dieta

 

Embed or link this publication

Description

valagao

Popular Pages


p. 1

Cultura, Alimentação e Saúde A Dieta Mediterrânica em Portugal: Universidade do Algarve FARO 2014

[close]

p. 2

Autores Ana Partidário António Faustino Carvalho António Marreiros Armindo Rosa Artur Rodrigues Carla Alegria Carla Almeida Carla Brites Catarina Oliveira Celestino Soares Elsa Gonçalves Fernando Santos Pessoa Inês Carretero Isabel Duarte Isabel Monteiro Isidoro Moreno João Costa João Pedro Bernardes Joaquim Pinheiro Jorge Queiroz José Catarino José Entrudo José Fernando José Tomás Luís Filipe Oliveira Margarida Costa Maria da Conceição Cabral e Silva Maria Elvira Ferreira Maria Manuel Valagão Maria Mendes Maria Palma Mateus Marta Abreu Nídia Ramos Paula Ravasco Pedro Graça Pedro Neves Teresa Carita

[close]

p. 3



[close]

p. 4

Ficha técnica Editor Anabela Romano Revisão Sílvia Faísca Design Ludovico Silva Edição Universidade do Algarve Impressão e encadernação Gráfica Comercial ISBN 978-989-8472-51-9 Depósito legal 379792/14 Tiragem 500 Créditos Museu de Marinha - Imagem da capa, exemplar conservado na Biblioteca Estense (Modena, Itália) Arquivo Fotográfico da Câmara Municipal de Tavira - pp. 100-101

[close]

p. 5

A candidatura da Dieta Mediterrânica a Património Cultural Imaterial da Humanidade foi proposta por sete países: Portugal, Chipre, Croácia, Grécia, Espanha, Itália e Marrocos, tendo o Município de Tavira sido escolhido como comunidade representativa de Portugal. Esta candidatura foi aprovada no dia 4 de dezembro de 2013 durante a 8ª Sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património da UNESCO, em Baku, no Azerbaijão.

[close]

p. 6



[close]

p. 7

Cultura, Alimentação e Saúde A Dieta Mediterrânica em Portugal: Universidade do Algarve 2014

[close]

p. 8

a Dieta Mediterrânica em Portugal: Cultura, Alimentação e Saúde 9 Nota de abertura 13 Intervenção do Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar 19 Intervenção do Reitor da Universidade do Algarve 27 Identidade alimentar mediterrânica de Portugal e do Algarve Maria Manuel Valagão 43 Dieta mediterrânica, um modelo cultural. Algarve e Tavira na candidatura a Património da Humanidade Jorge Queiroz 59 O suporte ecológico da dieta mediterrânica Fernando Santos Pessoa 73 As produções agrícolas e a dieta mediterrânica Margarida Costa 85 Dieta mediterrânica, comercialização de produtos mediterrânicos do Algarve Maria da Conceição Cabral e Silva 91 Aspetos nutricionais e alimentares da dieta mediterrânica: existem particularidades na região do Algarve? Maria Palma Mateus A Dimensão Cultural da Dieta Mediterrânica 103 Culturas mediterráneas y sistemas alimentarios: Continuidades, imaginarios y nuevos desafios Isidoro Moreno 123 Domesticação e difusão. As origens da dieta mediterrânea António Faustino Carvalho 139 Em torno da trilogia alimentar mediterrânea João Pedro Bernardes e Luís Filipe Oliveira 153 Entre o céu e a terra … Astros, ciclos agrários, alimentares e festivos Catarina Oliveira 173 Tradição, turismo e património Carla Almeida

[close]

p. 9

Território, Agricultura e Pescas 191 Intergração de tratamentos convencionais e emergentes na conservação e promoção da qualidade de produtos hortofrutícolas Marta Abreu, Elsa Gonçalves, Carla Alegria e Joaquim Pinheiro 203 As plantas aromáticas e medicinais (PAM) na dieta mediterrânica: porquê, quando e como? Maria Elvira Ferreira 217 227 Utilização de plantas aromáticas e silvestres na cozinha do sul Margarida Costa O lugar das leguminosas-grão numa dieta nutricionalmente equilibrada; I - O chícharo em especial Teresa Carita e Isabel Duarte 239 O lugar das leguminosas numa dieta nutricionalmente equilibrada. II - Grão-de-bico Isabel Duarte eTeresa Carita 255 Variedades tradicionais de fruteiras algarvias com interesse para a agricultura portuguesa António Marreiros, Armindo Rosa, Artur Rodrigues, Celestino Soares, Isabel Monteiro, João Costa, José Catarino, José Entrudo, José Fernando, José Tomás, Margarida Costa, Maria Mendes e Nídia Ramos 267 283 Os cereais no contexto da dieta mediterrânica Carla Brites Azeite, gordura de eleição na dieta mediterrânica Ana Partidário Estilo de Vida, Alimentação e Saúde 293 Tradição alimentar mediterrânica, estilos de vida e saúde Maria Manuel Valagão 307 Alimentação mediterrânica e prevenção de doença: cancro Paula Ravasco, Inês Carretero e Pedro Neves 317 Adesão ao padrão alimentar mediterrânico em jovens no Algarve Maria Palma Mateus e Pedro Graça 331 Dieta mediterrânica - um desafio para a cooperação entre a cultura e a saúde nos próximos anos Pedro Graça

