de raças conhecidas nossas, como árabes, ingleses e outras. Foi num domingo, dia 10 de fevereiro de 2013, onde já estávamos desde o dia anterior na Região de watemberg, província de Limpopo, onde fizemos nosso QG, ocasião em que fomos conhecer e experimentar os cavalos, porque no dia anterior tínhamos chegado à tardinha. Os cavalos foram distribuídos mais ou menos pela altura e peso dos cavaleiros. A mim tocou um tordilho forte, manço, já encilhado, com encilhas tipo sela americana, com duas barrigueiras e assento forrado, sem pelegos. Montei sem dificuldades, como aconteceu com todos os companheiros. Neste momento como Comandante da Cavalgada reuni o grupo e fizemos uma oração em conjunto agradecendo a Deus pela oportunidade de estarmos naquele momento em ocasião tão importante nas nossas vidas, em um lugar tão longe e diferente da nossa querência. Pedimos proteção ao Patrão Celeste e saímos a passo, com dois monitores, um guia ia na frente e outro atrás do nosso grupo. As instruções que recebemos na hora foi a de que se houvesse algum perigo, o da frente daria o sinal e a ordem era dar volta e seguir o monitor que vinha atrás. Neste primeiro dia o grupo foi divido em 3, talvez para que tivéssemos a idéia mais ampla do terreno onde cavalgaríamos por 7 dias. Realmente, quando nos reencontramos, no fim da tarde, num mesmo lugar, a conversa foi boa, cada um querendo contar o que viu e especialmente quais animais foram encontrados. Mas, a surpresa maior foi que os organizadores tinham montado um verdadeiro acampamento num dos lugares Foto: Eduardo Rocha mais altos da redondeza, de onde avistamos um lindo por do sol. Tão bonito que cheguei a duvidar que o por de sol de Porto Alegre é o mais bonito do mundo. Neste acampamento tinham um fogo de chão e uma mesa com salgados, doces e bebidas. Ficamos até a noite, quando voltamos para o jantar de caminhonetas, já que tínhamos desencilhado e solto os cavalos. Por sinal, os cavalos pernoitam soltos, junto com os animais selvagens e são tratados numa área próxima as casas para facilitar o manejo e a captura, a mais ou menos 4 quilometros de distância. Disseram-nos que desta forma os cavalos vão se habituando com os outros animais selvagens e assim não acontecem surpresas nos encontros. A noitada foi muito boa, com muita cantoria, declamações, muito trago e bóia muito boa, ainda que exótica. No dia seguinte, 11 de fevereiro, levantamos cedo e deu tempo para darmos uma mateada e trocar algumas idéias sobre o dia anterior. A maioria se queixou da boca dos cavalos que eram muito mal domadas, ainda que manços, mas realmente duros de boca. Neste dia já estávamos montando todos juntos e tivemos oportunidade de ver rinocerontes, zebras, girafas, antílopes e outros diversos de menor porte. Ao meio dia nos serviram carne de crocodilo com salada e arroz. À tarde seguimos cavalgando, num outro rumo, pois os espaços eram enormes e os guias iam escolhendo os caminhos, porque sabiam onde encontrar os animais nos seus habitats. Ao longo dos deslocamentos fazíamos sempre algumas galopeadas nos locais onde não havia risco de encontrar ou assustar algum bicho meio brabo. Na próxima edição, a continuação. TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 7

Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 7 Por: Dorvílio Calderan - Presidente ESPAÇO DA CBTG João Ermelino de Mello - Presidente ESPAÇO DA CITG Conheça a cidade sede do Fenart - Piratuba/SC Localizada há 500 quilômetros de Florianópolis, a cidade de Piratuba fica no Meio Oeste de Santa Catarina e possui apenas cinco mil habitantes. É conhecida no Sul do país por ser o principal polo turístico do Oeste do Estado, pois conta com um Parque de Águas Termais. O nome da cidade reverencia o mais antigo habitante da região: o índio Guarani; que em sua língua (Tupi-Guarani) a denominação desta simpática cidade se traduz como “abundância de peixes”. A história de Piratuba iniciou em 1910, quando a Estrada de Ferro, São Paulo - Rio Grande do Sul foi construída. A empresa Brasil Railway, responsável pela obra, instalou um acampamento para seus operários nas margens do Rio do Peixe. O núcleo se chamava Vila do Rio do Peixe. Em 18 de fevereiro de 1949, surgiu o município, que naquela data foi emancipado. O turismo, base econômica do município, iniciou sua história em 1964. A Petrobras, que estava em busca de petróleo, perfurou um poço com 2.271,30 metros de profundidade. Ao invés do “ouro preto”, a empresa acabou descobrindo um lençol de águas sulfurosas de 38,6°C a 674 metros. Em 1975 a Companhia Hidromineral foi constituída. Com a instalação do Parque Termal Piratuba entrou na rota dos principais destinos turísticos do Sul do Brasil. Hoje o município é consolidado no turismo e recebe mais de 450 mil turistas por ano. Rede hoteleria - Atualmente mais de 2.500 leitos estão disponíveis, distribuídos em uma rede com mais de 10 hotéis, pousadas, casas de veraneio e apartamentos. As áreas de camping também estão disponíveis para os visitantes. Toda a rede hoteleira com contatos e outras informações são encontradas no site do município: www.piratuba.com.br 2° Festival do Rio Grande do Sul em Paris A Associação Sol do Sul com objetivo de aproximar ainda mais a cultura do povo europeu, o qual assentou suas raízes no Rio Grande do Sul, Brasil, realizou nos dias 10 a 12 de outubro de 2014, em Paris o 2° Festival do Rio Grande do Sul em Paris. O Festival reuniu personalidades da vida política, artística, literária, turística, social e econômica do estado do Rio Grande do Sul (RS) e da cidade de Porto Alegre. Estiveram presentes o Presidente da Confederação Internacional da Tradição Gaúcha – CITG, Dorvilio José Calderan e sra. Loiva Lopes Calderan, Presidente da Federação Tradicionalista Gaúcha do Planalto Central – FTG-PC, que prestaram sua colaboração para a organização do evento nos temas relacionados ao Movimento Tradicionalista Gaúcho. O Festival teve inicio com um momento importante que foi a leitura em francês do livro: Símbolos do Rio Grande do Sul – Giovani Cherini e Roberto Rech, traduzido por Tanise Dreyer, contando a história para crianças e jovens com deficiência visual, e, que teve também a participação de Grupo de Danças “Os Riograndenses”, em um lindo trabalho de socialização da dança. No setor econômico a palestra sobre os 25 anos do Orçamento Participativo, na qual Porto Alegre se destaca, assim como as demais cidades, que têm suas características próprias, recebeu destaque através de seus valores turísticos, culturais, sociais e artísticos. Este painel contou com a presença do Prefeito de Porto Alegre, Jose Fortunati e da Prefeita local da cidade de Paris, Elisabeth Guy-Dubois - Première adjointe en charge du développement économique, de la famille, Fotos: Arquivo Pessoal/CITG Avisos Fenart 2015: De 6 a 8 de fevereiro de 2015 a cidade de Piratuba/SC será palco do 13° Fenart (Festival Nacional de Arte e Tradição Gaúcha), 7° Jogos Tradicionalistas e 17° Rodeio Crioulo Nacional de Campeões. O MTG/SC informa que em relação à infraestrutura e acampamentos da modalidade campeira o responsável é Jucimar Antônio de Moura - Secretário Adjunto da CBTG, residente em Piratuba, por meio do telefone (49) 9900-1919. Já em relação às acomodações para os demais participantes poderão ser feitas com Gelci de Souza Secretária de Turismo de Piratuba, por meio do telefone (49) 3553-0553. “A religião da humanidade: sentir, pensar e agir”, apresentada por Erlon J. Oliveira. Além de exposição de trabalhos de artistas plásticos, palestras, filmes, documentários, e, apresentação do Coral de musica italiana, ... Palestras sobre imigração Alemã – Luis Augusto Fischer – “Os alemães no Rio Grande do Sul - 190 anos de imigração” e, Italiana – Luis Batistello – “A imigração italiana no Brasil e no Rio Grande do Sul”, sobre os descendentes desses colonizadores que falam até hoje o dialeto de seus antepassados, tentando manter viva parte de suas respectivas culturas de origem. Sobre a cultura gaúcha o Festival contou com as Palestras: O Movimento Tradicionalista Gaúcho no Brasil e no mundo, Loiva Lopes Calderan – Presidente da Federação Tradicionalista Gaúcha do Planalto Central e sobre as influencias francesas e as danças tradicionalistas, Jefferson Camilo, que se fez acompanhar dos amigos tradicionalistas Fontana e Marcia. O Grupo de Danças – “Os Riograndenses” apresentou um ateliê de indumentária gaúcha, e, fez diversas apresentações. Para demonstrar a gastronomia da nossa terra, foi realizado um churrasco a moda gaúcha, que por suas características recebeu atenção especial dos participantes.. A importância de tais eventos para o fortalecimento de nosso Movimento, fica evidente quando encontramos gaúchos e não gaúchos, que manifestam, o interesse em ter um CTG em querências tão distantes. Diversos contatos foram feitos para obter apoio para criar uma entidade da cultura gaúcha em Paris. Tivemos a oportunidade também, de conhecer mais uma entidade tradicionalista no exterior, pois encontramos o Patrão do CTG Gineteando Cangurus, Sidney – Austrália, que foi fundado em 2008, tendo atualmente como Patrões Fabricio Festugato e Driele Roveda (ffestu@hotmail.com ) Mas, mesmo quando não se tem CTG, se procura de alguma forma reunir os gaúchos e a Comunidade – “Gaúchos na Europa”, – Luxemburgo, (lunardi.cristiane@gmail.com ), cumpre este papel. Assim, parabenizamos o trabalho da Associação Sol do Sul, da Sra. Jaqueline Dreyer e de toda a sua equipe. Toda a terça às 19h Acompanhe a programação da Web Rádio 1ª RT em: www.radio1rt.rs Proseando com o MTG Manoelito Savaris, Presidente do MTG respondendo tuas perguntas e sobre assuntos relacionados ao tradicionalismo gaúcho e a cultura rio-grandense, com o costado de Valdomiro Leite. de la petite enfance, des seniors et du handicap (Primeira Secretária adjunta responsável do desenvolvimento econômico, da família e da infância, idoso e de pessoas com deficiência); entre outras personalidades, quando foi feito destaque para o turismo do Rio Grande do Sul. Na parte cultural foi realizado o Seminário sobre a influencia do Positivismo do francês Auguste Comte que deixou sua marca em nossa região e, TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 8