[close]

p. 10

8

[close]

p. 11

DIETA MEDITERRÂNICA: MAIS DO QUE UM PADRÃO ALIMENTAR, UM PATRIMÓNIO MILENAR A PRESERVAR A Dieta Mediterrânica é evocada recorrendo a dois termos cujo amplo conteúdo é percebido de forma diversa. Comummente esta expressão tem sido entendida no seu sentido mais estrito de padrão alimentar mediterrânico. Mas a Dieta Mediterrânica, mais do que um padrão alimentar, reconhecidamente equilibrado, representa um modo de vida, uma comunhão entre mente, corpo e ambiente, tal como deriva da palavra grega díaita. Recentemente, esta expressão tem sido alvo de uma enorme projeção mediática e para isso muito contribuiu a candidatura da Dieta Mediterrânica a classificação de Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Esta candidatura foi proposta por sete países com culturas mediterrânicas milenares: Portugal, Chipre, Croácia, Grécia, Espanha, Itália e Marrocos, tendo o Município de Tavira sido escolhido como comunidade representativa de Portugal. A Universidade do Algarve, consciente da importância desta candidatura e da necessidade de promover uma ampla reflexão em torno desta temática, assumiu, também aqui, a sua responsabilidade de centro de criação, transmissão e difusão da cultura e do conhecimento. Neste sentido, promoveu a realização do 1º Ciclo de Seminários sobre Dieta Mediterrânica, que teve lugar na Universidade do Algarve, em Faro, entre 22 de março e 25 de outubro de 2013. O ciclo foi realizado ainda antes do desfecho da candidatura, que apenas foi aprovada no dia 4 de dezembro de 2013, durante a 8ª Sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património da UNESCO, realizada em Baku, no Azerbaijão. 9

[close]

p. 12

Para a realização deste Ciclo de Seminários a Universidade do Algarve contou com a colaboração da Câmara Municipal de Tavira, do Ministério da Agricultura e do Mar, da Ordem dos Nutricionistas e da Fundação Portuguesa de Cardiologia. A estes parceiros associou-se a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, que patrocinou a realização do Ciclo e a edição deste livro. O objetivo primordial do Ciclo de Seminários foi promover um amplo debate público e multidisciplinar em torno do conceito “Dieta Mediterrânica”, latu sensu. Respondendo a este desafio, a Comissão Científica do Ciclo concebeu quatro seminários que abordaram diversas temáticas. À conferência inaugural, subordinada ao tema “A Dieta Mediterrânica em Portugal: Cultura, Alimentação e Saúde”, seguiram-se três seminários temáticos onde foram abordados os temas “A Dimensão Cultural da Dieta Mediterrânica”, “Dieta Mediterrânica e Sustentabilidade: Território, Agricultura e Pescas”, e “Dieta Mediterrânica: Estilos de Vida, Alimentação e Saúde”. No cumprimento deste ambicioso objetivo contámos com o amável contributo de diversos especialistas de instituições públicas e de associações nacionais e regionais que, connosco, aceitaram partilhar o seu saber. O Mediterrâneo, muito mais do que um mar, tem sido um território de partilha entre gentes de mundos diversos, e este ciclo foi também uma oportunidade para compartilhar conhecimentos, debater opiniões e aprofundar reflexões. Foi um espaço de debate interdisciplinar, amplo e integrador, em torno da relevância da Dieta Mediterrânica. Este livro, “Dieta Mediterrânica em Portugal: Cultura, Alimentação e Saúde”, inclui os textos resultantes de algumas das comunicações apresentadas e representa um modesto contributo para a salvaguarda e a transmissão às gerações vindouras deste valioso património que a Dieta Mediterrânica representa. Anabela Romano Universidade do Algarve Julho de 2014 10

[close]

p. 13

11

[close]

p. 14

12

[close]

p. 15

Secretário de Estado da Alimentação e da Investigação Agroalimentar Nuno Vieira e Brito, Magnífico Reitor da Universidade do Algarve Exmo. Senhor Presidente da Associação de Municípios do Algarve Exmo. Senhor Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve Exmo. Presidente da Câmara Municipal de Tavira Exmo. Presidente da Comissão Nacional da UNESCO Exmo. Coordenador da Candidatura Portuguesa da Dieta Mediterrânica a Património Cultural Imaterial da Humanidade da Unesco Meus Senhores e Minhas Senhoras Dizem os antigos, com toda a sua sabedoria, “Diz-me o que comes dir-te-ei quem és….!”. Forma notoriamente ancestral do que, hoje, celebramos como Património Gastronómico, onde Arte e Gastronomia vivem entrelaçadas numa quente paixão, que “regada e abençoada” sobrevive até aos nossos tempos e integra honrosamente a nossa Cultura e o nosso Património. Aqui se integra a hoje tão celebrada Dieta Mediterrânica, espelho da perfeita integração dos povos à terra, ao ambiente e à cultura onde se inserem. O saber de várias gerações tirou partido dos recursos disponíveis, valorizando-os, criou pratos e dietas equilibradas e atrativas, não só pelas suas qualidades organoléticas mas, especialmente, pelas suas características nutricionais. Desde os anos 60, sabemos que os povos da zona Mediterrânica evidenciam uma menor incidência de sinais ou patologias relacionadas com a alimentação ou o excesso de peso quando comparados com as populações da Europa Central ou EUA. Igualmente, se reconhece uma maior longevidade e uma redução significativa da existência de co-morbilidades do excesso de peso e obesidade. 13

[close]

Comments

no comments yet