8 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 CTG Missioneiro dos Pampas promove o Seminário Regional da 5ª RT, em Santa “Outubro Rosa” Cruz do Sul O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. O CTG Missioneiro dos Pampas e a 20ª Região Tradicionalista, através da 1ª Prenda Juvenil, Vitória Rolim Lampert, na data de 11 de outubro, promoveram o “Outubro Rosa”, onde foram distribuídos vários laços aos participantes do 3º Rodeio Artístico, envolvendo várias gerações, bem como conscientizando sobre esta doença, principalmente que a prevenção é a maior arma para o combate da mesma. Foto: Divulgação As prendas Camilla Schiedeck, 1ª Prenda da 5ª RT, Mariana B. Quevedo de Freitas 1ª Prenda Juvenil da 5ª RT e Sindyane Souza 1ª Prenda Mirim da 5ª RT com apoio das demais prendas, peões, Departamento Cultural e Coordenadoria da 5ª RT, promoveram no dia 19 de outubro o Seminário Regional “Patrimônio Histórico e Cultural - Conhecer, Valorizar e Preservar”. O evento foi realizado no CTG Tropeiros da Amizade, com a Programação voltada para o tema anual 2014 “Preservando o passado, construindo o futuro”, que tem por objetivo principal despertar a consciência das entidades tradicionalistas e comunidade em geral para a importância da valorização do patrimônio histórico e cultural gaúcho, e que sirva como agente condutor para que os poderes públicos, voltem sua atenção para o resgate e valorização desse patrimônio. Após a abertura os idealizadores do tema Lucas Oliveira e Mariana Diniz ressaltaram a importância da realização de ações voltadas para tema, pois a preservação da memória de um povo, ou seja, a preservação da cultura gaúcha, esta diretamente associada a conservação de seu patrimônio histórico cultural, uma vez, que esse acervo patrimonial produzido e/ou construído por sociedades do passado, representa uma rica fonte de pesquisa e também de preservação cultural. Após cada Prenda realizou uma atividade dentro do tema, para descobrir como cada participante identificava o Patrimônico histórico de seu município de origem, para assim identificar a 5ª RT, quer pela a arquitetura, famílias formadoras ou nossos brinquedos. Foto: Divulgação Jovens mostram a importancia da prevenção Nova patronagem do CTG Argemiro Martins Pinto toma posse Raimundo Quevedo e esposa Ivani vão comandar a entidade tradicionalista durante a gestão 2014/2015 A comunidade tradicionalista do CTG Argemiro Martins Pinto esteve reunida na noite de sábado, 18 de outubro, para prestigiar a solenidade de troca da patronagem da entidade. Na ocasião, a patroa Marilene Ortiz passou o cargo para Raimundo Pinto Quevedo, que juntamente com sua esposa Ivani, vai comandar a entidade na gestão 2014/2015. Ao falar sobre o que pretende realizar, o novo patrão afirma que vai dar continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado pela sua antecessora. “Queremos incentivar e apoiar cada vez mais as invernadas artísticas, atividade esta que já vinha sendo trabalhada. Vamos trazer mais pessoas para fazerem parte da família Argemiro Martins Pinto”, citou. Marilene agradeceu o apoio que teve durante sua gestão, e desejou que a nova patronagem tenha sucesso e êxito. Nova patronagem: Patrão – Raimundo Quevedo e esposa Ivani Quevedo 1º Capataz – Romário dos Santos 2º Capataz – Algemiro Pereira Mello 1º Sota Capataz – Paulo Fragata dos Santos 2º Sota Capataz – André Miranda 1º Agregada das Pilchas – Eliziane Marques dos Santos 2ª Agregada das Pilchas – Sueli Oliveira Andrade Departamento Artístico e Cultural – Fernanda Scheneider e Marilene Ortiz Agregado das Falas – Diego Ortiz e Dionathan Freitas Coordenadoras da cozinha – patroa Ivani Quevedo e Cristiane de Oliveira de Jesus Conselho Fiscal – Dueli de Castro, Adreildo Ferreira, Auri Jung e Luiz Freitas Patrão Campeira – Amarildo Portella e Márcio Vidaletti Foto: Divulgação Tema anual do MTG foi tratado em seminário da 5ªRT. Coordenador Luiz Vieira prestigiou o evento Presidente da CBTG, João Mello, prestigiou Femart em Nova Mutum/MT O CTG Porteira da Amazônia, localizado na cidade de Nova Mutum - estado do Mato Grosso (MT), foi sede do Femart (Festival Mato-Grossense de Artes e Tradição Gaúcha), realizado de 10 a 12 de outubro de 2014. O Presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), João Ermelino de Mello, participou de algumas atividades durante o evento, como solenidade de abertura e entrega de títulos. Ele foi recebido pelo Presidente do MTG/MT, Roberto Basso. “Fiquei emocionado em ver tantas crianças, jovens e tradicionalistas em geral cultivando a tradição gaúcha tão longe do Rio Grande do Sul. Foi uma honra participar do evento tão bem organizado pela equipe do Roberto Basso”, colocou João Ermelino de Mello. Foto: Divulgação Patronagem quer dar apoio total aos jovens Presidente João Mello(D) no FEMART TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 9

Ano XIII - Edição 159 NOTÍCIAS Novembro de 2014 TURISMO NO SUL 9 Por Jeandro Garcia APAE de Livramento completa 50 anos E um baile gaúcho foi a escolha da comemoração desta importante data Criada no ano de 1964, a APAE santanense completou 50 anos em 2014, e comemorou com um baile a moda gaúcha para suas alunas. O baile foi realizado no Fogão Negrinho do Pastoreio, que deu um exemplo de inclusão, a realização de um sonho de 8 jovens meninas, uma iniciativa do presidente da instituições, Mainardi Tapes. O conselheiro do MTG, Rui Rodrigues, e sua esposa Andrea Cavalheiro, patroa do CTG Presilha do Pago, estiveram presentes: “Fomos ao baile, dançamos muito, a noite inteira... foi emocionante. E este trabalho merece todo nosso reconhecimento, pois o baile gaúcho, animado pelo grupo Crioulo de Marca, tocando a autentica musica do Rio Grande, e as prendinhas devidamente pilchadas e seus peões também...todos pertencentes a APAE, que graças a Deus lotou a entidade com amigos e familiares” – contou Andrea. Foto: Divulgação Cavalgada da Costa Doce Venha para a 16ª Cavalgada Cultural da Costa Doce 15 a 25 de janeiro/2015 Como alguns leitores já sabem, minha prenda e eu fazemos parte dos Cavaleiros da Costa Doce, e este ano estaremos realizando a 16ª Cavalgada Cultural da Costa Doce. E por aqui queremos deixar a todos os amigos tradicionalistas o convite para participarem desta que é uma das mais lindas cavalgadas do nosso estado. A saída será dia 15 de janeiro de 2015 da cidade de Guaíba, chegando a Pelotas no dia 25 do mesmo mês. São 10 dias costeando a beira da Lagoa dos Patos, onde se resgata o antigo caminho dos tropeiros e momentos históricos de nossa história. A nossa pregação e ação visam a divulgar a filosofia da preservação das raízes, e os valores que se destacaram na formação da nossa região para alavancar o futuro, conservando usos e costumes do gaúcho, pois isto certamente nos distingue e nos personaliza, no contexto nacional e internacional. Neste trajeto que passa por diversas cidades da nossa Costa Doce, percorrem-se diversos caminhos, como dunas, trilhas, canais, fazendas, juncais e até mesmo por dentro da lagoa. Em 2014 foram 120 cavaleiros e esperamos que no próximo ano retornem estes amigos e se juntem a nós novas amizades e irmãos de a cavalo e de tradição. Entre os pontos de mais destaque está a saída do Cipreste Farroupilha, em frente a casa de Gomes Jardim, dunas na Barra do Ribeiro, travessia do Rio Camaquã (geralmente de balsa), festividades na Fazenda do Sobrado em São Lourenço do Sul, pouso na ilha da Feitoria e travessia dos juncais chegando em Pelotas. Sem deixarmos de lembrar nossos pernoites em fazendas e locais apropriados, que nos recebem de braços abertos com aquela velha hospitalidade bem gaúcha. Todos são convidados desta cavalgada, que além de bela também valoriza nossa cultura e turismo da nossa Costa Doce, congregando entidades e famílias de cavaleiros de todo Rio Grande do Sul, assim como de outros estados do Brasil, que sempre vem nos acompanhar. Mais informações vejam em www.cavaleirosdacostadoce.com.br – Carlos Gonçalves (53) 9103-3410. Foto: Divulgação Fandango Gaúcho foi o tema escolhido para comemorar os 50 anos da APAE Invernada veterana do CCN Sentinela faz sua estreia de pilchas No sábado, 25 de outubro, o CCN Sentinela do Rio Grande realizou o seu último jantar do ano e a atração artística ficou por conta da invernada veterana que fez a sua estreia de coreografia e de pilchas . Em 27 de janeiro desse ano, um grupo de amigos sendo alguns da patronagem, criou esta que é a 5ª invernada do CCN, no qual engloba a categoria de dançarinos com idade a partir de 30 anos; o Sentinela tem já formado mais 4 invernadas que são a Mirim para jovens de 09 a 13 anos, a Juvenil de 13 a 18, a Adulta a partir de 18 e Xiru. Partir de 45anos A invernada Veterana do Centro Cultural Nativista Sentinela do Rio Grande, tem como instrutor o Sr Ederson Vergara, dançarino, professor de danças e coreógrafo, com trabalhos realizados em várias partes do Estado, e de um musical próprio (gaiteiro, violeiros e vocal). Quem quiser fazer parte do grupo de danças do grupo de Veteranos ou simplesmente apreciar os ensaios, pode comparecer as quintas feiras a partir das 22:30Hs na sede do CCN Sentinela no Parque São Pedro, na Rua Edson de Souza Mendonça, 169 ou obter informações ligando para o número 53 99712094 com Vanderlei. Foto: Divulgação Belas paisagens e tradicionalismo são elementos da Cavalgada da Costa Doce CTG de Portão sofre vandalismo O CTG Sentinela do Portão, de Portão, 15ª região tradicionalista, sofreu atos de vandalismo na noite do último sábado, 18 de outubro. Não se sabe se quantas pessoas participaram do ato, mas alguém conseguiu entrar no galpão do CTG e destruir o que via pela frente, mostrando que já tinha certeza do que ia fazer. Rasgaram banners com as normas da entidade, carta de princípios, murais, despregaram madeira da parede, quebraram vasos de flores e espalharam terra por todo o galpão, quebraram a porta de uma geladeira, o armário da cozinha, enfiam causaram danos à entidade que ainda calcula os prejuizos. “Não sei se tiveram mais estragos além desses, quando cheguei a patronagem já havia arrumado boa parte. Vale ressaltar que não foi nada furtado e que já não é a primeira vez que isso acontece, dessa vez o estrago foi maior” - conta Fabiane Pereira, prenda do CTG. Foto: Divulgação Em plena atividade, CCN estreou mais um grupo Documentos importantes foram rasgados

[close]

p. 10

10 Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 Grande festa em Lagoa Vermelha, marcou a passa Fotos da coluna: Rogério Bastos CTG Alexandre Pato, em Lagoa Vermelha, recebeu tradicionalistas de todos os recantos do estado para come O CTG Alexandre Pato, da cidade de Lagoa Vermelha, 8ª região tradicionalista, foi palco na tarde e noite de 25 de outubro, das comemorações de 48 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Como de costume, nos festejos de aniversário são entregue as comendas e homenagens do ano. Outorga da OrCav, títulos de conselheiros honorários e beneméritos, medalha Barbosa Lessa e Diploma João de Barro. Foi servido um jantar com a categoria e a organização do CTG Alexandre Pato, que conta com uma grande equipe de trabalho, dotada de muita classe, elegância e gauchismo. Um galpão muito bem decorado, patronagem e equipe bem pilchados, mostrando muita organização e um atendimento de deixar saudades em quem esteve no evento. Além do famoso e delicioso churrasco lagoense, cada mesa possuía uma caixa de doces secos e rapaduras para os visitantes. Após o jantar foi montado o ambiente para as condecorações e homenagens. Além da equipe do MTG, com a vice-presidente de cultura, Elenir Winck, Odila Savaris, José Roberto e Edna Fischborn, a equipe da casa foi rápida na organização do ambiente. Durante o protocolo o presidente Manoelito Savaris contou a história do surgimento do MTG, da importância da festa, e agradeceu a Lagoa Vermelha por sedia-la. Lembrou momentos importantes que antecederam o 12º Congresso, em 1966, em Tramandaí, com o Conselho Coordenador, criado em 1959, das zonas tradicionalistas, de Jayme Caetano Braun, 1º presidente do Conselho Coordenador (1960) até Hermes Gonçalves Ferreira assumir a presidência do MTG em 1966. Foram homenageadas as entidades com 200 pontos na Lista Destaques Tradicionalistas, de 2013, referencia para 2014: CTG Tríplice Aliança (Alegrete); CTG Sentinelas do Rio Grande (Rio Grande); CTG Felipe Portinho (Marau); CTG Julio de Castilhos (Julio de Castilhos); CTG Rincão da Roça Reúna (Veranópolis); CTG Estância de Sapucaia (Sapucaia do Sul); CPF Piá do Sul, CTG Sentinela da Querencia, e AT Poncho Branco (Santa Maria) e CTG Sentinela da Querencia (Erechim). Receberam o “Diploma João de Barro”, oferecido pelas regiões tradicionalistas, pessoas que se destacaram em suas cidades, ou mesmo, nas suas regiões. A TV Tradição recebeu a honraria pelo MTG. A Comenda Barbosa Lessa foi dedicada à Iolanda Tatsch Banunas (colunista social), Alceu Barbosa Velho (Prefeito de Caxias do Sul) e Dorvílio José Calderan (Presidente da CITG), que falou em nome dos homenageados. Receberam os títulos de conselheiros honorários: Adelar Bertussi Siqueira e Telmo de Lima Freitas; e conselheiro benemérito: Ivo Benfatto Fotos da coluna: Rogério Bastos Loiva e Dorvilio Calderan prestigiaram o evento 19ªRT lembrou com saudades Zulmir Sotoriva Gilda Galeazzi trouxe executivos de municipios 12ªRT homenageando seus destaques regionais Após o parabéns, prendas do RS apagaram as velinhas 13ªRT entregando seus Diplomas de reconhecimento Descerramento da placa comemorativa ao aniversario do MTG, no CTG Alexandre Pato, em Lagoa Vermelha, 8ªRT José Roberto, incansável na organização do evento POR QUE O NOME DO CTG FOI ESCOLHIDO ALEXANDRE PATO? Alexandre de Góes Vieira ou Alexandre Pato, como era conhecido, nasceu na Fazenda da Ramada, no município de Vacaria/RS, em 29 de Março de 1843. Alexandre foi casado com Francisca Borges Vieira, de tradicional família vacariana. Desta união nasceram 16 filhos, com uma descendência de mais de 600 pessoas, com ramificação e entrelaçamento de várias famílias de renome nacional. Alexandre foi tropeiro, exímio laçador, grande tradicionalista e agropecuarista. Faleceu em Lagoa Vermelha no dia 10 de Março de 1913, com 70 anos de idade. Medalha Barbosa Lessa, a maior honraria do Movimento Equipe muito bem organizada do CTG Alexandre Pato 20ªRT entrega Diploma João-de-Barro, por reconhecimento 3ª Prenda do RS com membros da coordenadoria da 18ªRT

[close]

p. 11

Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 11 agem dos 48 anos do MTG do Rio Grande do Sul Fotos da coluna: Rogério Bastos Fotos da coluna: Rogério Bastos emorar o aniversário do MTG. Durante o evento, foram prestadas diversas homenagens. ORDEM DOS CAVALEIROS DO RIO GRANDE DO SUL OUTORGA TITULOS Em uma tarde bastante quente, do dia 25 de outubro, foi a data escolhida para festejar os 48 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho, na cidade de Lagoa Vermelha. As atividades começaram as 16h, com a outorga dos cavaleiros que as regiões indicaram para receber. Foram mais de 170 outorgados nas mais diferentes classificações, como: Aspirante à cavaleiro, Cavaleiro Rio-grandense, Cavaleiro Antonio de Souza Netto e Cavaleiro Bento Gonçalves. A cerimônia contou com toda a pompa necessária para condecorar um cavaleiro. O toque de clarim conclamou a entrada dos cavaleiros no recinto, pelo 1º Tenente Daisson de Andrade da Silva, do 3º RPMOn, de Passo Fundo. Airto Timm, presidente da OrCav, e Solon Silva, acompanharam os cavaleiros até seus respectivos lugares. Ajos Dutra, um dos mais antigos coordenadores regionais presente ao evento, esteve presente em todas edições da cavalgada do mar, desde sua criação. Manoelito Savaris lembrou o histórico da OrCav, que teve a proposta defendida em 1998, no Congresso de Santa Cruz do Sul (no mesmo que foi aprovado o hino tradicionalista), pelo Cel. Celso Souza Soares, seu primeiro presidente. Savaris lembrou a responsabilidade dos homens e mulheres que montam a cavalo e saem com objetivos definidos. Agradeceu a todos os que ali estavam sendo outorgados pelo trabalho que realizaram ao longo de suas vidas e pela dedicação ao campeirismo gaúcho. Iniciando as outorgas, o MTG reservou um momento para homenagear o jovem Rodrigo Moretto, da 7ªRT, por sua atitude durante a 26ª Festa Campeira do estado, que aconteceu em Viamão. Moretto ao disputar braço de ouro, braço de diamante, abriu mão da disputa, permitindo que o concorrente vencesse a modalidade, mesmo sabendo que ele era um fortíssimo oponente. Ao abrir mão da disputa da finalíssima, Moretto demonstrou o verdadeiro espírito que permeia a FECARS. O presidente da CITG, Dorvilio Calderan, fez questão de estar presente até o fim da outorga, prestigiando os cavaleiros. Cavalarianos aguardando a outorga da OrCav Airto Timm, presidente da OrCav, e o vice, Solon(D) Gurizada esteve presente e atenta durante a outorga Publico lotou o galpão para acompanhar a outorga Prendas regionais e de entidades prestigiando o evento Ajos Dutra, ex-coordenador da 23ªRT prestigiou a OrCav Outorgados: Patrão do CTG Alexandre Pato, Dirceu Rosa da Silva(E), ao lado de Elenir Winck, Gilda Galeazzi e Manoelito Savaris 172 cavaleiros, sendo 113 aspirantes, 22 rio-grandenses, 20 Antonio de Souza Netto e 17 Cavaleiros Bento Gonçalves. 13 Regiões foram representadas. Coordenadora da 8ªRT, feliz com sua pequena aspirante A sétima região foi uma das que mais levou cavalarianos 13ªRT foi uma das destacadas regiões na outorga Toque de clarim foi o diferencial na abertura A 19ªRT foi uma das 13 RTs que se fizeram presentes Antes da outorga, uma conversa com Airto Timm Carlos Medeiros de Mello, dedicou-se muto ao MTG 22ªRT com seus outorgados 15ªRT, seu coordenador (C), na outorga da OrCav

[close]

p. 12

12 NOTÍCIAS Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 Fotos da página: Rogério Bastos 23º Aberto de esportes do MTG, em Tramandai - Resultado final Criado na década de 90, o Aberto de Esportes Tradicionais do Rio Grande do Sul vem, a cada ano, angariando mais adeptos. Em sua 23ª edição, teve uma etapa classificatória para o nacional e, ainda, premiou os esportistas que preservam os jogos tradicionais de nosso estado. Confira o resultado do evento que aconteceu na 23ªRT dias 11 e 12 de outubro. TAVA EQUIPE 3º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ª RT - José Dias, Arno Freita, Claudeci M. Cunha e Gilberto Luciano 2º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ª RT - Norberto de Oliveira, Jesus A. Veber, Jose Luiz Veber e Luiz Carlos Machado 1º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ªRT - Alexsander da Cruz Lapazini, Rickson Carneiro Ferreira, Talisson Carneiro Ferreira e Bruno Augusto Oliveira Schroeder TAVA INDIVIDUAL 3º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ª RT - Alexsander da Cruz Lapazini 2º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ª RT - Bruno Augusto Oliveira Schroeder 1º Lugar - CTG Alma Crioula - Canoas 12ª RT - Claudeci M. Cunha BOCHA CAMPEIRA 3º Lugar - CTG Soveo De Ouro Nova Santa Rita 12ª RT - Carlos Santos Vieira, Sebastiao Soni Siebenichler, Antonio Nunes De Morais e Alcides Cavale 2º Lugar - CTG Felipe Portinho - Marau 7ª RT - Valmor Bassoni,Alcides Mariolsam e Leonor Rolder 1º Lugar - CTG Sentinela Do Pago - Marau 7ª RT - Alan Junior Rissoto,Rudimar,Valdir Monteiro e Volmir Camera BOCHA 48 2º Lugar - DTG Querencia do Vale - Gravataí - 1ªRT - José Jocemar Dorneles e Guaracy Cataldo 1º Lugar - CTG Laco da Querencia - Gravataí - 1ªRT - Olice Marchioro e Roberto Rivelino Jogos tradicionais movimentaram o litoral e classificaram para o nacional Presidente Manoelito Savaris (E) na cerimonia de entrega dos premios Martim (E) e Nairo(D) na abertura do Aberto de Esportes em Tramandaí TRUCO AMOSTRA 3º Lugar - CTG Mata Nativa - Canoas 12ªRT - Diogo dos Santos Gomes, Everton Nacimento Bettim e Luiz F.B.Mazzali 2º Lugar - CTG Glaucus Saraiva – Porto Alegre - 1ªRT - Luizmar Porceles, Felipe Falkowski Souza e Jorge Roberto Brum Silva 1º Lugar - CTG Glaucus Saraiva – Porto Alegre - 1ªRT - Paulo Roberto de Almeida, Luiz Antonio Araujo da Rosa e Darci Everton Dargen TRUCO CEGO 3º Lugar - CTG Bento Gonçalves - Santa Maria - 13ªRT - Sergio Eduardo Junior, Robespierre Perreira e Mateus Roggia 2º Lugar - CTG Estancia Gaucha Canoas 12ªRT - Alegrette, Wagner e Leonardo 1º Lugar - CTG Encosta da Serra - São Vedelino - 11ºRT - Marcelo Cardoso Vargas, Vagner Giovane Alves Poitini e Carlos Eduardo dos Santos Poitini TETARFE EQUIPE 3º Lugar - 25ªRT - Wilson Carlos Mariane, Gustavo Padilha e Flavio Gonsalves 2º Lugar - CTG Campeiros do Sul - 1ªRT Reni Anklon Tome, Alessandro Osorio Jardim e Adão de Deus e Silva 1º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT - Arno De Freitas, Cludeci M.Cunha e Gilberto Luciano TETARFE INDIVIDUAL 3º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT - Arno de Freitas 2º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT 1º Lugar - 25ªRT - Wilson C. Mariane SOLO 3º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT - Notoli de Jesus P. Nobre 2º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT - Jacimim Spolaor 1º Lugar - CTG Alma Crioula - 12ªRT - Hermes Spolaor A presença das mulheres no 23 º Aberto de Esportes Diretor de Esportes da 23ªRT organizou o evento em Tramandaí Os campeões Os campeões de Bocha TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 13

Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 13 NOTÍCIAS GRANDES MOMENTOS DA HISTÓRIA Aproveite as vantagens que o Cartão Tradicionalista oferece Abaixo a relação de locais onde os tradicionalistas podem aproveitar os descontos e vantagens oferecidos pelo cartão  PEOPLE IDIOMAS (SOMENTE P/ CARTÕES EMITIDOS A PARTIR DE 12/06/12) - (Central de Estudos Lingüísticos – Rua Riachuelo nº 1257 – 5º andar, Porto Alegre/RS; Memphis Ensino Livre de Idiomas – Av. Protásio Alves nº 3139, PoA/RS; Centro de Aprendizagem Cultural Americano Rua Dom Diogo de Souza nº 493, Porto Alegre/RS; Johnny Hall Cursos para Aperfeiçoamento Linguistico – Praça Comendador Souza Gomes nº 101, PoA/RS; Academia de Ensino Livre de Idiomas – Av. Getulio Vargas nº 1030, Porto Alegre/RS; Preston Bell Centro de Ensino de Lingua Inglesa – Coronel Bordini nº 270, PoA/RS) * Desconto 30% do valor do curso de Inglês e Espanhol * Desconto 20% no valor das imersões nas unidades da PEOPLE IDIOMAS, localizadas nos seguintes bairros de Porto Alegre: Centro, Zona Norte, Zona Sul, Petrópolis, Menino Deus e Moinhos de Vento * Desconto 8% na compra de medicamentos e perfumarias, mediante pagamento a vista, exceto promoções TRADIÇÃO PILCHAS: (Av. Feitoria nº 4564 Loja 02 – São Leopoldo) * Desconto 8% na compra de artigos de pilchas, mediante pagamento a vista e em dinheiro, exceto promoções AGROPECUÁRIA LOMBA GRANDE: (Rua Afonso Strack nº 148 – Novo Hamburgo) * Desconto 1% na compra de ração * Desconto 8% na compra de artigos de pilchas, mediante pagamento a vista e em dinheiro, exceto promoções * Desconto 5% no pagamento da mão de obra de concerto de veículos, mediante pagamentos a vista, em cartão de débito ou dinheiro LTDA: (RS 240 nº 3682 – Portão) * Desconto 6% na compra de qualquer tipo de reboque, mediante pagamento a vista, em cartão de débito ou dinheiro LM CÃES E AVES: (Rua Bartolomeu de Gusmão º 3168 – Novo Hamburgo) * Desconto 5% nas compras acima de R$ 50,00, mediante pagamento a vista, em dinheiro Nasce a colônia do Sacramento No início, os portugueses tra�icavam escravos e contrabandeavam couros no Rio da Prata, Em 1680, fundam a Colônia do Sacramento. O rio da Prata, que os guaranis chamavam Paraná-Guaçu (mar grande), fascinou os navegadores que desciam até o extremo sul, explorando a costa. Muitos acreditaram que poderiam alcançar o Pacífico, navegando por suas águas. A Espanha, mandou Juan Dias Solis assinalar a posse do estuário. Solis fez o reconhecimento, ergueu um marco e retornou à Espanha, levando quatro charruas. Solis voltou um ano depois, sem os nativos. Quando entrou no estuário, viu um grupo de índios acenando. Achou que eram gestos amistosos, desembarcou numa canoa, com dois oficiais e oito soldados da sua tropa. Mal tocam o pé em terra, foram massacrados pelos charruas. Só um, Francisco Puerto, escapou. A partir da tragédia, o vasto estuário tomou o nome de Rio de Solis, e não cessaram as viagens de exploração. Sebastião Caboto percorreu todo o rio, até o Paraná, e encontrou náufragos e sobreviventes de várias expedições, vivendo entre os índios. Quando Portugal e Espanha se uniram sob a coroa do rei Felipe II, a partir de 1580, os portugueses aproveitaram para consolidar sua posição no Prata. Na fundação de Buenos Aires, um quarto da população era portuguesa. Em 1640, os reinos se separaram e reacenderam as seculares disputas. Os espanhóis tentando alijar os portugueses do comercio do prata e, por outro lado, os portugueses, através de Manoel Lobo, fundava a colônia do santíssimo sacramento, defronte ao território de Buenos Aires, desviando para o Brasil enormes quantidades de prata e ouro, em troca de escravos negros e açúcar. Um século sem trégua Assediada pelos espanhóis de Buenos Aires, desde os primeiros momentos, a Colônia do Sacramento teve raros dias de paz. Por 97 anos, a luta de Portugal Espanha por sua posse envolveu as principais chancelarias europeias em batalhas diplomáticas e manchou o pampa de sangue. 7 de agosto de 1680 Sete meses depois da fundação, Sacramento é destruída pelos espanhóis. Em 7 de maio de 1681, é devolvida a Portugal por intervenção do papa. 17 de outubro de 1704 Sitiada, resiste até 15 de março de 1705, quan os portugueses abandonam o lugar. É devolvida a Portugal pelo Tratado de Utrecht, de 1715. 10 de novembro de 1735 Novo sítio espanhol. O armistício é assinado em 21/3/1737 e confirmado pelo Tratado de Madri, de 1750. 06 de outubro de 1762 Depois de 16 meses sitiada, a Colônia é tomada pelos espanhóis. Mas volta aos portugueses 25 dias depois. O Tratado de Paris, de 1763, confirma. 1° de outubro de 1776 Atacada, Sacramento se rende em 31 de maio de 1777. No mesmo ano, o Tratado de Santo Ildefonso ratifica sua posse pela Espanha. Em troca, os portugueses ganham a região dos Sete Povos.  GSW REBOQUES E ENGATES   FLOR DE TUNA – ARTIGOS CAMPEIROS: (Av. Feitoria Nº 123 Loja 01 – São Leopoldo) * Desconto 5% nas compras mediante pagamento a vista, em cartão de débito ou dinheiro  REDE AGAFARMA   CASA DE CARNES TOBOLSKI: (Rua José Afonso Hoher nº 44 – Lomba Grande – Novo Hamburgo) * Desconto 5% nas compras de carne e seus derivados, a partir de R% 50,00, mediante pagamento a vista, em cartão de débito ou dinheiro  ABASTECEDORA FONTUR LTDA: (Avenida dos Municípios nº 1660 – Campo Bom) * Desconto 3% no abastecimento de combustível (gasolina, óleo diesel e álcool), mediante pagamento a vista, em cartão de débito ou dinheiro * Desconto 8% na troca de óleo do motor realizado no estabelecimento  PAMPA AGROPECUÁRIA (Av. Presidente Vargas nº1030 – Campo Bom) * Desconto 5% nas compras, a partir de R$ 50,00, mediante pagamento a vista, em dinheiro   VALÃO CAR AUTOPEÇAS LTDA: (Rua Azambuja Fortuna nº 620 – São Leopoldo) TEMA ANUAL: PRESERVANDO O PASSADO, CONSTRUINDO O FUTURO

[close]

p. 14

14 IMIGRAÇÃO ALEMÃ Ano XIII - Edição 159 NOTÍCIAS Por Paulo Gonçalves Novembro de 2014 Oktoberfest Quando chega o mês do Outubro muitas comunidades te tiverem origem com a chegada de colonos alemães se organizam para os festejos do mês, a oktoberfes, na região Sul temos dois dos maiores eventos realizados no Brasil, um é na cidade de Blumenau em Santa Catarina e ou em Santa Cruz do Sul no Rio Grande do Sul. Este evento é marcado pela gastronomia, cerveja e a formação de casais, comum nestes eventos. Situações semelhantes e contradições estão presentes na origem desta grande festa alemã que já tem mas de 200 anos. Segundo informações no ano de 1810 na região Baviera em Monique acontecia o casamento do príncipe Luís I, da Baviera com a princesa Therese da Saxônia. Para comemorar o casamento é organizado uma corrida de cavalos, a alegria e beleza da festa foi tão grande que a festa passou e ser repetidos todos os anos sempre no mês de outubro. Apesar da festa ser regada a cerveja nas primeiras edições do evento a bebida era proibida, a cerveja só se torna marca registrada desta evento no inicio do século XX. A festa hoje em dia é uma grande comemoração e evidenciação das tradições germânicas. Foto: Divulgação Justiça dos EUA decide: quem sabe fazer churrasco é o gaúcho Decisão do juiz pode facilitar visto de entrada nso EUA de candidatos a churrasqueiros. Decisão é inédita. A rede de churrascaria brasileira “Fogo de Chão” ganhou, nesta terça-feira, um processo americano que garante ao restaurante o direito de levar, do Brasil para os EUA, seus churrasqueiros altamente especializados — ou “chefs gaúchos”, segundo o jornal The Washington Post. Segundo o processo, o conhecimento de tais profissionais são “adquiridos culturalmente” e, por isso, os americanos não podem realizar as tarefas com a mesma habilidade. A decisão foi tomada pelo Tribunal Federal de Recursos do Distrito de Columbia (o distrito federal dos EUA). Com três juízes no júri, dois votaram a favor do Fogo de Chão e um votou contra. A churrascaria, assim como no Brasil, trabalha em esquema de rodízio nos Estados Unidos, o que faz muito sucesso por lá. “Eles realizam uma cerimônia ritual de corte na mesa, levantando grandes espetos de carne e cortando fatias do alimento, com base nas características solicitadas pelos clientes”, diz o jornal, com um discurso deslumbrado. O juiz Brett Kavanaugh M., nomeado por George W. Bush em 2006, foi quem votou contra a decisão. “O restaurante Fogo de Chão já emprega funcionários americanos em suas unidades nos EUA, o que desmente que americanos não possam realizar o trabalho”, diz ele. “Com uma pitada de bom senso, conseguimos perceber que os chefs americanos são aptos para aprender a cozinhar carnes no método brasileiro”, afirma o juiz. O Fogo de Chão se defende dizendo que nem todos os chefs são brasileiros, mas que é necessária a presença de alguns brasileiros para que seja feito o treinamento com os funcionários americanos. Afinal, a distância, tais conhecimentos são “particularmente difíceis de serem transferidos”. Foto: Divulgação Oktoberfest é marca registrada dos imigrantes alemães CTG Estância Gaúcha, de Canoas, 12ªRT, está de volta com força total A patronagem do CTG Estância Gaúcha está noticiando que seu grupo de danças adulto está retomando as suas atividades. Depois de 11 meses de uma sofrida ausência dos palcos, período que serviu para reorganizar seus objetivos e renovar seu núcleo de dançarinos, busca manter o espaço alcançado ao longo dos seus 18 anos no cenário das danças tradicionais como categoria adulta. A invernada do “EG” popularmente chamada, está de cara nova. Por indicação do antigo instrutor Marcio Proszek , quem assume como ensaiador nessa importante fase é o ex- dançarino Alex Vargas (foto). A coordenação do grupo continua sob responsabilidade da lendária Dalti Proszek, com o apoio de Luciana Borges, que atuava no conjunto musical. Como instrutores dessa nova geração, a entidade confiou o trabalho aos competentíssimos Marco Aurélio Avila e Cármen Lucia Avila após um namoro de 14 anos que se torna concreto neste momento tão importante para o CTG. O grupo já está ensaiando e conta com a participação de alguns dançarinos de seu antigo grupo juvenil, que já estão com idade para participação no ENART e outros dançarinos que simpatizam com a entidade. Os ensaios acontecem aos sábados às 18hs e quem se interessar em fazer parte desse elenco, será bem vindo deve entrar em contato com o ensaiador Alex Vargas (51 84420142) para informações gerais. O CTG Estância Gaúcha faz parte da 12ª RT e se localiza na Rua: Flórida, 380, bairro Central Park. Alex Vargas é um dos entusiastas pela volta a ativa do EG TEMA QUINQUENAL: O MTG ENGAJADO NA CAMPANHA DE COMBATE À CORRUPÇÃO - “LAÇANDO A CORRUPÇÃO”

[close]

p. 15

Ano XIII - Edição 159 Novembro de 2014 15

[close]

Comments

no comments yet